‹ voltar

'E exclamou em alta voz: Bendita és Tu entre as mulheres e Bendito é o fruto do Teu ventre. Donde me vem esta honra de vir a mim a Mãe de meu Senhor.' (Lc.1,42-43)


Uma paróquia de origem profética e milagrosa

 

Vinte e sete anos antes de ocorrer a primeira aparição que fez com que a Virgem Maria se tornasse conhecida mundialmente sob o título de Nossa Senhora das Graças (Paris-1830), em uma cidade do Rio Grande do Sul (Arroio Grande – 1803) ela já começava a ser honrada e venerada sob o título ‘Nossa Senhora da Graça’.

O reconhecimento da intercessão da Virgem Mãe e sua dispensação de Graça, ao realizar um milagre a um menino daquela cidade, levou todos os moradores da região a elevá-la ao título de padroeira da cidade de Arroio Grande, tendo sido construída uma capela em sua homenagem.

Vamos ao resgate desta história...

Igreja Matriz de Arroio Grande, tendo à frente a Praça Maneca Maciel.Igreja Matriz de Arroio Grande, tendo à frente a Praça Maneca Maciel.

Artigo:

Todos nós sabemos que a devoção a Nossa Senhora das Graças e a Medalha Milagrosa teve início na noite de 18 para 19 de julho de 1830, quando o santo Anjo da guarda da freira Catarina Labouré, da Congregação Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, manifestou-se a ela na figura de um menino vestido de branco, dizendo-lhe: ‘Venha a Capela, a Santa Virgem te espera...’

Na segunda Aparição, em 27 de novembro de 1830, Nossa Senhora apareceu-lhe também na Capela, enquanto rezava, vestida de seda branca como a aurora, as mãos erguidas à altura do peito segurando um globo de ouro, encimado por uma cruz; tinha os olhos erguidos para o Céu e seu rosto iluminava-se ao oferecer o globo a Nosso Senhor. Enquanto se saciava em contemplá-la, Catarina ouviu uma voz que lhe disse: ‘Esse globo que vês representa o mundo inteiro, especialmente a França e cada pessoa em particular. Os raios são o símbolo das Graças que derramo sobre as pessoas; os raios mais espessos correspondem as Graças que alcanço para as pessoas que se recordam em pedir; os mais delgados são as Graças enviadas aqueles que não se lembram de reivindicar.

Enquanto a Mãe de DEUS e nossa continuava envolvida por uma luz brilhante, o globo desapareceu de suas mãos e formou-se em torno da Virgem Santíssima um quadro oval contornado por letras de ouro que formavam a seguinte frase: ‘Oh! MARIA concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós!’ Então mais uma vez se fez ouvir uma voz que disse ‘Faz cunhar uma medalha conforme esse modêlo. As pessoas que a trouxerem no pescoço receberão muitas Graças. As Graças serão abundantes para que os a trouxerem com inteira confiança’. No mesmo instante a imagem luminosa transformou-se: As mãos que sustentavam o globo abaixaram-se abrindo-se derramando raios sobre o globo, que agora situava-se sob os pés da Santíssima Virgem que pisava sobre ele a cabeça de uma serpente. Depois o quadro da visão voltou-se mostrando no reverso um conjunto de emblemas: No centro um grande M, o monograma de MARIA, encimado pela Cruz de CRISTO sobre uma barra. Abaixo do monograma havia dois corações: o da esquerda cercado de espinhos, e o da direita transpassado por uma espada; eram os corações de JESUS e de MARIA; cercando esse conjunto, em forma oval, uma constelação de doze estrelas.

Nessa época Paris sofria com a peste que matava milhares de pessoas todos os dias. As irmãs de são Vicente de Paulo que serviam nos hospitais, começaram a distribuir as primeiras medalhas para os vitimados por tão mortífera doença, e, muitos milagrosamente foram curados; por isso o povo a denominou Medalha Milagrosa.

Portanto, após este breve resumo ficou claro que a devoção a Nossa Senhora das Graças e a medalha por ELA pedida, surgiu na França, em Paris, no ano de 1830, em consequência das Aparições de Nossa Senhora a Santa Catarina Labouré.

