‹ voltar



A Fumaça de Satanás na Igreja: O Cisma já é Público e Notório!

‘Por alguma brecha a fumaça de Satanás entrou no templo de Deus: existe a dúvida, a incerteza, a problemática, a inquietação, o confronto.’ (Papa Paulo VI em discurso de 26 de junho de 1972.)

‘Porque vai chegar um tempo em que os homens não suportarão a sã doutrina, mas, sentindo cócegas nos ouvidos, reunirão em volta de si mestres conforme suas paixões. Deixando de ouvir a verdade, eles se voltarão para as fábulas. De tua parte, sê em tudo senhor de ti mesmo, suporta o sofrimento, faze o trabalho de pregador do Evangelho, cumpre inteiramente teu ministério.’ (2Tm. 4,3-5)

n/d O tempo que rezávamos para que não viesse tão cedo, lamentavelmente agora chegou. Sabemos que, desde o fim do Concílio Vaticano II, o relógio desta terrível e destruidora bomba implantada por satanás e os seus inspirados no coração da Santa Igreja, o Cisma, tinha iniciado sua assassina contagem, para um dia, no futuro, que ninguém sabia quando, explodir.

Decorreram mais de cinquenta longos e sofridos anos de intensa batalha espiritual contra as apostasias, heresias e profanações, e que vitimaram a tantos Papas, (Paulo VI, João Paulo I, João Paulo II e agora nosso amado Bento XVI), Cardeais, Bispos, Sacerdotes, Religiosos e Religiosas.Todos esses que buscaram ser fiéis até agora, imolaram suas vidas tentando desarmar essa bomba relógio que tinha sido colocada nos alicerces da Igreja, ou no mínimo protelar no tempo este terrível momento tão aguardado pelos inimigos internos e externos da Igreja de Cristo. Mas as Escrituras têm que se cumprir, literalmente, e o momento chegou: a purificação da Esposa do Cordeiro, que também sobe o calvário, tal qual o seu divino Esposo, para após sua imolação final, também ressurgir gloriosa.

‘Farei esse terço passar pelo fogo e o purificarei como se purifica a prata, e os provarei como se prova o ouro. Ele, porém, invocará Meu Nome e Eu lhe responderei; Eu direi: É Meu povo!, e ele dirá: JAVÉ, meu DEUS!’ (Zc. 13, 9)

Há muitos anos que assistimos religiosos, padres, bispos, arcebispos e até cardeais capitularem, em sua grande maioria, ao espírito do mundo, espírito de satanás. Preocupando-se mais em agradar aos homens (sendo socialmente ‘corretos’), do que a DEUS (colocando a fidelidade ao Evangelho, a Doutrina e a Tradição da Igreja em segundo plano).

Pois então vejamos:

- Tem bispo (Dom Paulo Sérgio Machado, bispo de São Carlos/SP*) dando total apoio aos espíritas e condenando católicos por serem defensores da Tradição da Igreja;

- Existem centenas de bispos e padres que não permitem mais que os fiéis se ajoelhem para JESUS Eucarístico;

- Há padres (Zezinho*) querendo esconder a verdadeira história dos fatos acontecidos na Igreja para justificar suas profanações (a comunhão na mão foi uma permissão extraordinária arrancada junto ao Papa Paulo VI e que os desobedientes transformaram em ação ordinária);

- Dentro de famosas congregações (Jesuítas) existem movimentos (Humanitas) pregando ecumenismo com todo o tipo de seita;

- Na Áustria, a maioria do clero já declarou cisma aberto junto ao Vaticano;

- Na Irlanda, da mesma forma.

Isso é apenas a diminuta ponta do iceberg-cisma que cada vez mais se instala na Igreja do mundo todo. O papa Bento XVI já tem consciência desses gravíssimos fatos, por isso muito sofre. Rezemos por ele e pela Igreja.

