‹ voltar



Nossa Senhora da Penha de França (Lisboa – Portugal)

 

(1597)

 

Entre os portugueses que escaparam da derrota de Alcacer-Kibir encontrava-se um escultor de nome Antônio Simões, que no auge da batalha prometeu a Nossa Senhora fazer-lhe sete imagens se o conduzisse de novo à pátria.

Em cumprimento desse voto, ao regressar a Portugal esculpiu as ditas imagens. Mas, ao chegar à última, hesitou na invocação que devia dar-lhe, e um padre da Companhia de Jesus aconselhou-o a que pusesse o nome de Nossa Senhora da Penha de França, porque havia perto de Salamanca outra assim chamada e muito célebre por seus milagres.

Acabada a imagem, o artista colocou-a na ermida de Nossa Senhora da Vitória, mas, passado pouco tempo, resolveu edificar-lhe uma própria na Cabeça do Alperche, hoje Penha de França.

A primeira pedra foi lançada no dia 25 de março de 1597, e em maio do ano seguinte a Virgem tomava posse de sua ermida.

A Providência Divina colocava-a ali para mais uma vez ser refúgio dos aflitos: em outubro desse ano a peste assolava novamente o país. Foi à Senhora da Penha de França que nessa ocasião a população de Lisboa recorreu.

Apesar de tantos rogos, o flagelo cedeu apenas quando o Senado fez o voto de alargar a ermida, enriquecendo-a também com boas alfaias, e de organizar anualmente uma procissão, indo no primeiro ano todos descalços. Em 5 de agosto de 1599 foi feita a procissão em ação de graças. 


Busca


Terça-feira, 26 de Outubro de 2021




Acessos








Mulher Vestida de Sol