‹ voltar



INFERNO: Bem-vindos os mentirosos, bem-vindos os fofoqueiros, bem-vindos os ladrões, bem-vindos os alcoólatras (Testemunho de Lupe. 7 Jovens colombianos no Inferno)

 

(...) O Senhor me disse: "É necessário que vocês vejam, é necessário que vocês vejam para que contem".

Comecei a ver chamas que ferviam. Vozes agonizantes gritavam (...) milhões de vozes gritavam a uma só voz. Vi uma mesa de madeira que não se consumia pelo fogo e sobre essa mesa havia algumas garrafas, pareciam refrigerantes, mas não, estavam cheias de fogo. Vi um homem, totalmente destruído, suas roupas estavam cheias de queimaduras, cheias de lama, ele não tinha mais olhos, não tinha mais boca, seu cabelo estava completamente queimado. Nessa condição, ele podia me ver, podia me observar, portanto, é a alma aquela que pensa, que raciocina, aquela que vê. E esse homem, vendo o Senhor, inclinou sua mão ossuda dizendo-Lhe: "Senhor, tenha misericórdia de mim, Senhor, tenha misericórdia de mim, isso dói, isso queima, tenha misericórdia de mim, tirai-me deste lugar".

E o Senhor, olhando para ele, se comoveu, e comecei a sentir em minha mão que havia algo quente, e olhei para minha mão, e havia sangue, sangue do Senhor derramando-se nela, sangue do Senhor olhando para esse homem, cheio de sofrimento. E, diante disso, esse homem foi até as garrafas e sua mão pegou uma e a levou até ele, e quando ela entrou em contato com seus ossos queimados, saiu fumaça, ele começou a queimar-se e começou a jogar sua cabeça para trás gritando como eu nunca ouvi ninguém gritar, ele gritava de dor e chorava. Ele começou a beber daquilo, mas não era refrigerante, era ácido, seu peito estava totalmente destruído, e se via como caia esse ácido, machucando-o. Em sua testa, esse homem tinha um número perfurado, era 666, e em seu peito havia uma placa de um metal que nós não conhecemos, um metal ao qual nada acontecia, a sujeira desse lugar lhe afetava. A placa estava intacta e havia algumas letras, que nós não entendíamos, e o Senhor, em sua misericórdia, nos fez entender o que estava escrito ali: "Estou aqui porque sou um bêbado".

Esse homem estava lá porque ser um bêbado, 1 Coríntios 6:10: "os bêbados não entrarão no reino dos céus". Naquele momento, o Senhor pegou minha mão e começamos a caminhar. Voltei a olhar para aquele homem e começaram a ser projetados como em um filme os últimos momentos de vida que ele passou aqui na Terra, como se estivessem em uma tela gigante, os últimos segundos na Terra desse homem que se chamava Luis. Ele estava em um bar bebendo e em uma mesa igual aquela do inferno e as garrafas nesta mesa. Havia pessoas, havia amigos, mas só digo uma coisa a vocês: o maior e mais poderoso amigo se chama Jesus Cristo, que é o amigo fiel. E esse homem começou a beber. Eles estavam bêbados, e seu melhor amigo pegou uma garrafa, quebrou-a e começou a cravá-la em Luis e, quando o viu caído no chão, fugiu, mas Luis ficou lá, ficou lá e morreu, morreu sangrando, mas o mais impressionante foi que ele morreu sem o Senhor. 

E eu, no meio de tudo isso, de todas essas almas gritando, perguntei a Jesus: "Oh, Senhor, por favor, diga-me, esse homem te conheceu? Esse homem sabia de ti? Esse homem sabia sobre a salvação?”

E o Senhor, com a voz embargada, me disse: "Sim, Lupe, ele me conheceu, ele me aceitou como seu único Salvador, mas não me seguiu".

Nesse momento, senti mais medo, esse homem gritava mais e dizia: "Senhor, isso me machuca, isso me machuca, Senhor, tenha misericórdia de mim, tenha misericórdia de mim!” Mas sua voz se fundiu em meio a tantas pessoas.

Olhei para aquele lugar que era imenso e tenebroso, e começamos a andar mais e mais, e vi outra chama, e disse ao Senhor: "Senhor, não quero ver isso! Por favor, me perdoe, peço que me perdoe, mas não quero ver mais!”

E fechei meus olhos, mas não importava, mesmo com os olhos fechados eu ainda continuava vendo, e aquela chama começou a descer lentamente, e vi uma mulher, uma mulher que estava cheia de lama, e aquela lama estava cheia de vermes, essa mulher já tinha pouco cabelo, e o pouco cabelo que lhe restava estava cheio de lama, e ela estava cheia de vermes, e quando ela viu o Senhor começou a gritar: "Senhor, tenha misericórdia de mim! Senhor, tenha misericordia de mim! Perdoa-me! Perdoa-me! Olhe, está doendo! Tenha misericórdia de mim! Tenha misericórdia de mim, tirai de mim esses vermes! Tirai-me esse tormento porque está me doendo, porque está me doendo!".