Desde o Antigo Testamento, o amoroso, misericordioso e justo PAI, através de Seus profetas, já alertava para a gravidade da apostasia dos sacerdotes:

‘E agora, ó sacerdotes, é para vós esta prescrição: se não escutardes e não resolverdes de coração dar glória a Meu Nome, diz JAVÉ dos exércitos, jogarei a maldição sobre vós e amaldiçoarei a vossa bênção; já mesmo a amaldiçoei, pois nada tomais a peito. Eis que vou cortar vosso braço e espalharei excremento em vossas faces, o excremento que provém de vossas festas; sereis levados com ele. Assim sabereis que vos dirigi esta prescrição, para que subsista minha aliança com Levi, diz JAVÉ dos exércitos. Minha aliança com ele era vida e paz, e Eu lhas dava; o temor: ele me temia e diante de Meu Nome, ele ficava amedrontado. A doutrina da verdade estava em sua boca e não havia iniqüidade em seus lábios; caminhava comigo em paz e retidão e muita gente ele reconduzia do mal. Pois os lábios do sacerdote guardam a ciência e é a doutrina que se busca em sua boca; porque ele é o anjo de JAVÉ dos exércitos. Vós, porém, vos desviastes do caminho; fizestes muita gente tropeçar na doutrina, pervertestes a aliança de Levi, diz JAVÉ dos exércitos. Por isso, vos tornei desprezíveis e vis entre todo o povo, pois não guardastes os meus caminhos e fizestes acepção de pessoa na aplicação da Lei.’ (Ml. 2, 1-9)

‘Pois eis que Eu suscitarei um pastor no país: da ovelha que desaparece ele não se preocupará; a que falta ele não procurará; da que está ferida, ele não cuidará; a que está de pé ele não dará amparo: mas comerá a carne da que está gorda, e a todas ele lhes arrancará os cascos. Ai do pastor do nada, que abandona as ovelhas! Que a espada atinja seu braço e também o seu olho direito! Que o seu braço fique completamente dessecado, e seu olho direito enfraqueça por completo!’ (Zc. 11, 16-17)

‘No entanto, ninguém seja processado, ninguém repreendido: é contra ti, ó sacerdote, que Eu vou mover o processo. Tu tropeçarás em pleno dia, de noite também o profeta tropeçará contigo, e Eu farei desaparecer a tua mãe. O meu povo morre por falta de instrução. Porque tu abandonaste a instrução, Eu te rejeitarei de meu sacerdócio.’ (Os. 4, 4-6)

‘Farei entrar as mais cruéis das nações para que ocupem suas casas; acabarei com sua orgulhosa ostentação de força, e seus santuários serão desonrados. Quando vier o terror, procurarão salvar-se, mas inutilmente. Virá desgraça sobre desgraça, boato sobre boato, então recorrerão ao profeta, à espera de alguma visão; mas o sacerdote se tornará incapaz de instruir e o ancião de dar um conselho. O rei se lamentará, o príncipe estará imerso em pavor e as mãos dos cidadãos tremerão. Tratá-los-ei de acordo com sua conduta e julgá-los-ei como eles fazem justiça. Então, reconhecerão que Sou JAVÉ.’ (Ez. 7, 24-27)

‘... e sabereis que Sou Javé, cujos mandamentos não seguistes, cujas leis não praticastes, mas caminhastes conforme os costumes dos povos que vos rodeiam.’ (Ez. 11, 12)

‘Os sacerdotes deverão explicar ao Meu povo a diferença entre o sagrado e o profano e ensiná-lo a distinguir o impuro e o puro.’ (Ez. 44, 23)

‘E depois procuram curar a ferida do meu povo assim à ligeira, dizendo: está bem, está bem! Quando de fato nada está bem! Corarão pelos seus horríveis crimes? Mas não sentem vergonha, são incapazes de corar. Por isso cairão com os que caem, tombarão no tempo do castigo, diz JAVÉ.’ (Jr. 6, 14)

‘JAVÉ disse: este povo vem a mim só com palavras, honrando-me só com os lábios, com o coração afastado de mim, e sua religião para comigo são mandamentos humanos, pura rotina!’ (Is. 29, 13)

‘Ai dos filhos rebeldes! Oráculo de JAVÉ. Fazem planos, mas sem mim, e pactos que eu não inspiro, de maneira que acumulam falta sobre falta.’ (Is. 30, 1)

