‹ voltar



Visões e revelações a Marie Lataste - DEUS, A SANTÍSSIMA TRINDADE (Livro Um - Capítulos 1 a 8)

n/d

Marie Lataste (21-02-1822 / 10-05-1847) foi uma vidente católica francesa, freira e escritora. Ela recebeu uma forte impressão da presença divina, aos 11 anos de idade, em sua primeira comunhão. Cerca de um ano depois, Marie viu na Missa durante a Elevação da Hóstia, uma luz brilhante que parecia inflamar seu amor pelo Senhor Eucarístico e aumentar à medida que esse amor aumentava. Logo ela foi lançada em severas provações e tentações interiores. Seu diretor espiritual permitiu-lhe fazer um voto anual de virgindade, e o Santíssimo Sacramento tornou-se o pensamento central de sua vida. De acordo com sua própria narrativa, no final de 1839, quando tinha 17 anos, ela viu Cristo no altar. Na Epifania de 1840, isto se repetiu, e durante três anos inteiros cada vez que ela assistia à Missa, esta graça lhe era concedida. Quase diariamente ela recebia dos lábios de Jesus instruções formando uma completa educação espiritual e doutrinária. Ela nunca mencionou isto, exceto a seu confessor. Em 1840 M. l'Abbé Pierre Darbins sucedeu M. Farbos como pároco de Mimbaste. Marie lhe revelou sua alma. Ele pediu a ajuda do diretor do seminário de Dax, e eles concordaram em ordená-la a colocar por escrito tudo o que sobrenaturalmente ela tinha ouvido e visto no passado, e tudo o que ela poderia ouvir e ver no futuro. Após muitas objeções e atrasos, ela obteve permissão para entrar na Sociedade do Sagrado Coração, recentemente fundada, e partiu para Paris, em 21 de abril de 1844, sozinha. Ela foi recebida no Hotel Biron pela Madame de Boisbaudry, que a mandou examinar por um guia espiritual experiente. Ela foi admitida como irmã leiga no dia 15 de maio. Ainda noviça, ela foi enviada a Rennes na esperança de que uma mudança de ar melhorasse sua saúde. Os votos de Marie haviam sido adiados na esperança de uma melhoria em sua saúde. Mas no domingo, 9 de maio, ela ficou tão doente de repente que o fim parecia próximo. Ela foi autorizada a pronunciar seus votos, pouco antes de receber os últimos sacramentos. Seus restos mortais foram levados mais tarde para Roehampton, perto de Londres.

  Glória e louvor, amor e gratidão sejam a Jesus no santo sacramento do altar, ao Pai e ao Espírito Santo pelos séculos dos séculos, Amém.

 

LIVRO UM - Capítulo 1

O Salvador Jesus falou da divindade com estas palavras: "Deus é um em três pessoas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo. As três pessoas são Deus e ainda assim são um só Deus. O Pai é o princípio do Filho e do Espírito Santo, mas não seu criador, porque eles são eternos como o Pai e nunca tiveram um começo. Desde toda a eternidade, o Pai gera seu filho através de seu conhecimento de si mesmo. O Pai compreende a si mesmo, e esta compreensão de Deus Pai é Deus, o Filho. O Espírito Santo não é gerado pelo Pai e pelo Filho, mas procede de ambos. Deus Pai compreende a si mesmo, e tem prazer em sua inteligência que ama e na qual encontra seu descanso: este amor do Pai por sua inteligência é o Espírito Santo, união do Pai e do Filho.

O Pai é soberanamente perfeito e comunica suas perfeições ao Filho, que as comunica com o Pai ao Espírito Santo. Assim, o Filho é semelhante ao Pai, o Espírito Santo ao Pai e ao Filho, as três pessoas semelhantes uma à outra. O Pai é distinto do Filho, o Espírito Santo é distinto do Pai e do Filho. O Pai é a primeira pessoa da Trindade, ou a pessoa sem nenhum outro princípio que não seja ele mesmo; o Filho é a inteligência do Pai, ou a segunda pessoa; o Espírito Santo é a união amorosa do Pai e do Filho, ou a terceira pessoa; e estas três pessoas são um só Deus, porque têm apenas uma natureza divina.

O Pai é eterno, o Filho é eterno, o Espírito Santo é eterno, e esta trindade de eternidades forma apenas uma eternidade, a eternidade de Deus.

O Pai é santo, o Filho é santo, o Espírito Santo é santo, e esta trindade de santidade forma uma só santidade, a santidade de Deus.