Vejam a seguir o motivo deste artigo:

Neste mês de julho (2004) recebi de uma irmã de caminhada na fé a revista ‘Tempos’ (março/ 2004) que conta a história de Arroio Grande, localizada no extremo sul do Rio Grande do Sul, ao lado da BR 116, entre Pelotas e Jaguarão (fronteira com o Uruguai), na qual chamou-me muito a atenção o histórico da fundação da cidade que resumidamente transcrevemos a seguir:

Vista frontal da Igreja Nossa Senhora da Graça, em Arroio Grande.Vista frontal da Igreja Nossa Senhora da Graça, em Arroio Grande.

4. SURGE UMA IGREJA, NASCE UMA CIDADE

O núcleo urbano mais primitivo de Arroio Grande teve como centro a Igreja e seu jardim (hoje Praça Maneca Maciel) a exemplo da maioria das cidades brasileiras. A primeira Igreja e seu jardim se localizaram onde hoje está a Igreja Matriz e a Praça Maneca Maciel. Ainda, como referência o relato do Padre Neves:

- ‘ Nos primórdios do século passado (1803) surgiu a idéia entre as famílias dos Souza e dos Ferreira de se construir uma igrejinha nestas plajas. E surgiu também uma divergência. Os Ferreira queriam a igreja do outro lado do arroio, e os Souza deste onde atualmente se encontra. Recorreram ao Padre Thomaz para resolver a contenda. E ele recorreu a uma sentença salomônica: Onde se fizesse primeiro uma igreja em que se pudesse rezar uma Missa, aí ficaria ela definitivamente.

 

A PROFECIA (observação do autor deste artigo)

Os de lá começaram logo a construir uma capela de material, cujo vestígio dos alicerces ainda deve existir.

Os de cá aparentemente nada faziam. Um dos Souza, Manuel de Souza Gusmão (neto de Manuel Jerônimo Souza) era casado com D. Maria Pereira das Neves (descendente de Francisco Soares Louzada), cuja família morava 12 quilômetros mais abaixo, na mesma margem do arroio Grande, e lá, às escondidas, o carpinteiro João Ferreira construía uma igrejinha de madeira sobre rodas. Uma vez terminada, não foi difícil uni-la aos bois e transportá-la, à noite, por uma estrada, naturalmente plana. E, numa radiosa manhã de 1803, ao amanhecer o dia, estava a igrejinha de Nossa Senhora da Graça (27 anos antes da Mãe de DEUS aparecer na França para Santa Catarina Labouré, e denominar-se Nossa Senhora das Graças) no seu lugar e o sino alegremente bimbalhando, chamando para a Missa. O Padre Thomaz Pereira Machado avisado de antemão, rezou a primeira Missa no Arroio Grande.

Por isso é dito e afirmado que o Padre Thomaz foi o principal responsável pelo inicío do povoamento urbano (cidade).

O orago da capela ficou sendo Nossa Senhora da Graça, com sua festa no dia 8 de dezembro, portanto Nossa Senhora da Graça da Conceição Imaculada. Hoje, a imagem da Padroeira que está no altar-mor da Igreja Matriz e na coluna ao centro da Praça Maneca Maciel não é a da Padroeira, é a de Nossa Senhora das Graças. Naquele tempo o titulo e imagem de Nossa Senhora das Graças nem existiam na Igreja Católica  (Nota do Padre Neves).

 

n/d

5. A PROMESSA ( E O MILAGRE)

Em 1812, apesar de já existir a pequena capela de madeira, Manuel de Souza Gusmão e sua esposa Maria Pereira das Neves (da família do Padre Neves) doaram uma grande área de suas terras para ser aforada (vendida, doada, etc.), e as esmolas que desse aforamento se obtivesse, seriam empregadas nas obras da igreja de Nossa Senhora da Graça, conforme se lê na escritura do terreno, a qual só foi feita definitivamente em 1826. A administração desse terreno que corresponde às quadras em volta da Igreja, coube à Irmandade Nossa Senhora da Graça. Com esses e outros auxílios foi possível construir-se uma nova igreja de pedra.

