‹ voltar



"GUARDAI-VOS DOS FALSOS PROFETAS. ELES VÊM A VÓS DISFARÇADOS DE OVELHAS, MAS POR DENTRO SÃO LOBOS DEVORADORES." (Mt 7,15) Aquele que veio para destruir

n/d

‘... pois naqueles dias Nosso Senhor Jesus Cristo lhes mandará não um verdadeiro pastor, mas um destruidor’. (Profecia de São Francisco de Assis sobre o Cisma e a Tribulação na Igreja.)

 

‘Destituído o bispo que combatia arduamente a Teologia da Libertação e, por isso, incomodava seus pares. A diocese onde abundavam as vocações e aflorava a piedade cai diante do establishment modernista latino-americano, capitaneado pelo próprio bispo de Roma (Papa Francisco). (https://fratresinunum.com/2014/09/25/papa-francisco-destitui-dom-rogelio-livieres-bispo-diocesano-de-ciudad-del-este/ ) Dom Rogelio Livieres.Dom Rogelio Livieres.

 

Vejam que a perseguição está vindo de dentro da própria Igreja, pretendendo-se, contrariamente ao Evangelho, impedir a árvore boa de dar os seus bons frutos.

Vamos aos fatos:

 

No dia 26 de setembro de 2014, Dom Rogelio Livieres Plano(1), então bispo da Diocese de Cidade do Leste (Ciudad del Este)-Paraguai, declarou publicamente que o Papa Francisco teria que “prestar contas a Deus” por tê-lo destituído de sua função de bispo de Cidade do Leste. Dom Rogelio Livieres em cerimônia de ordenação sacerdotal na forma extraordinária do Rito Romano.Dom Rogelio Livieres em cerimônia de ordenação sacerdotal na forma extraordinária do Rito Romano.

A declaração, além de corajosa, possuía um tom de latente alerta para todos nós, pois Dom Livieres denunciou aquele que, anos mais tarde, se revelou verdadeiro destruidor de toda a Igreja e não apenas um perseguidor dos avanços conseguidos na Diocese de Cidade do Leste.

Bergoglio veio para destruir toda a Igreja – antes, destruiu a Diocese de Cidade do Leste:

1º - Fechou dois seminários com quase três centenas de seminaristas (a título de compração, Buenos Aires, por exemplo, com 10 vezes a população de Cidade do Leste, não tinha mais que duas dúzias de seminaristas);

2º - Extinguiu incontável quantidade de comunidades religiosas (Comunidades Sacerdotales de San Juan (CSSJ), Opus Cordis Mariae, Oblatos, Comunidade Missionária de Jesus (está para receber interventor), etc;

3º - Mandou seminaristas embora (e muitos deles abandonaram a vocação);

4º - Sacerdotes tradicionais foram desvalorizados (uns foram afastados, outros foram enviados para paróquias longínquas);

5º - Desvalorizou os Sacramentos (com Dom Livieres, as filas para as confissões eram intermináveis);

6º - Consagrações, grupos de oração, dignidade e virtudes foram desvalorizadas. Alguns dos seminaristas da Diocese de Cidade do Leste (Paraguai).Alguns dos seminaristas da Diocese de Cidade do Leste (Paraguai).

Quase todos os avanços religiosos e espirituais alcançados em Cidade do Leste foram suprimidos após o início do pontificado de Bergoglio. Toda efervescência da fé católica que se sentia naquele lugar foi praticamente dizimada por Francisco. A política de seu pontificado pode ser sentida nas ruas da cidade, pois a quantidade enorme de religiosos que se via regularmente, de repente desapareceu. Tudo acabou por causa de um pontificado fracassado, que trouxe a dureza espiritual da filosofia de Bergoglio à frente da Igreja. 

Hoje o que se vê não é nem de perto daquilo que foi uma das experiências mais promissoras da fé católica em todo mundo. A cidade recebia gente de toda parte. Cidade do Leste se tornou uma experiência enriquecedora, que certamente serviria como modelo para o futuro da Igreja católica, já que esse seria o motivo de Dom Livieres ter sido nomeado bispo em 2004: erguer uma diocese tradicional que fosse modelo para as demais. Questão essa, que nunca foi aceita por bispos modernistas, como o desastroso Fernando Lugo, então presidente do Paraguai, e o próprio José Mário Bergoglio, bispo de Buenos Aires, que não conseguia atrair mais de duas dúzias de vocações para seu seminário em Buenos Aires.