O Pai é infinitamente sábio, o Filho infinitamente sábio, o Espírito Santo infinitamente sábio, e esta trindade de sabedorias forma uma só sabedoria, a sabedoria de Deus.

O Pai é onipotente, o Filho é onipotente, o Espírito Santo é onipotente, e esta trindade de onipotência forma apenas uma onipotência, a onipotência de Deus.

O Pai é misericordioso, o Filho misericordioso, o Espírito Santo misericordioso, e esta trindade de misericórdias só forma uma misericórdia, a misericórdia de Deus.

O Pai é justo, o Filho é justo, o Espírito Santo é justo, e esta trindade de retidão só forma uma justiça, a justiça de Deus.

O Pai tem uma vontade, o Filho tem uma vontade, o Espírito Santo tem uma vontade, e esta trindade de vontades forma uma só vontade, a vontade de Deus".

Quando o Pai quer uma coisa, o Filho e o Espírito Santo também o querem, e cada uma das três pessoas divinas coopera em cada ação da Divindade.

Não há lugar ou espaço para as três pessoas divinas: elas ocupam o todo". Eles estão em toda parte no céu e na terra; mas manifestam sua glória e majestade mais particularmente no céu para os seres inteligentes e razoáveis que eles criaram.

n/d

LIVRO UM - Capítulo 2

"O Pai é o princípio do Filho e do Espírito Santo; ele é também o princípio de tudo o que foi feito, ele deve ser, ele é também o fim de tudo.

A alma humana vem deste princípio; ela deve propô-lo como seu último fim, e consequentemente dirigir seus pensamentos, desejos, afetos, ações e orações para Ele, e não desejar nada em todas as suas obras senão a perfeita realização da vontade de Deus Pai. Ao fazer isso, a alma presta homenagem ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, porque ao fazer a vontade do Pai, ela também faz a vontade do Filho e do Espírito Santo.”

Estas últimas palavras causaram uma impressão em meu espírito, que procurou, mas em vão, conhecer seu significado. O Salvador Jesus viu isto, e vendo o que estava acontecendo em mim, Ele acrescentou:

Depois do pecado do homem, Deus enviou seu Filho ao mundo para salvá-lo. O Filho, durante sua vida, cumpre a vontade do Pai em tudo. O Pai quer que o homem siga o exemplo de seu Filho e lhe preste homenagem, limitando-se a si mesmo. O Filho quer que o homem siga a vontade do Pai, como ele mesmo a segue, e é uma honra que o homem siga seus passos quando esteve na Terra. O Espírito Santo, o primeiro operador do bem nas almas, dá movimento à vontade, ilumina o espírito com suas luzes e deseja que o homem corresponda a tudo o que ele faz por ele, seguindo o exemplo do Filho e submetendo-se à vontade do Pai, observando seus mandamentos. É uma honra que o homem não resista ao que ele faz nele. Assim, as três vontades do Pai, do Filho e do Espírito Santo formam uma só vontade e, ao cumprir a do Pai, cumpre-se também a do Filho e do Espírito Santo."

Estes são os pensamentos que me vieram à mente da boca do Salvador Jesus; eu os preservei por lembrança; mas devo ressaltar desde o início que não posso expressar tudo o que Ele me disse, tudo o que Ele teve o prazer de me mostrar, tudo o que Ele queria que eu sentisse. Jesus é verdadeiramente a palavra de Deus, e tudo o que há nele é palavra. Não é só quando ele fala que eu o ouço; eu também o ouço e o entendo em seu olhar, em seu porte, em seus sinais de afeto, perto e longe, no céu, na terra, em meu coração, em toda parte. Esta palavra não é como a palavra do homem; é por isso que a palavra dos homens é insuficiente para expressar a palavra de Jesus; tentarei, no entanto, expressá-la o melhor que puder e assim como ele me permitirá.

 

