‹ voltar

'Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus.' (1 Coríntios 2:12)


Seja influenciado pelo Espírito de Deus, não pelo espírito do mundo

OS CRISTÃOS verdadeiros estão em guerra! O nosso inimigo é poderoso, astuto e aguerrido. Ele dispõe de uma arma tão eficaz que já subjugou a maioria dos humanos. Mas não precisamos nos sentir indefesos ou condenados à derrota. (Is. 41:10) Temos uma defesa impenetrável e imbatível.

A nossa guerra não é literal; é espiritual. O nosso inimigo é Satanás, o Diabo, e uma de suas armas mais usadas é ‘o espírito do mundo’. (1 Cor. 2:12) A nossa principal defesa contra seus ataques é o espírito de Deus. Para sobreviver a essa guerra e permanecer espiritualmente fortes, temos de pedir o espírito de Deus e demonstrar as características de seu fruto na nossa vida. (Gál. 5:22, 23) Mas o que é o espírito do mundo, e por que se tornou tão influente? Como podemos determinar se o espírito do mundo está nos influenciando? E o que podemos aprender de Jesus quanto a ter o espírito de Deus e resistir ao espírito do mundo?

 

Por que o espírito do mundo é tão difundido?

O que é o espírito do mundo?

O espírito deste mundo origina-se de Satanás, ‘o governante do mundo’, e opõe-se ao espírito santo de Deus. (João 12:31; 14:30; 1 João 5:19) É o modo de pensar predominante no mundo, e induz as pessoas à ação. Essa força impulsora conduz a sociedade humana ao conflito com a vontade e o propósito de Deus.

Como o espírito promovido por Satanás tornou-se tão difundido? Primeiro, ele enganou Eva no jardim do Éden. Convenceu-a de que ser independente de Deus seria melhor para ela. (Gên. 3:13) Que mentiroso! (João 8:44) Daí, por meio da mulher, ele induziu Adão à deslealdade para com Deus. Por causa da escolha de Adão, a humanidade foi vendida ao pecado, herdando assim a tendência de deixar-se influenciar pelo espírito satânico de desobediência. — Leia Efésios 2:1-3.

Satanás influenciou também muitos anjos, que se tornaram demônios. (Rev. 12:3, 4) Essa traição contra Deus ocorreu algum tempo antes do Dilúvio dos dias de Noé. Esses anjos achavam que seria melhor para eles abandonar suas posições designadas no céu e entregar-se a desejos desnaturais na Terra. (Judas 6) Com a ajuda desses demônios, agora de volta ao domínio espiritual, Satanás está ‘desencaminhando toda a terra habitada’. (Rev. 12:9) Infelizmente, a maioria dos humanos não enxerga que está sob influência demoníaca. — 2 Cor. 4:4.

 

O espírito do mundo está influenciando você?

Muitos não enxergam que estão sob a influência de Satanás, mas não há motivos para os cristãos verdadeiros desconhecerem as táticas dele. (2 Cor. 2:11) Realmente, o espírito do mundo não pode nos influenciar a menos que o permitamos. Examinemos quatro perguntas que ajudarão a revelar se estamos sob a influência do espírito de Deus ou do espírito do mundo.

O que a minha escolha de diversão revela a meu respeito? (Leia Tiago 3:14-18.) Satanás tenta nos afastar de Deus por estimular amor à violência no nosso coração. Ele sabe que Deus odeia os que amam a violência. (Sal. 11:5) Assim, Satanás tenta usar publicações, filmes, música e jogos eletrônicos (alguns dos quais incitam os usuários a simular crassa imoralidade e brutalidade) que possam estimular os nossos desejos carnais. Satanás não se importa se parte de nosso coração ama o que é correto, desde que parte dele ame o que é mau — as coisas que ele promove. — Sal. 97:10.

Por outro lado, quem está sob a influência do espírito de Deus é motivado a ser puro, pacífico e misericordioso. É bom nos perguntarmos: ‘A diversão que escolho estimula qualidades positivas em mim?’ A sabedoria de cima é ‘sem hipocrisia’. Quem é influenciado pelo espírito de Deus não prega a outros boa moral e paz e, ao mesmo tempo, no seu lar se diverte com programas de violência sádica e imoralidade.