A diocese de Cidade do Leste, no entanto, era exuberante. Sobre o assunto, um sacerdote chegou a dizer que Dom Livieres não fez nada de especial: ele apenas fez o que todo bispo deveria fazer...

Hoje não se vê mais a prática piedosa que marcou a diocese por quase uma década. As igrejas estão mais vazias, as comunidades que restaram foram embora, sacerdotes e seminaristas também.

Dom Livieres alertou que Bergoglio teria que “prestar contas a Deus” pelo que fez.

Entenderam?Entenderam?

A ação maléfica de Bergoglio em Cidade do Leste é a mesma que se vê hoje na Igreja em todo o mundo. Sua destruição na diocese de Cidade do Leste está se repetindo no mundo todo. Bergoglio extinguiu comunidades católicas tradicionais (Frades Franciscanos da Imaculada(2), Opus Cordis Mariae, Legionários de Cristo...), interveio em outras (Arautos do Evangelho, Ordem de Malta...), excomungou religiosos tradicionais e está decididamente desfigurando os Sacramentos da Igreja (Comunhão para pessoas com pecados graves, casamento entre pessoas do mesmo sexo, ordenação de homens casados, etc).

 

A prática de Bergoglio não mudou, é a mesma de sempre. Ele está destruindo a Igreja Católica assim como destruiu a Diocese de Cidade do Leste, com a agravante de agora atacar até os Sacramentos...

Dom Livieres tinha razão: Bergoglio terá que “prestar contas a Deus” pelo que fez.

Só falta a nós termos a mesma coragem de denunciar aquele que veio para destruir a Igreja de Cristo.

Por J.R.S, em 10-11-2019. 

 

(1) Monsenhor Rogelio Ricardo Livieres Plano (30-08-1945/14-08-2015), destituído do cargo de bispo em 25-09-2014, fez uma verdadeira transformação na Igreja de Ciudad del Este. Encontrou uma diocese em frangalhos, com uma vida católica abandonada, falta de padres, raras vocações, enfim, nada muito diferente da situação da maior parte das dioceses em todo o mundo. Mas eis que o trabalho de um verdadeiro sucessor dos Apóstolos começa a produzir frutos: Dom Rogelio abre um seminário em sua própria Diocese para formar seus sacerdotes con/forme manda a Igreja (até então havia apenas um único seminário "central" para onde todos os seminaristas do Paraguay deveriam ir), implementa o verdadeiro e tradicional Catolicismo, visita e instrui na Fé Católica todos seus diocesanos, desde aqueles que lhe são vizinhos até os dos lugares mais afastados, incentiva instituições e movimentos verdadeiramente católicos e, anos depois, consegue transformar a Diocese de Cidade do Leste em uma verdadeira diocese modelo, onde a Fé católica cresce sobremaneira, as vocações sacerdotais pululam e a vida sacramental florece. Morreu em Buenos Aires de complicações relacionadas à diabetes. (Fontes: http://www.ihu.unisinos.br/noticias/545804-morre-polemico-bispo-paraguaio-rogelio-livieres-plano   https://en.wikipedia.org/wiki/Rogelio_Ricardo_Livieres_Planov

Franciscanos da Imaculada, acusados de um escasso %u201Cpensar com a Igreja%u201D e de um apego excessivo ao Rito Romano antigo.Franciscanos da Imaculada, acusados de um escasso 'pensar com a Igreja' e de um apego excessivo ao Rito Romano antigo.