E o Senhor a olhava, mas nesse momento o Senhor tinha uma dor tão grande e, embora estivéssemos nós segurando Sua mão, podíamos sentir a dor, podíamos sentir a dor que sentia o coração de Deus, de Jesus, ao ver isso, ao ver as almas perdidas queimando na chama pela eternidade. E essa mulher que já não tinha mais olhos, não tinha mais lábios, podia ver, podia sentir, sua dor se tornou mais aguda, e ela tinha um frasco em suas mãos, e seu conteúdo era um ácido, mas ela dizia que era perfume. Eu podia ver um ácido que, quando ela o aplicava, quando passava no corpo, queimava-a, mas ela continuava aplicando, dizia que era um ótimo perfume. Ela dizia que em seu pescoço tinha alguns colares, eu via algumas cobras; ela dizia que tinha pulseiras muito luxuosas na mão, eu só vi vermes com cerca de 25 centímetros de comprimento, perfurando e perfurando seus ossos; e essa mulher dizia que isso era tudo o que ela tinha, suas joias, e eu via escorpiões por todo o seu corpo, vermes em todo o seu corpo, e aquela placa, que todas as pessoas no inferno usam, dizia: "Estou aqui por roubar". Essa mulher estava naquele lugar por roubar.

E o Senhor lhe disse: "Madalena, por que você está neste lugar?"

E ela respondeu: "Eu não me importava em roubar, não me importava em tirar de alguém, o que me importava era ter minhas joias, ter os perfumes mais caros, ter boa aparência sem me importar de quem eu roubasse.”

Nesse momento, eu olhava, porque estava segurando a mão de Cristo, e comecei a olhar mais para essa mulher, e os vermes transpassavam de um lado a outro todo o seu corpo, e essa mulher se virou como se estivesse procurando algo.

Perguntei novamente ao Senhor: "Senhor, essa pessoa te conhecia?"

E o Senhor disse: "Sim, ela me conhecia".

E essa mulher disse: "Senhor, onde está aquela mulher que me falava de ti? Onde está? Estou no inferno há 15 anos.” Essa mulher dizia, porque aqueles que estão no inferno se lembram de tudo.

Ela repetiu: "Onde ela está que não a vejo? Onde está?” Sabendo que poderia se virar somente um pouco, ela dava voltas com a visão de sua alma, porque não tinha olhos, ela procurava e tentava ver em que chama poderia estar a mulher que lhe falara de Deus. E o Senhor com Sua voz lhe disse: "Não, não Madalena, ela não está aqui, essa mulher que te falava de Mim está comigo no Reino dos Céus".

Quando aquela mulher escutou isso, ela se deixou afundar cada vez mais na tortura e mais a chama a queimava. Isaías 3:24 diz: "Em vez de perfumes aromáticos virá o mau cheiro, e uma corda no lugar de um cinturão, e uma cabeça raspada em vez de um cabelo cuidado, e em vez de uma roupa de gala, um pano de saco, e queimadura em vez de beleza.

Continuamos com o Senhor caminhando. Havia uma coluna muito grande, cheia de vermes, e ao redor dessa coluna havia um escorregador de metal em brasa, e sobre essa coluna havia um letreiro que estava iluminado, e que atraía a atenção de todos os lados. Esse letreiro dizia: "Bem-vindos os mentirosos e bem-vindos os fofoqueiros". No final desse escorregador havia uma lagoa que fervia, parecia enxofre fervente. Nesse momento, caiu uma pessoa totalmente nua e deslizou por todo o escorregador, e enquanto deslizava sua pele ficava nesse metal. E quando chegou a essa lagoa, sua língua começou a inchar tanto que explodiu, e havia vermes lá para atormentar aqueles que caíssem.

A palavra de Deus diz, no Salmo 73, versículos 18 e 19: "Certamente tu os puseste em lugares escorregadios; tu os farás cair em desolação. Como foram assolados de repente, pereceram, foram consumidos pelo terror".

Naquele momento, saímos de lá. Só quero te dizer uma coisa: o inferno e o céu são mundos espirituais mais reais do que o mundo físico. É aqui, na Terra, que tu decides para onde queres ir, se para uma eternidade com Cristo ou para o inferno. O Senhor, durante todo o transcurso, nos dizia: "Sem santidade ninguém me verá, sem santidade ninguém me verá".

Portanto, eu te digo: sem santidade, tu não podes ver o Senhor.

 

Visto em: https://religionlavozlibre.blogspot.com/2024/03/bienvenidos-los-mentirosos-bienvenidos.html

Busca


Quarta-feira, 24 de Abril de 2024










Mulher Vestida de Sol