LIVRO UM - Capítulo 3

Um dia eu ouvi sua voz. Falou alto e com força: "Deixem suas casas, todos vocês, em segredo. Vinde, crianças e velhos, jovens e velhos, príncipes e súditos, ricos e pobres, cultos e analfabetos, grandes e pequenos, vinde reconhecer e admirar as perfeições de vosso Deus em suas obras. As obras de Deus são perfeitas, porque Ele mesmo é perfeito, porque seus julgamentos são perfeitos e seus pontos de vista também são perfeitos. Os pontos de vista dos homens, seus pensamentos, suas intenções, seus julgamentos, estão longe de se assemelhar aos pontos de vista, pensamentos, intenções, julgamentos de Deus. Pois está escrito que a justiça e a verdade brilham nas obras do Altíssimo, enquanto que o coração do homem é endurecido, preza a vaidade e procura a mentira. O homem gostaria de penetrar nas mais íntimas perfeições de Deus. O tolo! Ele não vê que sua mente é muito estreita e seu conhecimento muito limitado? O que seria de Deus se o homem pudesse entendê-Lo? O que seria o infinito, se fosse penetrado pelo finito? O que seria o Criador, se a criatura estivesse em seu nível? Foi por bondade para com o homem que Deus fez o mundo; foi por bondade que Ele preservou a ordem e a harmonia nele; foi por bondade para com o homem que Ele fez tudo o que foi feito, e o homem ignora esta bondade para escrutinar os desígnios de Deus, que Ele jamais escrutinará. É por Sua onipotência que Deus fez o mundo e o preserva, por Sua providência e sabedoria que Ele o faz funcionar de forma tão admirável, e o homem ignora esta bondade, esta providência, esta sabedoria, a fim de perder-se em vãs razões que o afastam de Deus ou o fazem esquecer-se dEle. Esta perfeição na criação inanimada, animada e razoável não proclama um criador perfeito acima da criatura? Portanto, contente-se em reconhecer Deus, filhos dos homens, mas não procure compreendê-Lo. Pois procurar compreender Deus é o cúmulo da presunção ou a prova segura da maior incredulidade. É o cúmulo da presunção querer encerrar Deus no homem, o eterno no temporal, o finito no finito; é a prova segura da maior incredulidade, pois é para dizer que Deus não pode fazer mais do que o homem, pois o poder de Deus consiste na compreensão que Ele tem de Si mesmo, e que o homem compreende Deus tanto quanto se Ele fosse Deus.

Saiba que está escrito que Deus resiste ao orgulho e dá graça aos humildes, que aquele que se humilha será exaltado e aquele que se exalta será humilhado". Saiba que eu disse quando estive na Terra que aquele que cumpre minha palavra e acredita Nele que me enviou será salvo. Não é suficiente saber, é preciso acreditar.

NÃO CONDENO O EXAME DAS COISAS PARA CONSOLIDAR A FÉ, PARA QUE ESTA FÉ POSSA SER UMA FÉ CHEIA DE CONVICÇÃO". É PRUDENTE E SÁBIO TENTAR REMOVER UMA DÚVIDA PARA ACREDITAR MAIS FIRMEMENTE, MAS ISTO DEVE SER FEITO COM UM CORAÇÃO RETO, COM BOA VONTADE E UM DESEJO SINCERO DE ENCONTRAR A VERDADE A FIM DE ESTAR VINCULADO. HOJE QUEREMOS ENTENDER TUDO QUANDO SE TRATA DE DEUS. POBRES ESPÍRITOS, QUE GOSTARIAM DE UMA LUZ CUJO BRILHANTISMO OS DERRUBARIA; QUE GOSTARIAM DE ENTENDER A DEUS E NÃO SE ENTENDEM A SI MESMOS! QUE ORGULHO REPULSIVO NESTES HOMENS, QUE PRETENSÕES TOLAS! ELES SE ACREDITAM APRENDIDOS E SÃO IGNORANTES. A VERDADEIRA CIÊNCIA FUGIU DE LONGE PARA SE RETIRAR ENTRE OS HOMENS SIMPLES QUE ADORAM SEM VER E ACREDITAR SEM ENTENDER. A CIÊNCIA NÃO É O APOIO DOS JUSTOS. O HOMEM JUSTO RENUNCIA VOLUNTARIAMENTE À CIÊNCIA PARA CONFIAR NA VERDADE E NA JUSTIÇA DE DEUS, QUE APARECEM EM SUAS OBRAS. ELE TEM UM CORAÇÃO TRANQUILO; ELE COLOCA SUA ESPERANÇA NO SENHOR, E ESPERA PELO MOMENTO EM QUE SERÁ EXALTADO ACIMA DE SEUS INIMIGOS."