(2) Frades Franciscanos da Imaculada – Este instituto religioso fundado em 2-4-1970 pelos padres Stefano Maria Manelli e Gabriele Maria Pellettieri é um dos mais florescentes de que se ufana a Igreja, pelo número de vocações, a autenticidade da vida espiritual, a fidelidade à ortodoxia e às autoridades romanas. Na situação de anarquia litúrgica, teológica e moral em que nos encontramos hoje, os Franciscanos da Imaculada deveriam ser tomados como modelo de vida religiosa. O Papa se refere muitas vezes à necessidade de uma vida religiosa mais simples e sóbria. Os Franciscanos da Imaculada se destacam por sua austeridade e pobreza evangélica, com as quais vivem, desde a sua fundação, seu carisma franciscano. Acontece, porém, que em nome do Papa, a Congregação para os Religiosos retira o governo do Instituto para transmiti-lo a uma minoria de frades rebeldes de orientação progressista, nos quais o novo Comissário se apoiará para “normalizar” o Instituto, ou para conduzi-lo ao desastre do qual até agora tinha escapado graças à sua fidelidade às leis eclesiásticas e ao Magistério. Mas hoje o mal é recompensado e o bem castigado. Não surpreende que a empregar o punho de ferro no confronto com os Franciscanos da Imaculada esteja o mesmo Cardeal que auspicia compreensão e diálogo com as irmãs heréticas e cismáticas americanas. Aquelas religiosas pregam e praticam a teoria do gênero, e, portanto, deve-se dialogar com elas. Os Franciscanos da Imaculada pregam e praticam a castidade e a penitência e por isso não há possibilidade de entendimento com eles. Esta é a triste conclusão a que inevitavelmente chega um observador desapaixonado. Uma das acusações é de serem muito apegados à Missa tradicional, mas a acusação é um pretexto, porque os Franciscanos da Imaculada são, como se costuma dizer, “bi-ritualistas”, ou seja, celebram a nova Missa e a antiga, conforme lhes é concedido pelas leis eclesiásticas em vigor. Colocados diante de uma ordem injusta, é de se supor que alguns dentre eles não desistirão de celebrar a Missa tradicional; e farão bem em resistir neste ponto, porque não será um gesto de rebeldia, mas de obediência. Os indultos e privilégios em favor da missa tradicional não foram revogados e possuem uma força legal superior ao decreto de uma congregação, e até mesmo das intenções do Papa, se não expressas num ato legal claro. (Fonte: https://ipco.org.br/o-caso-dos-franciscanos-da-imaculada/ )

 


 

Outra recente destruição da vida religiosa feita por Francisco:

 

Vaticano extingue outra congregação religiosa porque “rezam muito”

A obra de destruição da vida religiosa, por parte do Vaticano, continua implacável. Agora foi a vez das Pequenas Irmãs de Maria Mãe do Redentor, uma congregação religiosa nascida em França que, actualmente, tem cerca de cento e vinte religiosas, das quais cinco decidiram obedecer às exigências de Roma. As outras cento e quinze, divididas em três comunidades, serão dispensadas dos votos religiosos e tornar-se-ão leigas, devendo deixar as suas casas e a actividade de assistência aos idosos que era a característica desta congregação.

As irmãs foram acusadas, sobretudo, de uma espiritualidade considerada muito “tradicional”. O Grande Inquisidor da Congregação para os Religiosos, o franciscano José Rodríguez Carballo, braço direito e homem de confiança do actual Pontífice reinante para este tipo de “cozinhados”, e o homem da mais clamorosa crise financeira jamais vivida pelos franciscanos, atacou novamente.

Um episódio semelhante aos já vividos pelos Franciscanos da Imaculada, ainda comissariados após seis anos, pela Familia Christi, pela Fraternidade dos Santos Apóstolos e assim por diante. Mas quem é que mataram para serem tratados assim? Até agora um formato habitual no regime vigente. Parece verdadeiramente estranha e inexplicável a operação a que, provavelmente, não serão estranhos os apetites dos bispos pelas propriedades da pequena congregação. n/d

As Pequenas Irmãs de Maria Mãe do Redentor cuidam de idosos, colaboram na pastoral das paróquias, ajudam os pobres e vivem uma espiritualidade considerada, hoje no Vaticano, demasiado “clássica”, isto é: amor à adoração da Santíssima Eucaristia, oração fervorosa de intercessão e devoção filial a Maria. As irmãs foram visitadas, em 2009, por decisão do Bispo de Laval, que os leigos que apoiam as irmãs acusam de ter um certo interesse na administração das suas propriedades. Mas a iniciativa não foi bem-sucedida. Em 2016, com Braz de Aviz e Carballo, uma nova visita. Já não, ou não apenas, por razões administrativas, mas pela séria suspeita de tradicionalismo ou classicismo, como dizem os franceses. As irmãs têm sido acusadas de ter graves problemas de governo, embora pareça que a maioria das irmãs tenha testemunhado maravilhas da superiora, de imobilismo, de desconhecimento da “nova teologia da vida consagrada” e de outros graves delitos como o da excessiva oração...

