‹ voltar



Chineses colocaram um gene da inteligência humana em um macaco. Cientistas estão preocupados

Por Natasha Romanzoti, em 2.01.2020

 

Cientistas do Instituto de Zoologia de Kunming, na China, colocaram um gene do cérebro humano em macacos, o que melhorou sua memória de curto prazo. O objetivo do estudo era investigar como o gene MCPH1 poderia ter contribuído para a evolução do cérebro humano. No entanto, a pesquisa levantou questões e preocupações éticas quanto a introdução da inteligência humana em outros primatas. n/d

MCPH1

Todos os primatas possuem alguma variação do gene MCPH1. A versão humana é diferente, contudo, uma vez que nossos cérebros são maiores, mais avançados e de desenvolvimento mais lento. É por esse motivo que os cientistas chineses decidiram analisar se a nossa versão do MCPH1 poderia explicar nossos cérebros mais complexos.

Metodologia

O geneticista Bing Su e sua equipe injetaram 11 embriões de macacos- rhesus com a versão humana do gene MCPH1. Nesses animais, o cérebro se desenvolveu mais lentamente. Quanto atingiram a idade de 2 a 3 anos, também se saíram melhor em testes de memória curto prazo. Não houve diferença no tamanho do cérebro ou outros comportamentos entre os macacos transgênicos.

Preocupações

Embora os resultados pareçam pouco preocupantes em termos de transformar macacos em humanos, muitos cientistas criticaram o experimento. Para a bioética Rebecca Walker, da Universidade da Carolina do Norte (EUA), esse tipo de estudo poderia representar o início da criação de animais com inteligência humana.

Para justificar seu estudo, Su disse ao China Daily que “cientistas concordam que modelos de macacos às vezes são insubstituíveis para a pesquisa básica, especialmente no estudo da fisiologia, cognição e doença humanas”, e que a “distância filogenética relativamente grande [entre macacos-rhesus e humanos] alivia preocupações éticas”. No caso, macacos-rhesus e humanos estão separados por cerca de 25 milhões de anos de divergência genética, sendo que estes animais são muito menos parecidos conosco em termos de capacidades sociais e cognitivas do que chimpanzés, por exemplo.  “Enquanto macacos e humanos têm genomas semelhantes, ainda existem dezenas de milhões de diferenças genéticas. Mudar um gene cuidadosamente projetado para a pesquisa não resultará em mudanças drásticas”, argumentou Su. De fato, é difícil que um desses macacos passe a agir como um ser humano, mas Walker crê que isso não importa. “Estamos falando sobre a melhoria da memória de curto prazo, o que os colocaria mais perto de nós em termos dessas habilidades cognitivas”, disse.

A mudança pode ser pequena no momento, mas alguns cientistas questionam a possibilidade de os pesquisadores encontrarem (e utilizarem) um gene com um efeito muito maior na cognição.

“Há alguns elementos arriscados em seguir esse caminho. É preciso pensar nas consequências e em qual é a melhor maneira de estudar esse tipo de questão”, sugeriu James Sikela, geneticista da Universidade do Colorado (EUA).

Um artigo sobre a pesquisa foi publicado na revista científica National Science Review.

[DiscoverMagazine]

 

Fonte: https://hypescience.com/estudo-cientistas-chineses-colocaram-um-gene-da-inteligencia-humana-em-um-macaco/


‘Mil e uma formas de engano giram em torno da humanidade, tanto é assim que os cientistas investiram sua existência e seu tempo para procurar como superar-Me, criando vida à sua vontade, chegando até a integrar dentro do corpo de um animal, tecido humano, causando uma série de aberrações contra a natureza humana. A Torre de Babel é pequena diante do que esta geração chegou a realizar..., de igual maneira será grande o que advirá à humanidade.’ (Jesus ​​Cristo a Luz de Maria, em 21-01-2016)

 

 

Hibridização e Transgenia – uma das razões pela qual ocorreu o Dilúvio universal

O Livro de Enoch(1) nos explica as razões pelas quais veio o dilúvio sobre a Terra.

