‹ voltar



Consagração ao Sagrado Coração de Jesus (Sta. Margarida Alacoque)

n/d

Desde a infância, Margarida Maria de Alacoque VSM (Verosvres, 22-07-1647 / Paray-le-Monial, 17-10-1690) fora beneficiada por experiências místicas. As mais importantes ocorreram no convento, a partir de 27 de dezembro de 1673, quando passou a receber uma série de revelações do Sagrado Coração de Jesus, o qual a incumbia de ser a encarregada de divulgar essa devoção.

Além disso, as três superioras que, a cada seis anos, assumiram sucessivamente a autoridade no convento de Paray-le-Monial convenceram-se da santidade de Margarida. Contudo, ela sofreu acirrada oposição dentro da comunidade, que a tratava como uma excêntrica visionária. Seu principal apoio veio de São Cláudio de la Colombière, jovem sacerdote jesuíta que foi durante certo tempo confessor das freiras e testemunhou serem reais as visões da Santa.

Todavia, por sua perseverança, docilidade, espírito de obediência e caridade, ela acabou vencendo as oposições e conseguiu cumprir sua missão, começando por introduzir em 1686 – no início para um círculo restrito de seu próprio convento – a festa do Sagrado Coração de Jesus. Assim, esta se espalhou com rapidez por outros mosteiros da Visitação, e transbordou para o exterior da congregação.

Por fim, após uma existência na qual consumiu-se sem cessar no amor ao Sagrado Coração de Jesus, Santa Margarida Maria Alacoque morreu em 17 de outubro de 1690, aos 43 anos de idade. Foi canonizada por Bento XV em 1920. Seu corpo está colocado sob o altar da capela do convento onde viveu, e os peregrinos que ali vão rezar a ela alcançam insignes graças. (Revista Arautos do Evangelho, Jun/2006, n. 54, p. 22 e 23)

 

CONSAGRAÇÃO AO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

"Eu me dou e consagro ao Sagrado Coração de Nosso Senhor Jesus Cristo: minha pessoa e minha vida, minhas ações, meus trabalhos e meus sofrimentos, a fim de no futuro pregar tudo quanto sou e tenho, unicamente para sua honra, amor e glória. É minha resolução irrevogável ser inteiramente dele e fazer tudo por seu amor, renunciando de todo o meu coração a tudo que lhe puder desagradar. Portanto, o Coração Sagrado, eu vos escolho para único objeto de meu amor, para protetor de minha vida, penhor de minha salvação, amparo de minha fragilidade e inconstância, reparação de todas as faltas de minha vida e asilo seguro na hora de minha morte. Coração de ternura e bondade, sede Vós minha justificação diante de Deus vosso Pai e afastai de mim os castigos de Sua justa cólera. Coração de amor, em Vós ponho toda a minha confiança; de minha fraqueza e maldade tudo temo, mas de Vossa bondade tudo espero. Consumi, pois, em mim, tudo o que puder desagradar-vos ou se opor a Vós. Imprimi o Vosso puro amor tão firmemente no meu coração, que nunca mais Vos possa esquecer nem nunca possa de vós me separar, Coração Sagrado, eu vos conjuro, por toda a Vossa bondade, que o meu nome seja profundamente gravado em Vós, pois eu quero que toda a minha felicidade e glória seja viver e morrer no Vosso serviço. Amém."

 

Fontes: https://www.arautos.org/secoes/artigos/santa-margarida-maria-alacoque-a-mensageira-do-sagrado-coracao-de-jesus-143685
https://www.diocesedeanapolis.org.br/consagracao-ao-sagrado-coracao-de-jesus-sta-margarida-alacoque/

Busca


Terça-feira, 20 de Abril de 2021







Acessos




Mulher Vestida de Sol