‹ voltar

'Pois nada há de oculto que não venha a ser revelado, e nada em segredo que não seja trazido à luz do dia.' (Marcos 4, 22)


Símbolos e logos usados por pedófilos para identificar preferências sexuais (Relatório produzido pelo FBI)

 

Este é um documento confidencial, produzido pelo FBI, e divulgado (vazado) pelo Wikileaks. WikiLeaks é uma organização transnacional sem fins lucrativos, sediada na Suécia, que publica, em sua página (site), postagens (posts) de fontes anônimas, documentos, fotos e informações confidenciais, vazadas de governos ou empresas, sobre assuntos sensíveis.

Este documento do FBI visualmente explosivo revela os símbolos secretos que os pedófilos organizados usam para reconhecer uns aos outros e é provável que seja de amplo interesse para os leitores, especialmente para os pais. Wikileaks verificou o documento.

O Wikileaks acredita que a informação será útil para os pais e outros cuidadores no reconhecimento de pedófilos. Os jornalistas afiliados ao Wikileaks obtiveram o documento através de redes de ‘literatura erótica infantil’ na Espanha.

Os pedófilos que abusam sexualmente de crianças, bem como aqueles que produzem, distribuem e comercializam pornografia infantil, estão usando vários tipos de símbolos ou logotipos de identificação para reconhecer um ao outro e distinguir suas preferências sexuais. Para indicar especificamente a preferência de gênero do pedófilo, os membros de organizações pedófilas incentivam o uso de descrições como ‘boylove’, ‘girllove’ e ‘childlove’. Esses símbolos foram gravados em anéis e formados em pingentes, e também foram encontrados impresso em moedas.

 

Acesse o documento diretamente dos arquivos do Wikileaks clicando no link abaixo:

https://file.wikileaks.org/file/FBI-pedophile-symbols.pdf

 


 

Conheça também

Breve história do ativismo pedófilo

(Cristian Derosa, em 01-10-2015)

Harriot Harmon (esquerda) é hoje vice-líder do Partido Trabalhista britânico e faz parte do Conselho para o bem estar da criança. Na década de 1970, era ativista pela pedofilia no movimento PIE.Harriot Harmon (esquerda) é hoje vice-líder do Partido Trabalhista britânico e faz parte do Conselho para o bem estar da criança. Na década de 1970, era ativista pela pedofilia no movimento PIE.Existiu, entre 1974 e 1984, na Inglaterra, um movimento de pedófilos chamado PIE (Pedophile Information Exchange), que entre outras coisas lutava no congresso para diminuir a idade de consentimento para relações sexuais, uma espécie de militância pela ‘maioridade sexual’. O movimento recebia dinheiro do governo britânico para a sua atividade por meio de verbas do Serviço de Voluntários do Ministério do Interior. O PIE acabou sendo fechado, na década de 80, depois que as investigações de frequentes escândalos de pedofilia acabaram levando a membros do movimento. Além disso, a sua atividade política começou a se tornar ultrajante para a sociedade britânica.

Entre as ações empreendidas por este movimento durante sua atividade, esteve a luta pela redução da idade de consentimento para QUATRO anos de idade, o que começou a despertar indignação. Mas houve resistência do governo pois a atividade do movimento estava abrigada pelo Conselho Nacional para Liberdades Civis. Ficou claro na época que nenhuma iniciativa pedófila teria exito enquanto a prática mantiver um estigma negativo na sociedade, isto é, contrária a valores tradicionais ainda em voga.

Nos EUA, em 1978, foi criada a NAMBLA (Associação Norte-Americana do Amor entre Homens e Garotos) com o mesmo objetivo do PIE. NAMBLA é considerada a organização mais importante do ativismo pedófilo da atualidade.

Entre 1984 e 1994, pertenceu à ILGA (Associação Internacional de Gays e Lésbicas), mas foi expulsa. O movimento pedófilo alega que a expulsão da ILGA foi devido ao objetivo do movimento internacional de conseguir um status consultivo como ONG nas Organização das Nações Unidas.

A ONU chegou a dar esse status ao ILGA em 1993 mesmo com a associação com o NAMBLA, mas com a ameaça do governo dos EUA de cortar financiamento às Nações Unidas enquanto abrigasse movimentos pedófilos, o ILGA decidiu pela dissociação com o  NAMBLA, sendo então admitido pela ONU no ano seguinte após protestos de organizações pedófilas de outros países.