A doação teria sido feita (confirmado por descendentes) em pagamento de uma promessa a Nossa Senhora da Graça em dia de grande angústia na família Souza Gusmão: um filho do casal, com 14 anos, ao passar o arroio cheio, caiu nas águas correntosas, sendo encontrado semi-morto três dias mais tarde, enredado em unhas de gato (vegetação abundante ao longo do arroio grande) apenas com a cabeça fora d´água. Socorrido, voltou a si e salvou-se. Sua mãe atribuiu o fato à promessa que havia feito para Nossa Senhora da Graça (alguém duvida? Passaram-se 3 dias!) de que se o encontrasse com vida doaria o terreno para a construção da capela definitiva. Não há documentos que possam comprovar cientificamente o fato (para quem tem fé e acredita no grande poder de intercessão da Mãe de DEUS, nem precisa), mas o certo é que a cidade surgiu em cima desse terreno, havendo a escritura de doação.

Outra visão da Igreja e da Praça - Arroio Grande/RS.Outra visão da Igreja e da Praça - Arroio Grande/RS.

6. A HISTÓRIA CONTINUA...

Em 1815, a capela de Nossa Senhora da Graça foi erguida canonicamente e foi confirmada, pelo Rei D. João VI no ano de 1821, ficando filiada à Paróquia do Espírito Santo, de Jaguarão. Em 1822, a Capela de Nossa Senhora da Graça foi elevada à Categoria de Capela curada, isto é, com direito a um Cura (Vigário)’ .

Portanto estimados irmãos em CRISTO os fatos aí estão, em um pequeno vilarejo no extremo sul do Brasil, em 1803, DEUS ESPÍRITO SANTO inspirava pessoas simples e humildes a anteciparem em 27 anos, o que Nossa Senhora revelaria apenas em 1830, na França, à freira Catarina Labouré; e mais, confirmando o desfecho dos acontecimentos com um impressionante milagre!


Observação final: Enquanto elaborava este texto, e não tendo ainda me decidido a divulgá-lo, eis que recebo um telefonema de uma pessoa muito católica, de oração e que recebe, por locuções interiores durante a oração, Revelações particulares, o seguinte recado: ‘Hoje, enquanto rezava, manifestou-se para mim alguém que não conhecia... ‘Seu nome: Monsenhor Thomé José Lunelli, dizendo entre outras orientações o seguinte: 'Que benção! DEUS na Sua infinita bondade e misericórdia permitir que eu viesse falar contigo... O texto sobre a Paróquia deve ser publicado, avisa o...’.

Após pesquisarmos, constatamos que o referido Monsenhor, falecido já há vinte anos, foi Pároco nessa referida Paróquia, entre as décadas de 1920 a 1950.  A partir daí, apressei a publicação. DEUS seja louvado!

Interior da Igreja Nossa Senhora da Graça.Interior da Igreja Nossa Senhora da Graça. A Padroeira de Arroio Grande: Nossa Sra da Graça (centro da Praça Maneca Maciel).A Padroeira de Arroio Grande: Nossa Sra da Graça (centro da Praça Maneca Maciel).

Para quem tem fé nenhuma prova é necessária, mas para quem não tem, nem todas as provas serão suficientes...’

 

‘... porque olhou para sua pobre serva. Por isto desde agora, Me proclamarão bem-aventurada todas as gerações.’   (Lc.1,48)

 

‘Naquela mesma hora, JESUS exultou de alegria no ESPÍRITO SANTO e disse: ‘PAI, Senhor do Céu e da terra, EU te dou graças porque escondestes estas coisas aos sábios e inteligentes

e as revelastes aos pequeninos. Sim, PAI, bendigo-te porque assim foi do teu agrado.’(Lc. 10,21)


 

Elaborado por GMV, ex-morador de Arroio Grande.

Visto em: http://www.imaculadamaria.com.br

 

 


Busca


Domingo, 26 de Maio de 2019





Acessos

Curta nossa página no facebook



Rainha Maria

Glória de Deus

Mulher Vestida de Sol