‹ voltar



Nossa Senhora do Carmo - Festa em 16 de Julho

n/d

Novecentos anos antes de Cristo, os eremitas do monte Carmelo já prestavam culto profético à futura Mãe do Redentor do mundo, que Santo Elias simbolizara na nuvenzinha que ele viu erguer-se do mar e, alargando-se sobre a terra, desfazer-se em chuva copiosa e fecunda, depois de longa seca com que Deus provara seu povo. Desde então o profeta Elias e seus companheiros honraram e veneraram com toda a devoção a essa Virgem Santíssima, que um dia havia de vir ao mundo para ser a Mãe de Deus, a corredentora do gênero humano.

Durante as Cruzadas, um grupo de eremitas fixaram-se aí, vivendo na solidão, iniciando um estilo de vida simples e pobre, e erigiram, junto da Fonte de Elias, uma pequena capela dedicada a Senhora do Carmo (ou Nossa Senhora do Carmelo, em referência ao Monte Carmelo) e se organizaram numa confraria a que Alberto Avogadro, bispo de Jerusalém, deu o nome de Irmãos da Santa Maria do Monte Carmelo (no vulgar português também se diz Monte do Carmo). Carmelo (em hebraico, “carmo” significa vinha; e “elo” significa senhor; portanto, “Vinha do Senhor”).

No decurso da 1ª metade do século XIII, caiu a região em poder dos Muçulmanos, desse modo terminando a vida eremítica no monte. Assim, os carmelitas foram obrigados a ir para a Europa fugindo da perseguição dos muçulmanos. Com a expulsão dos carmelitas de Israel, a devoção a Nossa Senhora do Carmo começou a se espalhar por toda a Europa. Também foi levada para a América Latina, logo no começo de sua colonização, passando a ser conhecida em todos os lugares. E não somente no Carmelo. Foram construídas várias igrejas, capelas e até catedrais dedicadas a Senhora do Carmo.

 

Aparição de Nossa Senhora do Carmo a São Simão

A parte dos monges do Carmelo que sobreviveu à perseguição dos muçulmanos chegaram fugidos na Europa e elegeram Simão Stock como seu superior geral. Simão era um dos mais piedosos carmelitas que vivia na Inglaterra. Esta aparição de Nossa Senhora teve lugar em Cambridge, no condado do mesmo nome, Inglaterra, em 16 de julho de 1251 a Simão Stock. Vendo a Ordem dos Carmelitas ser perseguida até estar prestes a ser eliminada da face da terra, ele sofria muito e pedia socorro a Nossa Senhora do Carmo. Sua oração, que os carmelitas usam até hoje, foi a seguinte: Flor do Carmelo, vide florida. Esplendor do Céu. Virgem Mãe incomparável. Doce Mãe, mas sempre virgem. Sede propícia aos carmelitas. Ó Estrela do mar.

Comovida pelas súplicas de seu servo, a Mãe de Deus apareceu em 16 de julho, tendo na mão o escapulário do Carmo, que ela lhe entregou, pronunciando estas palavras:

“Recebe, meu querido filho, este escapulário como sinal da minha confraria e prova do privilégio que obtive para ti e para todos os carmelitas. É um sinal de salvação, um escudo nos perigos, um penhor de paz e aliança eterna. Aquele que morrer revestido deste escapulário será preservado do fogo eterno”.

A partir da aparição de Nossa Senhora do Carmo a São Simão, a Ordem do Carmelo começou a florescer na Europa e em vários lugares do mundo, permanecendo firme até os dias de hoje.

 

O Escapulário de Nossa Senhora do Carmo, tradição do Carmelo

A palavra escapulário vem do latim "escápula", que significa  armadura, proteção. O escapulário é uma forma de devoção a Maria Santíssima. O uso do escapulário é um sinal de confiança em Nossa Senhora do Carmo. A pessoa que o usa é coberta com a proteção e as graças da Virgem do Carmo.

O escapulário, segundo o Concilio do Vaticano II é um Sacramental, um sinal sagrado, obtendo efeitos de proteção da Igreja Católica. É uma realidade visível que nos conduz a Deus. Santa Tereza dizia que: portar o escapulário era estar vestida com o hábito de Nossa Senhora.

Oração a Nossa Senhora do Carmo

Senhora do Carmo, Rainha dos anjos, canal das mais ternas mercês de Deus para com os homens,

refúgio e advogada dos pecadores, com confiança eu me prostro diante de vós,

suplicando-vos que obtenhais a graça que necessito, (pede-se a graça).

Em reconhecimento, solenemente prometo recorrer a vós em todas as minhas dificuldades, sofrimentos e tentações,

e farei de tudo que ao meu alcance estiver, a fim de induzir outros a amar-vos, reverenciar-vos e invocar-vos em todas as suas necessidades.

Agradeço as inúmeras bênçãos que tenho recebido de vossa mercê e poderosa intercessão.

Continuai a ser meu escudo nos perigos, meu guia na vida e minha consolação na hora da morte. Amém.

Nossa Senhora do Carmo, advogada dos pecadores mais abandonados, rogai pela alma do pecador mais abandonado do mundo. Ó Senhora, rogai por nós que recorremos a vós.

 

Vários Papas promoveram o uso do escapulário e Pio XII chegou a escrever: “Devemos colocar, em primeiro lugar, a devoção do escapulário de Nossa Senhora do Carmo – e ainda – escapulário não é ‘carta-branca’ para pecar; é uma ‘lembrança’ para viver de maneira cristã, e assim, alcançar a graça duma boa morte”.

O bem-aventurado Simão Stock (hoje São Simão Stock), depois de ter trabalhado com muito zelo na difusão do santo escapulário, morreu cheio de merecimentos, em Bordéus, no dia 16 de julho de 1265.

 
Fontes consultadas:
https://santo.cancaonova.com/santo/nossa-senhora-do-carmo/
https://cruzterrasanta.com.br/historia-de-nossa-senhora-do-carmo/37/102/
http://mariamaedaigreja.net/textos/Nossa%20Senhora%20do%20Carmo%20(1251)%20Cambridge%20Inglaterra.pdf
https://caminhoscarmelitas.wordpress.com/2010/03/10/o-monte-carmelo/

Busca


Domingo, 09 de Agosto de 2020







Acessos



Rainha Maria

Mulher Vestida de Sol