Também os inimigos externos da Santa Igreja sempre foram abundantes e fortes. Iniciaram com o judaísmo anticristão, encarnado pelo sinédrio de Caifás, Anás e sua descendência. Continuou com os povos pagãos, que dominaram o mundo, e agora, mais recentemente, nos últimos séculos, com a maçonaria e as demais sociedades secretas (rosacruzes, illuminatis, bilderbergs, skull and bones, clube de Roma, ordem da jarreteira,...) e tantas outras que dela descenderam. Essas obscuras sociedades hoje desembocaram na anticristã ONU (e suas agências tentaculares) e nas não menos anticristãs ONGs que se infiltraram nas nações e sociedades de todo o mundo, para planejar e implantar o futuro governo da Nova Ordem Mundial. Esse veículo de dominação (ONU) está sendo preparado para que o anticristo, quando se manifestar, assuma o comando e o controle radical da humanidade em todas as áreas: econômica, militar, religiosa,... As hoje, aparentemente, tão inofensivas agências da ONU serão, em um futuro muito próximo, os ministérios do governo mundial do anticristo.

Portanto, os orgulhosos, céticos e incrédulos de hoje que fazem pouco e gracejam das atuais profecias, terão de engolir o amargor de suas abundantes lágrimas de arrependimento; para a grande maioria, tardiamente, porque já estarão com o microchip da marca da besta implantada em suas mãos. E praticando um ecumenismo mundial chancelado pela ONU, e terrivelmente ofensivo a Deus, para o qual foram instrumentos e serão corresponsáveis. Tudo isso em consequência da dureza de seus corações que os fez debocharem e perseguirem os autênticos alertas Celestes.

Reafirmamos ainda, retornando ao início deste texto, a gravidade da grande traição que CRISTO e a Sua Igreja novamente sofre em todos os cinco Continentes: os ‘Judas Iscariotes’ de hoje já são maioria no seio da Igreja, em contraposição ao primeiro Judas que foi minoria, dentre os primeiros apóstolos.

Nesses últimos cinquenta anos, a derrocada foi lenta e gradual, eles foram minando e implodindo gradativamente os alicerces da autêntica fé católica, sem deixar muitos vestígios, graças às grandes doses de hipocrisia que têm se utilizado:

  • acabaram com a verdadeira Santa Missa, a missa Tridentina, que elevou aos altares centenas de sacerdotes; e quantos por sua atuação pós-conciliar foram no mínimo beatificados até agora?

  • suprimiram as batinas e os hábitos santos;

  • banalizaram a sagrada Eucaristia com a comunhão na mão e em pé;

  • profanaram esse Santíssimo Sacramento com a instituição de ‘ministros extraordinários da Eucaristia’ que se tornaram ordinários;

  • aboliram o uso da patena, fazendo com que os fragmentos da sagrada eucaristia (Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Nosso Senhor) caíssem ao chão e fossem pisoteados por seus filhos;

  • eliminaram os presbitérios, abarrotando de leigos e leigas os altares;

  • fizeram os sacerdotes darem as costas para o Salvador e Redentor da humanidade;

  • arrancaram o Trono (Sacrários) com o REI do centro (posição principal) da Sua Casa (igrejas);

  • ignoram lúcifer e os demônios, afirmando que eles nunca existiram... (com essa atitude invalidam as santas palavras de JESUS no Evangelho, que afirma claramente a existência deles; também a grande maioria dos bispos, em todo o mundo, não nomeia mais sacerdotes exorcistas em suas dioceses, como seria seu dever; e por quê? Não acreditam!)

  • ‘fecharam’ o inferno, dizendo que ele não existe;

  • acabaram com pecado dizendo que Deus tudo perdoa... Mas não falam em arrependimento, confissão e penitência;

  • perseguiram as imagens de Nossa Senhora e dos Santos para agradar os adversários da Santa Igreja;

  • desaconselharam a oração do Santo Rosário e do Terço para não contrariar os cismáticos protestantes e evangélicos;

  • inventaram um falso ecumenismo, misturando o sagrado com o demoníaco (sim, porque o que acontece no espiritismo, candomblé e outros que tais é ação clara de satanás...), vendendo a idéia aos ignorantes e desavisados de que todas as “religiões” levam a Deus...;

  • reúnem-se para ‘orar’ com crenças que acreditam em falsos deuses e profetas (Buda, Maomé, etc).