 

LIVRO UM - Capítulo 4

Minha filha", disse-me um dia o Salvador Jesus, "você não tem o conhecimento dos sábios, nem a sabedoria dos sábios segundo o mundo; mas eu quero lhe dar um livro que a fará mais sábia e mais douta do que todos os sábios e todos os doutos. Este livro estará sempre aberto aos seus olhos, e a luz do céu, que brilhará neste livro, permitirá que você o examine todos os dias e todos os momentos do dia. Venha comigo, minha filha, fique em um lugar alto e olhe. A criação inteira está diante de seus olhos. Considere o céu acima de sua cabeça, o sol que viaja com passos gigantescos pelo espaço, e o firmamento que cada noite desdobra sua magnificência, sempre antiga, sempre nova. Em seguida, baixe seu olhar para a terra firme e sólida sob seus pés, pontilhada de plantas e flores, coberta com mil espécies diferentes de arbustos e plantas em seus jardins, carvalhos e cedros em suas florestas. Percorra o campo: que infinidade prodigiosa de insetos, répteis e animais de todos os tipos! Contemplar o mar: que imensa captação de água! Que profundidade! Você não pode reconhecer nestas obras o poder de Deus que as fez e ainda as preserva todos os dias por um poder igual ao da criação? Bem! Isto ainda não é nada comparado ao homem, que é a criatura mais perfeita que veio das mãos de Deus. O homem, minha filha, a composição de seu ser sozinho é capaz de fornecer um assunto indefinido para consideração e reflexão. Nele há um corpo e uma alma; um corpo feito de matéria, uma alma que é o sopro de Deus. Que arte na disposição deste corpo, que perfeição! Que maravilhas nas faculdades da alma, na mente, na vontade, na memória! Que união entre as várias partes do corpo! Que união entre as várias faculdades da alma! Não é o trabalhador que fez do homem um trabalhador divino? Ele não é Deus?

Do homem como indivíduo, volte sua atenção para o homem na sociedade, para os povos, para as nações. Quem fez o homem individual? Quem fez o homem que vive em uma família? Quem fez o homem ligado a uma nação, a um império? Não é Deus quem une o homem por esses laços misteriosos? Sim, é Deus, pois o próprio homem é inimigo do jugo; ele ama o que chama de liberdade, e esta liberdade o separaria de seu país e de seu príncipe. Existe uma lei para governar nações e impérios; esta lei é um jugo que parece quebrar a liberdade do homem, mas acima das vontades dos homens está a vontade de Deus, que submete os homens àqueles que ele estabeleceu para governá-los.

A voz de Deus se levanta: ele submete o povo aos príncipes e aos reis. A voz de Deus se eleva: ele se faz obedecido por monarcas e governantes. A voz de Deus se levanta: ele faz tremer as cabeças coroadas como uma criança em seu berço. A voz de Deus se levanta: ele proclama sua bondade, sua misericórdia ou sua justiça sobre os povos e os reis. A voz de Deus se eleva: ele dá prosperidade às nações e a seus reis. A voz de Deus se eleva: ele preserva o povo e seus governantes de todo o mal. A voz de Deus se levanta: Ele quebra os monarcas e faz desaparecer seu império como uma nuvem que o vento expulsa do céu.

O homem vive, move-se, caminha, treme, luta; mas é Deus quem o conduz e guia. É o mesmo com as nações. Todas as coisas foram feitas por Deus, e Deus as preserva. Todas as coisas foram feitas por Deus, e nada resiste à Sua vontade. Todas as coisas foram feitas por Deus, e todas as coisas são instrumentos de Deus na execução de Seus propósitos e julgamentos. Ele poderia realizá-los sozinho, mas tem o prazer de usar os instrumentos que criou, e não diz a ninguém como atingir Seus propósitos, ou quando Ele atingirá Seu objetivo, ou porque Ele avança ou atrasa o cumprimento de Sua vontade.

Insensato aquele que não reconhece Deus no governo dos homens! Insensato aquele que não reconhece Deus em Suas obras no céu e na terra! Insensato o que tem o grande livro da criação diante de seus olhos e não encontra em todas as páginas este nome: Deus!

Eles são cegos e tolos, e sua loucura e cegueira os afastam de Deus, de modo que só pensam nas coisas da terra.

Eles são cegos e tolos e não vêem nem buscam a Deus, porque estão separados de Deus, porque são rebeldes contra Ele, porque o pecado reina em seus corações.

Se fossem justos e santos, penetrariam em Deus, mesmo em Seu coração; veriam Suas obras com admiração e não cessariam de louvar Seu poder, Sua bondade, Sua misericórdia, Sua providência. Eles entenderiam em todos os lugares que Deus dirige tudo. A criação seria para eles o primeiro livro em que aprenderiam a verdadeira ciência da dependência universal de todas as coisas de Deus, porque tudo foi feito por Deus."

