‹ voltar



JNSR pergunta a Jesus: ESTAREMOS NÓS VERDADEIRAMENTE NO FIM DOS TEMPOS? OU TEREMOS DE ESPERAR AINDA OUTROS TORMENTOS, NESTA TERRA? (04-11-1993)

Extraído da obra intitulada ‘Testemunhas da Cruz’, que transcreve os diálogos da confidente J.N.S.R. (do francês: Je Ne Suis Rien = Eu não sou nada) com Jesus. Mensagem recebida em 04 de novembro de 1993.

 

‘Aquele que recebeu a mais brilhante palma’

J.N.S.R fala: ’Meu DEUS, PAI Eterno, estaremos nós verdadeiramente no Fim dos Tempos? Ou teremos de esperar ainda outros tormentos, nesta Terra?

Jesus:

‘EU grito-vos, a todos, para vos despertar, a fim de ME compreenderdes. EU não quero a vossa perda, mas vós continuais surdos ao Meu Apelo. Os Céus, que ouvem a Minha Voz, veem todos os Meus Santos recolher-se numa única Oração de Adoração ao vosso Redentor. Por que duvidais vós de que um DEUS morreu por vós, um DEUS que seu deixou crucificar por vós?

DEUS derramou o seu Sangue por vós, para que vós tenhais o Perdão do Pai e a Sua Tríplice Benção. Como poderá DEUS Filho, que se fez obediente até a Cruz, olhar-vos agora, sem que o Seu Corpo estremeça de novo, pelas Dores que cada um de vós Lhe tem causado?! ... E vós ainda continuais! ...

Sois filhos sem coração e sem espírito, na medida em que ocupais o vosso espírito em coisas fúteis e materiais, enquanto o Fim dos Tempos se aproxima a passos largos deste mundo dilacerado pelas guerras, pelo fogo, pelas fomes e por doenças sem nome; este mundo, continua a arrastar com ele trapos humanos sem DEUS.

NÃO, não deveis esquecer-vos de que viveis pela Graça de Deus; de que, se ainda respirais, o vosso espírito já não é mais vivo que esses corpos sem vida que jazem nos túmulos.

Como fazer-vos compreender que os Céus começam a abalar-se, tal como a vossa Terra, para mostrar-vos o ERRO do mundo? Já não poderão cobrir-vos com a Sua proteção, na medida em que rejeitastes a Proteção de DEUS.

Os ventos desencadeiam-se, na intenção de arrastar as imundícies que correm sobre a Terra, sobre todos os homens. Não posso deter a fúria das águas, que obedecem à Ordem criada. As águas já não podem ver todo esse mal, toda essa desordem. Já não há amor; o ódio, a cólera e a luxúria devastam o mundo que DEUS criou tão belo. E o homem, que não tem sabido conservar o Patrimônio de DEUS, em todo o seu esplendor primitivo, torna-se um pobre pulgão incapaz de deter o desfraldar das revoltas naturais.

As águas reuniram-se, águas do Céu, águas da Terra, na intenção de se unir para dar a DEUS um reconforto e tranquilidade ao Seu Sofrimento. Já não podem olhar para DEUS sem ver a Sua pena imensa, o Seu verdadeiro desânimo, causado pelas liberdades humanas; todas essas liberdades que fizeram dos homens, filhos da miséria, seres que deram à palavra liberdade, o rosto da morte anônima: ela assassina tudo. Em nome da liberdade, homens e coisas, saber e força, passaram, a ser inimigos entre si, já não podem receber a paz de DEUS, porque rejeitaram DEUS.

 As águas do mar tornaram-se pobres em habitantes: as águas das ribeiras passaram a ser cemitérios de habitantes. Os bosques, as planícies, os vales, os valezinhos, tornaram-se terras onde crescem vegetações em vias de extinção, porque o homem tocou no Sagrado, já não raciocina com o seu espírito em DEUS, mas com o seu espírito sem DEUS.

 E então, tudo faz para esgotar os terrenos e tirar o máximo de tudo o que cresce na Terra, como se tratasse da última geração e, depois dele, não viesse a haver mais vida. O seu egoísmo, a sua avidez escondem-lhe a Minha Verdade. Sim, a Minha Terra contém a vida, e querendo multiplicar os vossos ganhos, vós tendes feito morrer as suas próprias fontes tirando-lhe com um excesso de energias químicas.

