‹ voltar



Campo magnético acima do Brasil está cada vez mais fraco e causa falhas em satélites

Por Juliana Blume, em 29.05.2020

 

O campo magnético da Terra protege nosso planeta da radiação solar perigosa, mas ele não é estático. Nos últimos 200 anos ele ficou 9% mais fraco, e esse enfraquecimento pode causar problemas de funcionamento em satélites e foguetes.

Um ponto em particular do campo magnético que tem se alterado fica na região sul do Oceano Atlântico, e ele foi batizado de Anomalia Atlântica Sul por cientistas. Essa região especificamente ficou 8% mais fraca desde 1970.

As pessoas não precisam se preocupar com essa região anômala, mas engenheiros que acompanham satélites ou espaçonaves que passam por ali precisam antecipar danos. Isso, porque uma quantidade maior de partículas solares carregadas passam pelo campo magnético e pode causar breves falhas e interromper as comunicações.

O telescópio Hubble, por exemplo, passa pela anomalia dez vezes por dia, gastando 15% do tempo na “região hostil”, de acordo com a NASA. Os equipamentos e astronautas da Estação Espacial Internacional também são expostos a vários minutos de forte radiação todos os dias quando passam pela zona.

Algumas pessoas conseguem sentir o campo magnético da Terra.

Cientistas da Agência Espacial Europeia (ESA) publicaram recentemente que essa zona com campo enfraquecido pode estar se dividindo em duas: uma a leste da América do Sul e outra ao sudoeste da África.

A ESA usa três satélites para acompanhar mudanças no campo magnético da Terra. A animação abaixo mostra a anomalia entre abril de 2014 até agosto de 2019. Os pontos brancos no mapa indicam momentos em que os satélites detectaram radiação maior, concentrando-se no sul da América do Sul. 

 

Fonte: https://hypescience.com/campo-magnetico-acima-do-brasil-esta-cada-vez-mais-fraco-e-causa-falhas-em-satelites/

Busca


Quarta-feira, 15 de Julho de 2020







Acessos



Rainha Maria

Mulher Vestida de Sol