 

LIVRO UM - Capítulo 5

Dois verdadeiros amigos, distantes, não se contentam em pensar um no outro; eles também querem se ver de vez em quando, conversar um com o outro, e estas visitas e conversas aumentam seu afeto mútuo. Eu amo bem o Salvador Jesus, mas sinto que poderia amá-lo cada vez mais; e amá-lo cada vez mais é o desejo mais profundo do meu coração. É por isso que vou o mais frequentemente possível visitá-lo no sacramento de Seu altar. Ali, falei com ele a sós por muito tempo. Eu lhe disse poucas coisas, eu só sabia dizer estas palavras: Ó meu Jesus, eu te amo; ou: Jesus, eu te dou meu coração! Ou ainda: Salvador Jesus, aumenta meu amor por você. Então, quando o deixei, eu lhe disse como um adeus: Meu Salvador, abençoado seja sua serva mais humilde!

O Salvador Jesus me escutou por muito tempo sem me fazer ouvir sua voz de maneira sensível, mas eu ouvi, no entanto, como se fosse uma voz interior que não pronunciava palavras, e esta voz cheia de doçura e suavidade também me disse: "Minha filha, eu te amo; minha filha, eu aceito a oferenda de teu coração; minha filha, eu te abençôo", e eu me retirei satisfeita.

Como ele queria me permitir ouvir suas palavras, notei que sempre foi no lugar santo, durante a oferenda do sacrifício do altar. Muitas vezes ele espera até descer no meu coração; depois começa a me abraçar; às vezes também é no momento da minha ação de graças. Ele raramente fala comigo antes da Santa Missa, embora às vezes o faça. Quando vou à missa, eu o vejo cara a cara. Então ocorre em mim uma mudança repentina que não posso expressar. Parece-me que estou sozinha com o Salvador Jesus; já não vejo mais nada, não tenho olhos nem ouvidos para os objetos sensíveis que estão perto de mim, não sinto nada. Meus olhos vêem somente o Salvador Jesus; meus ouvidos ouvem somente o Salvador Jesus; meu coração ama somente o Salvador Jesus; todo o meu ser sente somente pelo Salvador Jesus.

Isto foi o que ele me disse um dia quando me falou sobre o homem:

Deus criou o homem. O corpo do homem foi feito de terra pelas mãos de Deus. A alma do homem foi produzida pelo sopro de Deus, um sopro cheio de vida que animava o corpo. No início, portanto, o homem não existia; foi Deus quem o tirou do nada, e quando ele começou, o homem ainda permaneceu como nada; pois ele não podia existir, não podia se mover, não podia agir até que Deus continuou sua existência, deu-lhe movimento, emprestou-lhe ação. É por isso que o homem nunca deve confiar em si mesmo, contar consigo mesmo, esperar nada de si mesmo; é por isso que o homem só deve querer o que Deus quer, operar o que Deus ordena. Desta forma, o homem voltaria seu coração para Deus e não para a terra; desta forma, o homem caminharia para Deus que o espera e o faz por ele, e não para as mentiras e vaidades que serão sua ruína. O homem vem de Deus e deve voltar para Deus. Há dois movimentos no homem: de seu ser criado por Deus à existência e de seu ser existente a Deus. Estes dois movimentos são dados ao homem por Deus; e por estes dois movimentos o homem, se ele quiser, voltará infalivelmente a Deus. Eu digo se quiser, porque o homem pode mudar a direção deste movimento.

Deus fez o homem no início: Ele o fez grande e feliz. Ele lhe deu um mundo do qual ele era o rei, um paraíso do qual ele era o mestre. Ele o fez seu representante na Terra, ele o fez Deus visível no mundo para homenagear o Deus invisível do céu. Ele lavou a alma do mundo, e sua alma foi aquela pela qual o mundo deu a Deus seu amor, e seu espírito foi aquele pelo qual o mundo conheceu seu autor e seu Deus. Tinha que ser assim, pois a ordem estava lá. Esta ordem foi dissolvida. O segundo movimento que Deus havia dado ao homem para retornar a Ele, o homem o mudou para receber o movimento do príncipe das trevas. A partir de então, o homem não mais andou no caminho de Deus, que é a verdade, mas no caminho de Satanás, que é a falsidade. O segundo movimento dado ao homem por seu criador deveria ser destruído para sempre, mas a misericórdia de Deus veio para se opor ao triunfo de Satanás. Eu vim para parar o movimento do inferno oferecendo ao homem a força e o poder para deixar esse movimento. Mostrei ao homem novamente a verdade, mostrei ao homem novamente o caminho; fiz mais, dei-lhe de volta a vida que ele havia perdido.

