‹ voltar

"Lançarás muita semente ao campo; porém colherás pouco, porque o gafanhoto a consumirá." (Deuteronômio 28, 38)


"EIS QUE VÊM DIAS, DIZ O SENHOR DEUS, EM QUE ENVIAREI FOME SOBRE A TERRA" (Amós 8, 11-12) Praga de gafanhotos afeta mais de 70% das culturas em Villa Montes, Bolívia

n/d  
           29 de fevereiro de 2020

Com a frase: “Não sabemos o que fazer, se vamos semear ou não. Não sabemos se vamos continuar produzindo. Gafanhoto é um problema sério que se espalhará por todo o Chaco”, Eyber Ontiveros, produtor da localidade de Pie de Monte, no município de Villa Montes, em Tarija, referiu-se à praga de gafanhotos que afeta essa região da Bolívia desde finais de janeiro.

Segundo Ontiveros, que também é membro do Comitê de Emergência e Controle em Villa Montes, entre 60 e 70% das culturas de milho e hortaliças foram devoradas pelos insetos. Entre as comunidades mais afetadas, segundo Ontiveros, estão Tarairí, Ipa e Lagunitas.

Da mesma forma, os gafanhotos têm causado estragos aos fazendeiros villamontinos. Róger Villa, chefe da Federação de Pecuaristas de Chaco (Fegachaco), explicou que as 29 filiais que compõem a entidade sofreram algum problema com esses insetos. "Nossos quase 1.250 sócios têm algum tipo de afetação", disse ele.

Villa disse que os gafanhotos não apenas comem o pasto dos animais (cerca de 160.000 cabeças de gado), mas "pulam" no bosque, o que também afeta a alimentação que o gado teria para mordiscar.
O controle do gafanhoto é deficiente, segundo o dirigente, porque é feito manualmente, uma vez que, se realizado de forma aérea, seriam danificados os apiários existentes na área, considerada uma das maiores produtoras de mel no país.

Diante da situação adversa, Fegachaco enviou uma carta à ASFI, através da Confederação dos Produtores de Gado da Bolívia, pedindo tolerância financeira para todos os agricultores de Villa Montes.

Abraham Cuéllar, chefe do escritório da Senasag em Villa Montes, informou que as brigadas de técnicos estão trabalhando (e trabalharão durante o final de semana) para obter dados precisos na segunda-feira sobre a quantidade de culturas danificadas e produtores afetados. O funcionário explicou que tanto o Governador quanto o Prefeito disponibilizaram tratores para montar essas equipes e fumigar as terras invadidas pelos insetos. Além disso, eles contam com mochilas fumigadoras para realizar este trabalho em áreas de floresta. "Estimamos que, no transcurso da próxima semana, se incorporem brigadas com equipes de outras partes do país", disse Cuellar.

Por sua parte, Roberto Salazar, diretor do Serviço Agropecuário Regional, disse que o problema está piorando, pois as mangas de gafanhotos (uma manga pode ter de cinquenta a oitenta milhões de gafanhotos) se mudaram para a planície do Chaco e atacaram as plantações de comunidades localizadas na rota que se dirige ao Paraguai. Segundo Salazar, o ataque dos insetos fará com que a pouca produção que resta tenha um alto custo para os consumidores.

Enquanto isso, Gróver Guzmán, secretário municipal de Desenvolvimento Produtivo, disse que estão trabalhando com os produtores para identificar quando devem pulverizar os locais onde os insetos se instalam.

Fonte: https://viralbolivia.info/2020/02/plaga-de-langostas-afecta-a-mas-del-70-de-los-cultivos-en-villa-montes/

 


De acordo com o relato bíblico, a praga de gafanhotos foi a oitava praga que atingiu o Egito.