 

Após todas essas ações apóstatas, profanadoras e hereges, eles de maneira orgulhosa e hipócrita, ainda vem a público afirmar que os católicos que defendem a Tradição da Igreja estão errados!? Nosso Senhor JESUS CRISTO afirmou em Seu santo Evangelho, que seguiremos e defenderemos até a morte, o seguinte:

‘Por acaso pensais que vim trazer paz à Terra? Eu vos garanto que não, mas sim a divisão!’ (Lc 12, 51)

Portanto, estimados irmãos em CRISTO, a divisão entre os fiéis e os infiéis iniciou sua fase derradeira, e a acomodação, a covardia e a necessidade de agradar aos homens e as maiorias acomodadas, desinformadas e cegas não é fruto do Espírito Santo de DEUS, e sim, a coragem e a determinação para sermos fiéis, mesmo em minoria, até o fim ao santo Evangelho de Nosso Senhor JESUS CRISTO, a Doutrina e a Tradição herdada dos santos Mártires, santos Papas e santos Doutores da única e verdadeira Igreja instituída por CRISTO, que eles, em sua cegueira espiritual, insistem em destruir. Contudo, é necessária a nossa fidelidade, mesmo que isso nos custe esta passageira vida terrena. No entanto, a coroa da glória estará a nossa espera.

Sejamos, pois, fiéis, amorosos, fortes e corajosos, como Nosso Senhor JESUS CRISTO foi, ao enfrentar sua dolorosíssima Paixão e morte na Cruz.

Oremos e vigiemos para não cairmos no canto das sereias dominadas por satanás, os secularistas-apóstatas, hipócritas, rebeldes e profanadores deste tempo, que buscam sepultar o autêntico catolicismo: ‘e Eu digo-te que tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a Minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra Ela.’ (Mt, 16, 18-19)

‘Naquele tempo, JESUS disse: Eu te bendigo, PAI, Senhor do Céu e da Terra, por teres ocultado estas coisas aos sábios e entendidos e as teres revelado aos pequeninos. Sim, PAI, porque desta maneira é que se realizou o que dispusestes na tua benevolência.’ (Mt 11, 25)

 

Nota final: Como deixa muito claro Santo Atanásio de Alexandria, Doutor da Igreja, na continuação deste texto, os cismáticos são aqueles que rompem com pelo menos uma das três condições que alicerçam a nossa fé: o Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, a Doutrina e a Tradição da Igreja nestes dois milênios; estejam onde estiverem, na cátedra de São Pedro ou no mais distante rincão; sejam eles muitos ou sejam eles poucos; sejam eles a maioria ou não...

 

Autor: Marcelo Brandão. Artigo escrito em Abril/2012.

Fonte: www.rainhamaria.com.br

 

 

Santo Atanásio de Alexandria: Os novos arianos são os modernistas que se apropriaram dos templos                                                                                                                            

‘Não devemos perder de vista a Tradição, a Doutrina e a Fé da Igreja Católica, tal como o Senhor ensinou, tal como os Apóstolos pregaram e os Santos Padres transmitiram. De fato, a Tradição constitui o alicerce da Igreja, e todo aquele que dela se afasta deixa de ser Cristão e não merece mais usar este nome.’ Santo Atanásio

Santo Atanásio: ‘Quanto mais os mais violentos tentam ocupar os lugares de culto, mais eles se separam da Igreja. Eles sustentam que representam a Igreja, mas na realidade são aqueles que são, por sua vez, expulsos dEla; e se extraviam’.

Palavras de Santo Atanásio aos cristãos que estavam sofrendo sob os arianos: ‘Que Deus vos console! (...) O que entristece (...) é o fato de que os outros [fala aqui dos arianos] ocuparam as igrejas com violência, porque naquele período vós estáveis fora delas. É um fato que eles tenham a Sé, mas vós tendes a Fé Apostólica. Podem até ocupar as nossas igrejas, mas estão fora da verdadeira Fé. Vós vos encontrais fora dos locais de culto, mas a Fé habita em vós. Vejamos: o que é mais importante, o local ou a Fé? A verdadeira fé, obviamente: Quem perdeu e quem ganhou nessa luta: quem mantém a Sé ou quem observa a Fé? É verdade, os edifícios são bons, quando lá é pregada a Fé Apostólica; eles são santos, se tudo se realiza neles de modo santo (...) Vós sois aqueles que são felizes, vós que permanecei dentro da Igreja pela vossa Fé, a qual mantendes íntegra nos fundamentos como chegaram até vós através da Tradição Apostólica, e se algum execrável ciumentamente tenta abalá-la, em várias ocasiões, não obtém sucesso. Estes são aqueles que se separaram d’Ela na crise atual. Ninguém, nunca, prevalecerá contra a vossa Fé, amados irmãos, e nós cremos que Deus fará restituir um dia nossas igrejas. 