Hoje, todo homem recebe, como no início, o primeiro movimento, que o lança na vida; mas o segundo movimento, que lança o homem vivo para Deus, não é mais dado a ele com o primeiro movimento. O segundo movimento o joga vivo na morte; mas eu estou lá para pegá-lo novamente através do batismo e colocá-lo de volta no caminho que leva a Deus. Então tudo é reparado: o homem é regenerado; ele caminhará, se desejar, para Deus ou voltará para Satanás, de quem o libertei; ele caminhará em verdade ou em falsidade.

Vede até onde vai a bondade de Deus: Ele não queria que eu tirasse o homem do caminho da perdição apenas uma vez; Ele queria que eu fosse ao homem a cada hora do dia quando o homem clama a Deus, para lhe devolver sua vida e movimento em direção ao seu Criador através do sacramento da penitência.

Isto é o que Deus tem feito pelo homem, e o que ele ainda faz todos os dias: e o que o homem faz por Deus? Podemos compreender a gratidão do homem a seu Criador e a seu Deus? Deus é o benfeitor contínuo e diário do homem, e o homem é um ingrato que esquece todos os dias o que Deus faz por ele. "

 

LIVRO UM - Capítulo 6

No dia seguinte ao Salvador Jesus me dizer estas palavras, eu voltei para Ele. Durante a Santa Missa, lembrei-me do que Ele me havia dito no dia anterior sobre os dois movimentos da criatura, um de Deus para a existência, o outro da existência para Deus. A fim de dar mais força ao movimento que me leva a Deus, consagrei a Ele meu corpo, minha alma, minhas faculdades, meus afetos e tudo o que havia em mim. Depois disso, eu vi o Salvador Jesus no meio do altar, sentado em um trono dourado. Seu rosto estava mais radiante do que o sol; eu estava deslumbrada. Ele se dignou a velar Seu esplendor para mim. Um anjo em forma humana se aproximou de mim, pegou-me pela mão e me levou ao altar. Lá fiquei até o final da missa, ajoelhada diante do Salvador Jesus. Lange estava à minha direita, também ajoelhado. Ele se levantou, e eu me levantei com ele e fui até Jesus, que me disse: "Você ofereceu a Deus uma oferta que lhe agrada. Eu te aceito como minha serva; minha filha, regozija-te! "

Depois Ele acrescentou: "Você se reconheceu como serva de Deus: este reconhecimento está cheio de verdade e justiça, pois o homem é e deve ser servo de Deus. Ele deve viver sob a servidão de Deus, e não se deve ser isento dessa servidão. Veja o homem! Ele formou seu corpo e seus membros? Ele lhes deu força, vigor, movimento, ação? Como Ele dotava sua alma de memória? É o homem que preserva por sua própria virtude tanto seu corpo quanto sua alma? É o homem que, por si mesmo e de si mesmo, se dá o dia? É o homem que fixa e regula a hora de sua morte? De quem o homem depende em seu nascimento, em sua existência, em sua morte? Não é de Deus, seu criador? A criação do homem por Deus é a primeira servidão a Deus, e nenhum homem pode isentar-se dela, porque nenhum homem pode criar a si mesmo.

Ó admirável servidão, servidão cheia de glória, servidão infinitamente feliz, e quão poucos entendem esta servidão! Deus é Deus e, portanto, um mestre todo-poderoso; Sua soberania não conhece limites. Sua soberania não tem limites. Ela se estende sobre o corpo e a alma, sobre todas as ações possíveis do homem, sobre todos os seus pensamentos, mesmo os mais secretos. Estende-se sobre sua vida, estende-se sobre sua morte, estende-se até mesmo além da morte. Esta soberania dura além do tempo, e durante a eternidade Deus ainda será o soberano do homem.

Deus é o soberano do homem e um soberano cheio de bondade, cheio de amor, cheio de ternura. Por que Ele criou o homem? Foi pelos méritos do homem que não existia, ou por pura bondade? Como Deus exerce Sua soberania sobre o homem? Não é com a mais terna afeição que um pai pode ter por seu filho? Não parece que este soberano da eternidade se faz escravo do trabalho de suas mãos? A cada momento do dia Ele vela por sua existência, Ele provê suas necessidades, Ele o protege de seus inimigos, Ele vem até ele quando chama, Ele lhe concede o que pede, Ele recebe o nome do Pai, Ele trata o homem como Seu filho, Ele desce até Sua criatura infinitamente mais do que a criatura pode jamais entender.