Deus espera devoção exclusiva. Satanás, no entanto, se contenta com apenas um ato de adoração, como tentou conseguir no caso de Jesus. (Luc. 4:7, 8) Podemos nos perguntar: ‘A minha escolha de diversão me permite dar devoção exclusiva a Deus? Essa escolha me dificulta ou me facilita resistir ao espírito do mundo? Devo fazer alguns ajustes quanto a escolhas futuras?’

Qual é minha atitude para com os bens materiais? (Leia Lucas 18:24-30.) O espírito do mundo promove ‘o desejo dos olhos’ por incentivar a ganância e o materialismo. (1 João 2:16) Criou em muitos a determinação de ficar rico. (1 Tim. 6:9, 10) Esse espírito nos levaria a crer que uma boa reserva de bens materiais nos daria segurança permanente. (Pro. 18:11) No entanto, se o nosso amor ao dinheiro for maior do que o amor a Deus, Satanás terá ganho uma vitória. Devemos nos perguntar: ‘Centralizo a minha vida na busca de prazeres e confortos materiais?’

Em contraste com isso, a inspirada Palavra de Deus nos incentiva a ter um conceito equilibrado sobre dinheiro e a trabalhar diligentemente pelo nosso sustento e o de nossa família. (1 Tim. 5:8) O espírito de Deus ajuda àqueles sob sua influência a refletirem a generosa personalidade de Deus. São conhecidos pela sua disposição de dar, não apenas de receber. Eles dão mais valor a pessoas do que a coisas e gostam de partilhar o que têm, quando possível. (Provérbios 3:27, 28) E nunca dão maior importância à busca de dinheiro do que ao seu serviço a Deus.

Que espírito minha personalidade reflete? (Leia Colossenses 3:8-10, 13.) O espírito do mundo promove as obras da carne. (Gál. 5:19-21) O verdadeiro teste quanto a que espírito nos influencia não acontece quando as coisas vão bem, mas sim quando vão mal, como no caso de um cristão nos ignorar, nos ofender ou até mesmo pecar contra nós. Além disso, dentro de nossa casa pode ficar evidente que espírito prevalece. Talvez seja necessária uma autoanálise. Pergunte-se: ‘Nos últimos seis meses, será que melhorei minha personalidade cristã, ou retrocedi a alguns maus hábitos de linguagem e conduta?’

O espírito de Deus pode ajudar a ‘nos desnudar da velha personalidade com as suas práticas’ e a nos revestir da ‘nova personalidade’. Isso nos ajudará a ser mais amorosos e bondosos. Estaremos sempre inclinados a perdoar uns aos outros, mesmo que haja uma razão legítima para queixa. Não mais reagiremos a possíveis injustiças com acessos de ‘amargura maldosa, ira, furor, brado e linguagem ultrajante’. Em vez disso, nos esforçaremos em ser ‘ternamente compassivos’. — Efésios 4:31, 32.

Respeito e amo os padrões de moral da Bíblia? (Leia Provérbios 3:5, 6.) O espírito do mundo reflete rebelião contra a Palavra de Deus. Os que são influenciados por esse espírito desprezam o que consideram partes inconvenientes da Bíblia e dão preferência a tradições e filosofias humanas. (2 Tim. 4:3, 4) Alguns descartam totalmente a Bíblia. Questionam a sua relevância e autenticidade, tornando-se sábios aos seus próprios olhos. Diluem a importância dos padrões puros da Palavra de Deus sobre adultério, homossexualidade e divórcio. Ensinam que ‘o bom é mau e que o mau é bom’. (Is. 5:20) Fomos afetados por esse espírito? Ao enfrentar problemas, confiamos na sabedoria humana, incluindo as nossas próprias ideias? Ou nos esforçamos em aplicar os conselhos da Bíblia?

O espírito de Deus produz em nós o respeito pela Bíblia. Como o salmista, encaramos a palavra de Deus como ‘lâmpada para o nosso pé e luz para a nossa senda’. (Sal. 119:105) Em vez de confiar na nossa própria sabedoria, recorremos com confiança à Palavra escrita de Deus como ajuda para discernir o certo do errado. Aprendemos não só a respeitar a Bíblia, mas também a amar a lei de Deus. — Sal. 119:97.