A ação dos anjos caídos (demônios) consistiu em degradar a informação genética do homem, de forma que sua descendência pura não trouxesse o Messias vindouro, que salvaria a humanidade. Encontramos na Escritura essa tentativa de destruir o código genético humano em Gênesis 6: “Sucedeu que quando os homens começaram a multiplicar-se sobre a terra e lhes nasceram filhas viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram. Então disse o Senhor: o meu Espírito não permanecerá para sempre no homem porquanto ele é carne mas os seus dias serão cento e vinte anos. Naqueles dias estavam os Nephilins na terra e também depois quando os filhos de Deus conheceram as filhas dos homens as quais lhes deram filhos. Esses Nephilins eram os valentes, os homens de renome que houve na antiguidade” (Genesis 6, 1-4)

Vemos, então, que o propósito do dilúvio não foi apenas eliminar os que foram corrompidos pela presença do pecado na terra. Existia algo muito mais profundo acontecendo. Algo tão grave estava ocorrendo que Deus interviu de forma drástica e severa para interromper a degeneração dos reinos animal e humano sobre a terra, pois a estratégia de Satanás era a de contaminar o DNA da raça humana. Enoque explica sobre isto, mostrando que o DNA humano estava tão corrompido e misturado que, para preservar a cadeia genética humana pura desde Adão, e também exterminar a descendência dos anjos caídos com as mulheres humanas, Deus mandou o dilúvio.

O Livro de Enoque nos diz claramente que os Sentinelas começaram a misturar humanos com animais: 

“Eles começaram a pecar contra as aves, gado, repteis, peixes e então devoraram os corpos uns dos outros, até mesmo beber o sangue. Foi então que a terra fez acusação contra esses bárbaros.”

O interessante é que acharíamos tudo isso um absurdo até o final do século passado, uma vez que não havia esse assunto de hibridização. Mas atualmente os cientistas têm brincado de Deus, misturando o DNA de homem, animais e plantas entre si. O retorno a estas práticas nos dias atuais está predito na Bíblia: “O que foi é o que será. O que foi feito será refeito: nada de novo sob o sol.” (Ecl. 1, 9)

Não importa o quão longe os cientistas forem em se tratando de ciência e tecnologia, estarão, na verdade, se afastando do propósito de Deus para o homem, para o animais e para a natureza em geral. Estarão refazendo o caminho interrompido lá atrás (ainda que não se dêem conta disto!) sob a influência e com base no que foi ensinado pelos anjos caídos no mundo prediluviano.

Como você acha que Deus vê esta manipulação e mistura genética entre os reinos? Qual será o fruto que a humanidade colherá de todas estas aberrações e interferências na natureza? Se a escolha humana for repetir estas práticas e corromper a sua natureza e a natureza em geral (como já vem acontecendo) a intervenção divina será TERRÍVEL.   

 

(1) O LIVRO DE ENOQUE é um texto apócrifo que é mencionado por algumas cartas do Novo Testamento (Judas, Hebreus e 2ª de Pedro). Até a elaboração da Vulgata, por volta do ano 400, os primeiros seguidores de Cristo o mencionavam abertamente em seus textos e o aceitavam como real. Após a Vulgata ele caiu no esquecimento. Entretanto, o livro é muito interessante. O livro de Enoque foi preservado somente em uma cópia, na totalidade, em etíope e, por esta razão, também é chamado de Enoque etíope.

Leia mais sobre o Livro de Enoch clicando abaixo:

http://www.mulhervestidadesol.com.br/Pagina/106/O-Livro-de-ENOQUE-O-homem-que-recebeu-de-Deus-o-poder-de-reprovar-os-anjos-caidos

 


Busca


Quarta-feira, 22 de Janeiro de 2020







Acessos

Curta nossa página no facebook



Rainha Maria

Glória de Deus

Mulher Vestida de Sol