As superioras, exiladas noutros conventos, foram acusadas de “autoritarismo desviante”, e às irmãs foi pedida a obediência sem apelo, «sem – dizem – que a preocupação de uma recta consciência tenha uma palavra a dizer, e sem que nunca nos sido explicado o mínimo fundamento objectivo de todas estas medidas romanas: assim haveria dois pesos e duas medidas». As irmãs rejeitaram as acusações como falsas e inventadas pelos visitadores. Os comissários e a Congregação deram-lhes razão, pelo menos em parte, mas mantiveram as medidas tomadas; isto é, confirmam a ação.

As irmãs apelaram àquele que era o Supremo Tribunal de Justiça na Igreja, a Assinatura Apostólica, agora, com a administração do diplomata Mamberti, evidentemente incapaz de ir contra vontades superiores, que confirmou a sentença do Dicastério. Mas as irmãs decidiram não aceitar o que, para elas e não apenas para elas, parece uma injustiça evidente e tornaram pública a sua decisão: «No dia 17 de Setembro de 2018, o Cardeal Prefeito da Congregação para os Religiosos, Mons. Braz de Aviz, escreveu-nos um ultimato: ou aceitamos o Comissário “sem reservas” ou não o aceitamos, caso em que a lei prevê que podemos ser expulsas do Instituto».

Depois, então, as irmãs escreveram: «Depois de termos adquirido a certeza moral, ao longo deste ano, que o acolhimento do comissário apostólico no interior do nosso Instituto causaria danos sérios e certos, no mais ou menos longo prazo, tanto nos termos que dizem respeito à compreensão do carisma dado por Deus à Madre Maria da Cruz, nossa Fundadora, como na maneira como o vivemos; depois de termos proposto, muitas vezes, soluções de apaziguamento, sem que nos tenha sido dada qualquer resposta; após consulta a pessoas autorizadas e competentes; depois de termos rezado muito e sempre querendo permanecer fiéis e obedientes à verdade, pareceu-nos que não tínhamos outra escolha a não ser renunciar aos nossos votos».

Entretanto, em Laval, foi constituído um Comité de apoio às religiosas, que tem quase três mil pessoas, e tem voz no seguinte site: www.soutienpsm.com.

Tudo isto ocorre num País em que a situação das vocações é, dizendo o mínimo possível, desastrosa e onde a questão dos abusos clericais está, aos poucos, a emergir em toda a sua gravidade. E a Santa Sé permite-se realizar operações inexplicáveis conduzidas com uma violência e uma determinação que teriam sido muito mais adequadas noutras situações e por culpas reais.  

Fonte: https://diesiraept.blogspot.com/2019/06/o-vaticano-extingue-outra-congregacao.html?m=1
Visto em:  http://www.montfort.org.br/bra/imprensa/igreja/destituicao_irmas_de_maria/
 

 

Não nos esqueçamos:

“Roma perderá a fé e se tornará sede do Anticristo.” (Nossa Senhora de La Salette)

‘... pois naqueles dias Nosso Senhor Jesus Cristo lhes mandará não um verdadeiro pastor, mas um destruidor’. (Profecia de São Francisco de Assis sobre o Cisma e a Tribulação na Igreja, extraída do livro ‘WORKS OF THE SERAPHIC FATHER ST. FRANCIS OF ASSIS’ Capítulo - 'Algumas Profecias do Santo Pai S. Francisco’, XIII, página 250.) (Leia o artigo sobre A Profecia de São Francisco de Assis sobre o Cisma e a Apostasia clicando AQUI)


Busca


Sábado, 14 de Dezembro de 2019







Acessos

Curta nossa página no facebook



Rainha Maria

Glória de Deus

Mulher Vestida de Sol