 

Aprenda do exemplo de Jesus

Para sermos influenciados pelo espírito de Deus, temos de desenvolver ‘a mente de Cristo’. (1 Cor. 2:16) Para ter ‘a mesma atitude mental que Cristo Jesus teve’ é preciso conhecer o seu modo de pensar e de agir e procurar imitá-lo. (Rom. 15:5;1 Ped. 2:21) Veja algumas maneiras de fazer isso.

n/d

Ore pedindo o espírito de Deus. Antes de enfrentar provações, Jesus orava pela ajuda do espírito de Deus. (Luc. 22:40, 41) Nós também devemos pedir espírito santo a Deus, que o concede de modo liberal e generoso a todos que o pedem com fé. (Luc. 11:13) Jesus disse: ‘Persisti em pedir, e dar-se-vos-á; persisti em buscar, e achareis; persisti em bater, e abrir-se-vos-á. Pois, todo o que persistir em pedir, receberá, e todo o que persistir em buscar, achará, e a todo o que persistir em bater, abrir-se-á.’ — Mat. 7:7, 8.

Ao buscar o espírito e a ajuda de Deus, não desista logo de pedi-los. Talvez tenhamos de orar com mais frequência e nos alongar nas orações. Às vezes, Deus permite que aqueles que lhe fazem pedidos provem a profundidade de seu interesse e a qualidade de sua fé antes de lhes responder as orações.

Obedeça integralmente a Deus. Jesus sempre fez aquilo que agradava a seu Pai. Em pelo menos uma ocasião, a inclinação de Jesus quanto a como lidar com certa situação foi diferente daquilo que seu Pai queria. No entanto, Jesus disse com confiança ao seu Pai: ‘Ocorra, não a minha vontade, mas a tua.’ (Luc. 22:42) Pergunte-se: ‘Obedeço a Deus mesmo quando isso não é fácil?’ A obediência a Deus é essencial para ganhar a vida eterna. Nós lhe devemos obediência incondicional como nosso Criador, Fonte e Sustentador de nossa vida. (Sal. 95:6, 7) Não há substituto para a obediência, sem a qual não podemos ganhar o favor de Deus.

Conheça bem a Bíblia. Ao resistir a ataques diretos de Satanás contra a sua fé, Jesus citou as Escrituras. (Luc. 4:1-13) Ao debater com seus opositores religiosos, ele usou a Palavra de Deus como autoridade. (Mat. 15:3-6) A vida inteira de Jesus girava em torno de conhecer e cumprir a lei de Deus. (Mat. 5:17) Nós também desejamos sempre alimentar a mente com a Palavra de Deus, que fortalece a nossa fé. (Fil. 4:8, 9) Encontrar tempo para estudo pessoal e familiar pode ser um desafio para alguns de nós. Em vez de encontrar tempo, porém, talvez tenhamos de arranjar tempo. — Efé. 5:15-17.

 

Podemos vencer o mundo

Para sermos conduzidos pelo espírito de Deus, temos de resistir ao espírito do mundo. Não é fácil resistir. Pode ser uma luta, uma dura batalha. (Judas 3) Mas podemos vencer! Jesus disse aos seus discípulos: ‘No mundo tereis tribulação, mas, coragem! Eu venci o mundo.’ — João 16:33.

Nós também podemos vencer o mundo se resistirmos ao seu espírito e fizermos todo o possível para sermos influenciados pelo espírito de Deus. Realmente, ‘se Deus é por nós, quem será contra nós?’ (Rom. 8:31) Sermos influenciados pelo espírito de Deus e seguirmos sua direção delineada na Bíblia, resultará em contentamento, paz, felicidade e na certeza de vida eterna.

 

‘Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus.’ (1 Coríntios 2:12)

 

Fonte: https://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/2011203#h=3

 

 


Busca


Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017





Acessos

Curta nossa página no facebook



Rainha Maria

Glória de Deus

Mulher Vestida de Sol