Mesmo que os católicos fiéis à Tradição estejam reduzidos a um punhado são eles e apenas eles a verdadeira Igreja de Jesus Cristo. Os outros são os modernistas-  secularistas, apóstatas, profanadores, hereges e cismáticos! (Coll. Selecta SS. Eccl. Patrum. Caillu e Guillou, vol. 32, pp 411-412)’.

 

Fontes:http://nullapossiamocontrolaverita.blogspot.com.br/2013/07/sant-atanasio-quanto-i-piuviolenti.html. http://farfalline.blogspot.com.br

Tradução: Giulia d'Amore

 

Santo Atanásio de Alexandria, Bispo de Alexandria

(Confessor e Doutor da Igreja, nascido em 296 e falecido em 2 de maio de 373.)

‘O século IV, a idade de ouro da literatura cristã, nos oferece em seus umbrais a figura gigantesca de Atanásio de Alexandria, o homem cujo gênio contribuiu para o engrandecimento da Igreja, muito mais que a benevolência imperial de Constantino. Seu nome está indissoluvelmente unido ao triunfo do Símbolo de Nicéia, que ainda hoje rezamos. Há nome mais ilustre que o de Santo Atanásio entre os seguidores da Palavra da verdade, que Jesus trouxe à Terra? Não, é este nome símbolo do valor indomável na defesa do depósito sagrado, da firmeza do herói face às mais terríveis provas da ciência, do gênio, da eloqüência, de tudo o que pode representar o ideal de santidade de um Pastor unido à doutrina do intérprete das coisas divinas. Atanásio viveu para o Filho de Deus. Sua causa foi a de Atanásio. Quem estava com Atanásio, estava com o Verbo eterno, e quem maldizia o Verbo eterno, maldizia Atanásio’, comenta Dom Guéranger, o admirável autor eclesiástico do século XIX. É esse grande Santo que comemoramos no dia 2 de Maio.

Um breve resumo das batalhas espirituais de Santo Atanásio de Alexandria:

 

ARIANISMO: HERESIA DEVASTADORA

Deus nosso Senhor permitiu que houvesse várias heresias logo no início da Igreja. Com isso, ao refutá-las, os doutores foram explicitando a verdade católica a partir da Revelação e estabelecendo assim os fundamentos básicos sobre os quais se firmasse a verdadeira doutrina. Uma das heresias que mais dano causou à Igreja, a partir do século III, foi o arianismo, devido ao apoio que encontrou da parte de muitos bispos e imperadores. Na segunda metade do século III, Melécio, Bispo de Lycopolis, rompeu com São Pedro de Alexandria, provocando um cisma que dividiu o patriarcado de Alexandria. Melécio caiu em cisma (ou seja, provocou uma divisão) por ter discordado da indulgência do Santo ao receber de volta à Igreja cristãos arrependidos que, por fraqueza, haviam oferecido incenso aos ídolos para evitar a morte. Ário, homem intrigante, habilidoso, persuasivo, vindo da Líbia, juntou-se aos cismáticos. Elevado ao sacerdócio pelo primeiro sucessor de São Pedro de Alexandria, ambicioso e buscando preeminência, Ário começou a pregar uma nova doutrina, que negava a divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo. Santo Alexandre, novo Patriarca de Alexandria, condenou-a como herética.

 