Deus Criador é o soberano todo-poderoso e todo-amoroso do homem. O homem vive sob esta escravidão voluntariamente ou à força? O homem é o sujeito submisso de Deus? O homem aceita este jugo de Deus? Não. O homem se rebela contra Deus, despreza os mandamentos de Deus, esquece Deus e até pragueja: "Não há Deus".

 “Não há Deus" é a palavra insensata de um servo culpado. Não há Deus! Haverá uma mão poderosa para aquele que fala assim, que quebrará a palavra em seus lábios; haverá um braço forte para aquele que fala assim, que o derrubará e o impedirá de levantar-se; haverá um laço para aquele que fala assim, que os dedos do homem não tecerão, que envolverá todos os seus membros, e o abraçará por toda a eternidade, e o fará testar a justiça daquele cuja misericórdia e amor ele não desejava receber. Não há Deus! Ele disse a verdade: para este homem não haverá Deus, felicidade suprema e bem-aventurança; não haverá Deus, eternamente bom, eternamente soberano amável; mas haverá um Deus eternamente ofendido, um Deus eternamente temido, um Deus eternamente justo, um Deus eternamente vingador pela ofensa que lhe foi feita.

Esta é a segunda escravidão do homem; escravidão na glória, pela qual ele compartilhará da felicidade dos olhos de Deus e O louvará eternamente; ou escravidão na maldição, pela qual ele experimentará os efeitos da justiça de Deus e lhe prestará homenagem nas chamas da eternidade.

Assim Deus será sempre o eterno governante do homem; assim o homem será sempre o servo de Deus. O homem pertence a Deus porque Deus é seu criador; o homem pertence a Deus porque recebeu tudo dele; o homem pertence a Deus porque não é nada sem ele. Este é o domínio soberano de Deus sobre o homem: ninguém jamais o entregará a Deus. Os homens louvam, mas Deus não louva.

 

LIVRO UM - Capítulo 7

"Minha filha", disse-me um dia o Salvador Jesus, "Deus sabe tudo e nada acontece a não ser por Sua ordem e de acordo com Sua vontade. Mantenha este pensamento em seu coração; ele está cheio de verdade e consolo. Está cheio de verdade, pois Deus, o criador e mestre do mundo e de tudo que nele existe, tem o poder de dirigir, regular e guiar tudo, igual ao que tudo trouxe do nada. O Deus que criou tudo da primeira vez é o Deus que preserva tudo e, através desta preservação, parece criar tudo de novo. Assim, o céu, a terra e os elementos estão sujeitos à vontade de Deus desde o início dos tempos, como estavam sujeitos a Ele quando Ele lhes disse que existissem. Assim, o homem caminha sob o impulso da vontade de Deus, nasce, vive e morre, acorda e se move, porque Deus lhe diz para nascer, viver, morrer, e lhe permite acordar e se mover.

Este pensamento é cheio de consolo para aqueles que o possuem e o guardam no coração, porque em qualquer situação, em qualquer perigo, em qualquer prova que se encontrem, sabendo que é Deus quem o quer ou permite, podem depositar nele sua esperança e, longe de amuar, dizer-lhe, cheio de confiança: 'Meu Deus, não seja feita a minha vontade, mas a tua!

Nunca seja uma dessas pessoas tolas que atribuem ao acaso, ao destino, à vontade ou à combinação de homens, os acontecimentos felizes que trazem alegria, ou às desgraças que afligem. Veja em tudo, minha filha, apenas a providência de Deus, regulando, governando e dirigindo tudo neste mundo.

A alma justa vê a Providência em todos os eventos do mundo, e nunca deixa de louvá-la e abençoá-la.

A alma justa não atribui a vitória de uma batalha à valentia, à coragem, ao número de soldados ou à habilidade dos capitães; ela a atribui à providência de Deus, que dá a vitória a quem Lhe apraz.

A alma justa não atribui a prosperidade de um império ao governo do príncipe daquele império; ela a atribui à providência de Deus, que é a luz, o conselho, o poder e o apoio daquele príncipe.

A alma justa não atribui a queda de uma dinastia real à fraqueza ou à escassez dos membros dessa dinastia; ela a atribui à providência de Deus, que faz e desfaz os reis da terra para Sua glória e felicidade do povo ou seu castigo.

A alma justa não atribui pragas, inundações, a fúria das ondas dos mares, a irritação do trovão, a fome, a peste, a guerra, a doença e a morte a causas naturais; atribui tudo a Deus, que comanda o oceano assim como o relâmpago, que dá abundância ou esterilidade, que preserva a paz ou permite a desordem entre os homens, e lhes envia doenças ou saúde quando Lhe apraz.