 A Minha Terra vomita as vossas colheitas que acabam de apodrecer, na medida em que essa mesma Terra está asfixiada. As águas não podem deixar morrer a Minha Terra, elas lavam tudo. Todo esse vosso avanço para a morte, toda a vossa avidez, todo o vosso orgulho. Rompem todas as barragens materiais ou humanas e arrastam tudo o que está à sua volta, porque a sua ira é cega.

As águas excitam-se, levando a sua frente a lama do Mundo.

A Terra excita-se, sepultando nela todo o germe de vida.

Os ventos excitam-se, a ponto de atirar com os continentes para fora do seu lugar.

Depressa a montanha virá em socorro de todos estes elementos indignados. A carga das condenações vai dar-lhe um espesso manto de neve que vai fazer estalar até as mais duras rochas que vão aluir. E a massa nevada vai descer como um foguetão, arremessado pela energia da revolta.

Já nesse momento as cidades estarão em vias de morrer sob o fogo e sob o sangue. Ficai sabendo que NADA pode dar a Vida. DEUS é o Senhor da Vida.

O saber dos homens tenta fabricar seres sem alma nos laboratórios, enquanto esses mesmos homens matam a vida que EU mesmo dou.

Eis cidades que vão passar a ser ruínas fumegantes, porque EU proíbo que se obtenha a vida, como proíbo que se dê animação a um ser que DEUS não criou. Cidades inteiras vão sofrer muito, para resistir aos males que vão cair sobre elas; pobres populações!

A revolta da natureza é uma revolta salutar e santa, porque a natureza pertence a DEUS. Cidades vão chorar os seus mortos; e só DEUS reconhecerá os Seus, nesse terrível amálgama das coisas e dos homens, unidos nesse caos sem nome.

SIM, virei retirar os que perecem e Me pertencem.

SIM, protegei com a Minha própria Mão, as crianças que irão ver-se nesse Mundo, sem teto, sem alimento e sem calor humano.

SIM, os Meus filhos do sofrimento serão esta nova geração que terão visto a morte do homem sem DEUS.

Virão como anjos atirados para a Minha Santa Presença, porque EU próprio Me mostrarei a eles. E, então, de todo esse horrível pesadelo apocalíptico, vos farei passar para esse Mundo Novo, transmitir-vos-ei a Minha Alegria, a fim de que nenhum ser, chamado a viver depois desse caos, possa lembrar-se de que DEUS foi rejeitado e zombado como nunca, desde o Princípio do Mundo.

Depois de ter percorrido todos os séculos, DEUS verá enfim cumprir-se uma tal realização. O homem verá DEUS na mais bela e luminosa Obra de DEUS: A Salvação dos homens na Santidade de DEUS.

A Terra brilhará de mil clarões de todas as cores, luzes de Amor, porque o Sol de Justiça terá apagado todos os fogos ateados pelo mal e a luz divina fará brilhar centelhas sobre todas as coisas, a fim de abençoar e santificar o Mundo inteiro. Eis o Dom de DEUS: A Sua Terra renovada, em que os Céus cantarão, porque DEUS fará descer a Sua Jerusalém Celeste:

DEUS no meio dos homens, os homens com DEUS.

n/d

A Santíssima Cruz de Jesus será o Farol das Nações. Ela mesma chamará todas as Nações a subir ao Seu encontro. A Minha Cruz dominará toda a Terra, até perfurar a abóbada dos céus, a fim de mostrar ao homem a grandeza da Cruz, que é o Sinal de DEUS pela qual todo o homem obteve a sua salvação; salvação de Graça três vezes Santa, porque a Trindade Santíssima cantará o Hosana.

Minha Mãe Bendita terá nos Seus Braços aquele que recebeu nesta era a palma mais brilhante, a mais perfumada, a mais meritória, a vosso Santo papa que, com o PAI, o FILHO e o ESPÍRITO SANTO, lhe será dado e repousará nos Braços de MARIA, porque ELA é Minha Mãe Santíssima e seu filho, Sou EU Mesmo que lhe dou.

Filha, EU te o disse: ele tem as qualidades de todos os Apóstolos reunidos: ele é o Meu Pedro; ele assemelha-se a João; evangeliza como Paulo.

Os filhos de MARIA estarão todos reunidos pela Minha Santa Mãe, pelos séculos dos séculos. Amém.

‘DEUS de Misericórdia, abre-nos o Teu Sagrado Coração, única Morada que resistirá a todos os males da Terra.’ Amém.

 

Extraído de: http://www.derradeirasgracas.com

Busca


Domingo, 13 de Outubro de 2019







Acessos

Curta nossa página no facebook



Rainha Maria

Glória de Deus

Mulher Vestida de Sol