ATANÁSIO: SUSTENTÁCULO ANTI-ARIANO

‘Jamais, talvez, nenhum chefe de heresia possuiu em mais alto grau que Ário as qualidades próprias para esse maldito e funesto papel. Instruído nas letras e na filosofia dos gregos, dotado de uma rara fineza de dialética e de linguagem, ele conseguia dar ao erro o aspecto e o atrativo da verdade. Seu exterior ajudava a sedução. Seu orgulho se disfarçava sob uma simples vestimenta, sob um olhar modesto, recolhido, mortificado, que lhe dava um falso ar de santidade, e ao qual ele sabia aliar um trato gracioso e um tom doce e insinuante’. Isso lhe abriu a porta dos grandes e poderosos do mundo. Eusébio de Cesaréia lhe concedeu asilo e o protegeu. Eusébio de Nicomédia tornou-se seu mais forte defensor. Por isso sua heresia estendeu-se séculos afora, provocando grande mal à Igreja. (Qualquer semelhança de atitude com alguma proeminente ‘novidade’ religiosa populista entre nós, nos dias de hoje, com certeza não é mera coincidência...)* O crescimento e o tumulto da nova heresia preocupou o Imperador Constantino, que enviou o mais venerado Prelado da época, Ósio de Córdoba, à Alexandria, para tentar fazer cessar a ‘epidemia’. Este, estando com Santo Atanásio, reconheceu logo sua ortodoxia; bem como a má-fé e erro de Ário. Por isso, aconselhou o Imperador a convocar um concílio em Nicéia, para condenar a nova heresia. Neste foi composto o famoso Credo de Nicéia, que alguns heresiarcas assinaram constrangidos, e outros, recusando-se a fazê-lo, foram exilados. Foi ali, na grande assembléia, que um pequeno grande homem, secretário de Santo Alexandre, se fez notar pelo fogo de suas palavras, eloquência e amor à ortodoxia católica. Era ele Atanásio.

 

MOLDADOR DOS ACONTECIMENTOS

‘Atanásio era uma dessas raras personalidades que deriva incomparavelmente mais de seus próprios dons naturais de intelecto do que do fortuito da descendência ou dos que o rodeiam. Sua carreira quase personifica uma crise na história da Cristandade, e pode-se dizer dele que mais deu forma aos acontecimentos em que tomou parte do que foi moldado por eles’. A esta descrição psicológica devemos acrescentar sua fé profunda e inabalável, a serviço da qual colocou suas qualidades naturais. De estatura abaixo da média (pelo que foi objeto de debique por parte do apóstata Juliano), segundo seus biógrafos, era de compleição magra, mas forte e enérgico. Tinha uma inteligência aguda, rápida intuição, era bondoso, acolhedor, afável, agradável na conversação, mas alerta e afiado no debate. A História não guardou o nome de seus pais. Pela alta formação intelectual que ele demonstra ainda jovem, julga-se que pertencia à classe mais elevada.

 

JOVEM PATRIARCA DE ALEXANDRIA

Ainda adolescente, foi notado e apreciado por Santo Alexandre, que o tomou sob sua proteção e, com o tempo, o fez seu secretário. No Concílio de Nicéia ainda não havia recebido a ordenação. Mas, cinco meses depois, Santo Alexandre, ao falecer, designou-o como seu sucessor na Sé de Alexandria. Atanásio tinha apenas trinta anos de idade. Triste herança recebeu o jovem bispo. Durante seus primeiros anos de episcopado, os melecianos e arianos juntaram-se para tumultuar o povo e lançar o espírito de revolta, de que se alimentam as heresias. Pois o arianismo, se bem que tivesse um suposto fundamento religioso, era mais um partido político de agitadores, como muitos movimentos da esquerda católica de hoje em dia. Não havia calúnia, difamação e ardil que os arianos não inventassem contra Atanásio, para minar sua autoridade. O Imperador Constantino, perdendo sua mãe Santa Helena, ficou sob a influência de sua irmã Constância, conquistada pela heresia. A pedido dela, fez voltar do exílio os hereges exilados em Nicéia, enquanto perseguia os católicos ortodoxos.

 

A ASTÚCIA DOS SANTOS

Apenas retornado do exílio, Eusébio de Nicomédia convoca um concílio em Cesaréia, sede do outro Eusébio ariano, para condenar Santo Atanásio. Este é intimado a comparecer em Tiro — para onde o concílio havia sido transferido — a fim de responder às acusações assacadas contra ele. Fizeram entrar uma mulher de cabelos desgrenhados que, com altos gritos, acusou o Santo de ter dela abusado. Um dos padres de Atanásio, percebendo o jogo, levantou-se e foi até a impostora, exclamando: ‘Como! Então é a mim que imputas esse crime?!’ Ela, que não conhecia Atanásio, replicou: ‘Sim, é a ti. Eu bem te reconheço’. Houve uma gargalhada geral, e a miserável fugiu cheia de confusão. Mas isso não desarmou os impostores. Mostrando uma mão ressequida, afirmaram pertencer a um tal Arsênio, que havia tempos desaparecera, e certamente fora esquartejado por Atanásio para efeitos de magia. Atanásio faz entrar na sala o próprio Arsênio, que descobrira na solidão do deserto. Mostrando-o, disse aos acusadores: ‘Vejam Arsênio, com suas duas mãos. Como o Criador só nos deu duas, que meus adversários expliquem de onde tiraram essa terceira’. Os hereges, confundidos, provocaram verdadeiro tumulto e suspenderam a sessão.