O ILGA é um dos principais promotores da Ideologia de Gênero na ONU por meio da UNESCO, embora haja hoje centenas de outros movimentos e ONGs feministas empenhadas na causa da educação sexual para idades cada vez menores.

Links pesquisados:
Pedophilia Is A Sexual Orientation Under new California state law!!!
http://www.nambla.org/

Atualmente, no Brasil (Nota do site: artigo produzido em 2015), por meio do Ministério da Educação e Cultura, rios de dinheiro são investidos na elaboração de programas educacionais que levam a temática da Ideologia de Gênero para ser ensinada a creches de todo o país. Essa ideologia, a pretexto de combater a discriminação, oferece às crianças um leque de opções sexuais e orientações possíveis que chama de gêneros.

A mudança de estratégia surtiu efeito. Hoje, na maioria dos países, a educação sexual é comum, embora a pedofilia seja oficialmente proibida. Um dos expedientes caros aos ativistas é a distinção, bastante arbitrária, entre pedófilos e abusadores de crianças. Segundo eles, há o pedófilo inofensivo que somente sente atração sexual por crianças mas não a pratica. Enquanto aos abusadores mantém-se a condenação penal, ao pobre pedófilo caberia tratamento, ajuda e toda a compreensão, cabendo inclusive, quem sabe, uma campanha de combate à discriminação contra ele.

O novo movimento pedófilo está hoje infiltrado nos movimentos LGBT por meio do ‘combate ao preconceito nas escolas’. Diante do preconceito sofrido por crianças com tendências homossexuais, sugere-se o ensino de todo tipo de prática sexual imaginável às crianças da mais tenra idade.

A mais conhecida teórica da Ideologia de Gênero, Judith Butler, porém, afirma que ‘gênero é o seu comportamento’, fazendo do conceito um tipo de cultura ou revolução comportamental. Ora, segundo ela, não há homens ou mulheres, mas simplesmente pessoas. A consequência lógica deste pensamento impõe que não exista nem mesmo preconceito e, no entanto, este é o conceito que está sendo utilizado para ensinar as crianças, a partir dos 4 anos, a explorarem seus corpos e os de seus colegas em busca de prazeres sexuais para, assim, definirem seu ‘gênero’.

A conceituação de Butler, se bem compreendida, já demonstra que não é o problema do preconceito que desejam resolver.

É sabido pela psicologia que para mudar a mentalidade de alguém, basta mudar-lhe o comportamento, pois o indivíduo lutará para adequar o pensamento às ações praticadas anteriormente, de modo a reduzir a dissonância cognitiva. Portanto, a mudança da mentalidade é o alvo principal, fazendo de crianças e adolescentes militantes eficientes pela destruição de todos os padrões morais.

Ao contrário do que muitos podem pensar, a Ideologia de Gênero não torna as crianças homossexuais, mas as transforma em órfãos incapazes de perceber a realidade justamente porque habituam-se a adequá-la aos seus desejos e às ideologias do momento. Convertem as crianças a meros brinquedos de adultos.

Extraído de: http://estudosnacionais.com/reportagem/breve-historia-do-ativismo-pedofilo/

 


 

‘O mal corre no seu desejo desenfreado para causar rapidamente a perseguição global aos Meus filhos e à inocência.’ (Virgem Maria a Luz de Maria, em 5 de abril de 2016)

 

‘...Extravasarão as paixões e haverá total corrupção dos costumes por quase reinar satanás... , o qual visará principalmente a infância a fim de manter com isto a corrupção geral. Ai dos meninos desse tempo! Dificilmente receberão o Sacramento do Batismo e o da Confirmação (II, 5).  (...) A seita, havendo se apoderado de todas as classes sociais, possuirá sutileza para introduzir-se nos ambientes domésticos, que perderão as crianças. Nesse tempo infausto mal se encontrará a inocência infantil. Desta forma perder-se-ão as vocações para o sacerdócio e será uma verdadeira calamidade’ (II, 135). (Nossa Senhor do Bom Sucesso, Quito, Equador, a Madre Mariana de Jesus Torres, em 2 de fevereiro de 1634)

 


Busca


Domingo, 26 de Maio de 2019





Acessos

Curta nossa página no facebook



Rainha Maria

Glória de Deus

Mulher Vestida de Sol