‹ voltar



Novo documentário pró-vida expõe vínculos entre satanismo e aborto (Vídeo)

 

8 de novembro de 2019 ( LifeSiteNews ) - A interseção de fanatismo pró-aborto e satanistas autodeclarados é um resultado natural da crença compartilhada por ambos os grupos na “autonomia” a qualquer custo, de acordo com um novo documentário angustiante do grupo pró-vida Created Equal.

Na quinta-feira, a Created Equal lançou Abortion: A Doutrine of Demons, um vídeo de aproximadamente 22 minutos que justapõe um olhar atento à indústria do aborto e aos ativistas do aborto com valores declarados de grupos satânicos. 

“A Created Equal tem crescido assediada por defensores do aborto que se identificam abertamente como satanistas. E aqueles que amam a morte (defensores do aborto) costumam adotar rapidamente os princípios do satanismo”, explica o fundador e presidente da Created Equal, Mark Harrington. "Esperamos despertar uma igreja adormecida para a batalha espiritual que enfrentamos."

"Na maioria das vezes, o valor final [pelos defensores do aborto] da luta é por autonomia, liberdade para fazer o que quiserem", diz o narrador. “O maior representante da busca pela autonomia é Satanás. O satanismo é, portanto, o espaço perfeito reservado para esses valores distorcidos. Created Equal e outros profissionais pró-vida muitas vezes encontram aqueles cujo apoio ao aborto se transforma em adoração, mais evidente sob a bandeira do satanismo.”

São mostrados ao público videoclipes de indivíduos pró-aborto dizendo "saudem Satanás" (possivelmente sarcasticamente), uma mulher argumentando fervorosamente que membros da Igreja de Satan são preferíveis aos cristãos, mulheres admitindo que o aborto mata um bebê enquanto afirmam que fazer isso é bom, e pessoas argumentando que a vida humana não tem um valor intrínseco significativo.

“Soldados-solitários satanistas ou amantes do aborto que zombam do cristianismo não provam uma conexão doutrinária entre matar bebês pré-nascidos e satanismo”, esclarece o narrador. “Mas aqueles que amam a morte costumam adotar rapidamente seus princípios. Isso não é surpresa quando o Templo Satânico ensina que defender o acesso ao aborto é uma forma digna de adoração.”

O documentário mostra satanistas professos defendendo o aborto, incluindo o presidente do Templo Satânico Lucien Greaves, explicando que “o corpo de um homem é inviolável, sujeito apenas à própria vontade” - o que, segundo o documentário, ecoa o mantra pró-aborto de “meu corpo, minha escolha”- é um dos “Sete Princípios Fundamentais” do Templo. O Templo tem uma história de envolvimento na defesa do aborto.

O Templo Satânico diz  que não acredita que Satanás ou outros conceitos sobrenaturais existam literalmente, mas abraça o nome de Satanás como um "símbolo do Eterno Rebelde em oposição à autoridade arbitrária". O documentário destaca um caso de um defensor do aborto que alega ter experimentado um encontro literal satânico, mas argumenta que o satanismo "secular" é igualmente destrutivo.

"O cristianismo baseia a moralidade e os direitos humanos no caráter perfeito de Deus", explica. “Por outro lado, os defensores do aborto parecem aderir a um secularismo religioso paradoxal. Lutar contra a religião se tornou a religião deles. Para isso, não há herói maior do que o próprio Satanás, cuja natureza rebelde culminou em oposição a Deus que, nas palavras dos partidários do aborto, os oprime tiranicamente.

O documentário também destaca o testemunho de Zachary King, um ex-mago satânico (agora católico) que diz ter participado de abortos "rituais". “Quando você está fazendo um aborto, o sangue é o agente de ligação em qualquer coisa satânica. Em última análise, você está querendo o sangue do bebê. Porque isso é um sacrifício satânico”, diz King.

Ao longo do documentário, existem inúmeros exemplos de vulgaridade, violência e vandalismo de manifestantes pró-aborto enfurecidos que se cruzam com manifestantes pró-vida. Também destaca vários abortistas especialmente horrendos, desde o infame Kermit Gosnell e Ulrich Klopfer até o falecido Robert Santella, que foi pego em uma fita sussurrando: "Eu amo matar bebês" a um pró-vida que o confrontou.

“No centro desse terrível comportamento está a rebelião”, diz o narrador - “rebelião contra Deus exemplificada pelo satanismo e ameaçando a todos que se opõem à autonomia. A busca pela autonomia absoluta está atropelando as pessoas em seu caminho.”

O documentário lança o fanatismo pró-aborto moderno como um sucessor espiritual do infanticídio e do sacrifício humano ao longo da história, observando que, enquanto as culturas passadas sacrificavam a seus deuses na esperança de um clima melhor, os pró-abortos modernos como o senador Bernie Sanders (I-Vt.) enquadram o aborto como parte da solução para as mudanças climáticas.

Por toda a escuridão implacável em exibição, o documentário conclui com uma nota de esperança, lembrando ao público que o cristianismo desempenhou um papel fundamental na abolição das práticas bárbaras ao longo da história da humanidade. "Havia luz que brilhava na escuridão para acabar com esse mal", diz o narrador. “Isso acabou com o sacrifício de crianças nos séculos seguintes à ressurreição de Cristo. E essa luz vai acabar com isso hoje.

"Essa luz é o próprio Deus, revelado ao homem na pessoa de Jesus", declara o vídeo. “Este é o Deus que nos ordena amar nossos filhos, ser gentis e misericordiosos com o próximo e nos mostrou o ato final de amor em seu sacrifício na cruz. Este é o Deus que tantos abortistas odeiam [.] ... Aqueles que acreditam no nome de Cristo não precisam sacrificar seus filhos. Cristo se ofereceu como o sacrifício supremo.”

Veja o vídeo clicando no link abaixo:

https://gloria.tv/post/FjvkTxXtGM4w2BvHmEiiy1gPG

 

Fonte: https://www.lifesitenews.com/news/watch-new-pro-life-documentary-exposes-demonic-underbelly-of-abortionism

Busca


Sábado, 14 de Dezembro de 2019







Acessos

Curta nossa página no facebook



Rainha Maria

Glória de Deus

Mulher Vestida de Sol