 

EXÍLIO CAUSADO POR AMOR À ORTODOXIA

Com calúnias e outros artifícios, os hereges, que gozavam do prestígio do poder imperial, conseguiram que o Santo fosse exilado cinco vezes. O primeiro exílio, em Treveris, durou cinco anos e meio, terminando em 337 quando, com a morte de Constantino, seu filho do mesmo nome chamou Atanásio para ocupar novamente sua Sé. No ano anterior, Ário, sentindo-se mal quando era levado em triunfo pelos seus partidários, teve que retirar-se a um lugar escuso, onde morreu com as entranhas nas mãos. Entretanto, morto o heresiarca, não morreu a heresia, que em 340 conseguiu impor um bispo herege em Alexandria, tendo Atanásio que fugir para o exílio em Roma. Foi bem acolhido pelo Papa, que condenou o intruso. Atanásio passou três anos em Roma, onde introduziu os monges do Oriente. Publicou na Cidade Eterna grandes obras contra os hereges arianos. Em 343 foi exilado para a Gália. A década de 346 a 356 foi o período de ouro para Atanásio na Sé de Alexandria. Pôde dedicar-se inteiramente ao ministério episcopal, instruindo o clero e o povo, dedicando-se aos necessitados e favorecendo a vida monástica. Sobretudo, fortaleceu na fé os católicos fiéis. Em um novo concílio, em Milão, em 356, os arianos obtiveram que Santo Atanásio fosse mais uma vez exilado. Ele retirou-se então para o deserto do alto Egito, levando uma vida de anacoreta durante os seis anos seguintes, vivendo com os monges e dedicando-se a seus escritos.

 

PERSEGUIÇÃO INCLEMENTE AO SANTO

Com a subida de Juliano, o Apóstata, ao trono imperial, Atanásio pôde voltar, em 362, a Alexandria. Mas, pouco depois, ciumento do prestígio do Santo, o ímpio imperador mandou exilá-lo de novo. Não foi por muito tempo, pois Juliano faleceu no ano seguinte, depois de ter tentado restaurar no Império o paganismo. O novo imperador, Joviano, anulou o exílio de Atanásio, que voltou mais uma vez a Alexandria. Favorecido com a boa vontade do novo Imperador, o patriarca pensava desta vez poder dedicar-se inteiramente às suas ovelhas. Joviano, entretanto, faleceu no ano seguinte, e Atanásio foi mais uma vez exilado. Conta-se que teve de refugiar-se durante quatro meses no túmulo de seu pai. O povo de Alexandria não podia passar sem seu zeloso pastor. Recorreu nessa ocasião a Valente, irmão do Imperador ariano Valentiniano, e obteve que Atanásio pudesse voltar em paz à sua igreja. Assim, depois de uma vida tão tumultuada e de tantos perigos, Santo Atanásio, como ressalta o Breviário Romano, ‘morreu em paz em seu leito’, no dia 18 de janeiro de 373. Havia governado, com intervalos, durante 46 anos, a igreja (diocese) de Alexandria.

 

O GRANDE ILUMINADOR

‘No caráter de Atanásio — disse Bossuet — tudo é grande. Toda sua vida é a revelação de uma energia prodigiosa, que só encontramos em épocas decisivas. Indiscutivelmente sua grandeza como homem o coloca na primeira linha dos caráteres mais admiráveis que produziu o gênero humano. Como escritor e Doutor pôde ser chamado de o grande iluminador e coluna fundamental da Igreja’.

 

 

Fonte: http://www.ecclesia.com.br/biblioteca/pais_da_igreja/s_atanasio_de_alexandria.html   via   www.rainhamaria.com.br

 

 


Busca


Sábado, 22 de Setembro de 2018





Acessos

Curta nossa página no facebook



Rainha Maria

Glória de Deus

Mulher Vestida de Sol