 

“Depois disse o SENHOR a Moisés: Vai a Faraó, porque tenho endurecido o seu coração, e o coração de seus servos, para fazer estes meus sinais no meio deles,
E para que contes aos ouvidos de teus filhos, e dos filhos de teus filhos, as coisas que fiz no Egito, e os meus sinais, que tenho feito entre eles; para que saibais que eu sou o Senhor.
Assim foram Moisés e Arão ao Faraó, e disseram-lhe: Assim diz o Senhor Deus dos hebreus: Até quando recusarás humilhar-te diante de mim? Deixa ir o meu povo para que me sirva;
Porque se ainda recusares deixar ir o meu povo, eis que trarei amanhã gafanhotos aos teus termos.
E cobrirão a face da terra, de modo que não se poderá ver a terra; e eles comerão o restante que escapou, o que vos ficou da saraiva; também comerão toda a árvore que vos cresce no campo;
E encherão as tuas casas, e as casas de todos os teus servos e as casas de todos os egípcios, quais nunca viram teus pais, nem os pais de teus pais, desde o dia em que se acharam na terra até o dia de hoje. E virou-se, e saiu da presença de Faraó.
E os servos de Faraó disseram-lhe: Até quando este homem nos há de ser por laço? Deixa ir os homens, para que sirvam ao Senhor seu Deus; ainda não sabes que o Egito está destruído?
Então Moisés e Arão foram levados outra vez a Faraó, e ele disse-lhes: Ide, servi ao Senhor vosso Deus. Quais são os que hão de ir?
E Moisés disse: Havemos de ir com os nossos jovens, e com os nossos velhos; com os nossos filhos, e com as nossas filhas, com as nossas ovelhas, e com os nossos bois havemos de ir; porque temos de celebrar uma festa ao Senhor.
Então ele lhes disse: Seja o Senhor assim convosco, como eu vos deixarei ir a vós e a vossos filhos; olhai que há mal diante da vossa face.
Não será assim; agora ide vós, homens, e servi ao Senhor; pois isso é o que pedistes. E os expulsaram da presença de Faraó.
Então disse o Senhor a Moisés: Estende a tua mão sobre a terra do Egito para que os gafanhotos venham sobre a terra do Egito, e comam toda a erva da terra, tudo o que deixou a saraiva.
Então estendeu Moisés sua vara sobre a terra do Egito, e o Senhor trouxe sobre a terra um vento oriental todo aquele dia e toda aquela noite; e aconteceu que pela manhã o vento oriental trouxe os gafanhotos.
E vieram os gafanhotos sobre toda a terra do Egito, e assentaram-se sobre todos os termos do Egito; tão numerosos foram que, antes destes nunca houve tantos, nem depois deles haverá.
Porque cobriram a face de toda a terra, de modo que a terra se escureceu; e comeram toda a erva da terra, e todo o fruto das árvores, que deixara a saraiva; e não ficou verde algum nas árvores, nem na erva do campo, em toda a terra do Egito.
Então Faraó se apressou a chamar a Moisés e a Arão, e disse: Pequei contra o Senhor vosso Deus, e contra vós.
Agora, pois, peço-vos que perdoeis o meu pecado somente desta vez, e que oreis ao Senhor vosso Deus que tire de mim somente esta morte.
E saiu da presença de Faraó, e orou ao Senhor.
Então o Senhor trouxe um vento ocidental fortíssimo, o qual levantou os gafanhotos e os lançou no Mar Vermelho; não ficou um só gafanhoto em todos os termos do Egito.”
(Êxodo 10:1-19)

 

Qual é a solução espiritual, apontada em 1 Reis 8:37-39, para evitar que ocorra ou para expulsar esta praga (e também outros males...)?

A oração de súplica, verdadeira, contrita, com as mãos estendidas ao céu, clamando o perdão a Deus, afinal todas as coisas estão debaixo da Mão poderosa de Deus e a Ele todas se submetem, na Terra, nos Céus e mesmo no inferno... 

“Quando houver fome na terra, quando houver peste, quando houver queima de searas, ferrugem, gafanhotos ou pulgão, quando o seu inimigo o cercar na terra das suas portas, ou houver alguma praga ou doença,
Toda a oração, toda a súplica, que qualquer homem de todo o teu povo Israel fizer, conhecendo cada um a chaga do seu coração, e estendendo as suas mãos para esta casa,
Ouve tu então nos céus, assento da tua habitação, e perdoa, e age, e dá a cada um conforme a todos os seus caminhos, e segundo vires o seu coração, porque só tu conheces o coração de todos os filhos dos homens.”
(1 Reis 8:37-39)

 

 

 


Busca


Domingo, 31 de Maio de 2020







Acessos



Rainha Maria

Mulher Vestida de Sol