Se ela escapar do perigo, perigo ou morte iminente, a alma justa reconhece que foi protegida, libertada e salva por seu Deus.

Se tiver sucesso em um empreendimento, a alma justa agradece ao Deus do céu que lhe deu esse sucesso.

Em uma palavra, a alma justa vê o dedo de Deus em tudo e em todos os lugares e, cheia de gratidão e admiração, submissão e respeito pela Providência divina, ela abençoa Aquele que vela por ela e por todas as criaturas com tanto cuidado, que provê todas as necessidades espirituais e temporais da humanidade, como mãe para os seus filhos, e dispõe de tudo de modo a aumentar a coroa da pessoa justa e levar o pecador de volta à resignação.

É disto, minha filha, que se trata a ação de Deus sobre os homens: tornar os justos mais justos e, sobretudo, trazer de volta ao caminho certo aquele que o deixou.

O homem muitas vezes esquece Deus para se apoiar em braços de carne: Deus se retira por um momento para fazê-lo compreender a fraqueza do apoio que escolheu, e o homem retorna a Deus, que gentilmente estende seus braços para ele. O primeiro apoio do homem deve ser Deus; é a Sua providência que ele deve se render e contar apenas com ele.

No entanto, não devemos esperar tudo de Deus a ponto de negligenciar o que a razão ou a necessidade prescrevem, pois fazê-lo seria agir precipitadamente e tentar a Deus. Mas Deus não procura favorecer os imprudentes; Ele apenas recompensa a fé daqueles que esperam nEle pelo que devem ou podem esperar.

Sim, confiança em Deus, confiança total e completa. Seu braço não está encurtado; ele preferirá fazer um milagre, se necessário, para livrá-lo de seus inimigos ou evitar a ruína de sua alma, do que deixar sua esperança ser desapontada e frustrada. Esperança, então, somente em Deus e em Sua providência, e aconteça o que acontecer com você, saiba que tudo vem de Deus, e que nem mesmo um cabelo cairá de sua cabeça sem permissão.

 

LIVRO UM - Capítulo 8

O céu dos céus é do Senhor", disse-me o Senhor Jesus um dia, "mas ele deu a terra aos filhos dos homens".

Deus fez o céu e a terra; o céu que você vê acima de sua cabeça, a terra que você pisa debaixo de seus pés. Deus fez o céu para dar aos homens luz para seu trabalho de dia, e escuridão para seu descanso de noite; Ele também fez a terra para dar-lhes alimento para seus corpos e roupas para cobri-los; e assim o céu e a terra, que Deus fez e que pertencem a Deus, são para o homem; e quando a terra desaparecer do homem, um novo céu aparecerá para recebê-lo. Não mais um céu material, no qual dia e noite, luz e escuridão, calma e tempestade, mas um céu espiritual, um céu cheio de Deus, um céu que mostra Deus e sua glória, que permite ao homem vê-lo, contemplá-lo, compreendê-lo; vê-lo o suficiente para não precisar de outra luz, contemplá-lo o suficiente para não desejar outra satisfação, compreendê-lo o suficiente para que sua inteligência encontre descanso em Deus. Este é o céu que Deus deseja dar ao homem, como Ele lhe deu a terra, o céu do qual Ele deseja fazer dele o sujeito, como Ele o faz sujeito da terra, o céu que será a suprema felicidade que o homem em vão busca na terra.

Este céu pertence a Deus; é a morada peculiar de Deus, o lugar de Sua manifestação às criaturas, o trono de Sua majestade e glória: por isso se diz que o céu é de Deus e a terra é para os filhos dos homens. O céu é o templo de Deus, como a terra é o templo do homem; o céu é o lugar da glorificação eterna de Deus, como a terra é o lugar da glorificação temporal do homem. Deus é rei do céu, o homem é rei da terra. Contudo, Deus não recebeu o céu de ninguém, mas o homem recebeu a terra de Deus. A terra não é dada ao homem perpetuamente, porque a terra é insuficiente para o homem. O homem não é apenas terreno, ele também é celestial. O homem foi primeiro feito de terra, depois um sopro celestial lhe deu vida. O céu desceu a esta terra, a carne do homem, para levá-la e elevá-la ao céu. A terra é um lugar alto do qual o homem toma seu impulso em direção ao céu. A terra é uma montanha alta que o homem sobe e cujo cume permite que o homem entre no céu. A terra é um arco fortemente inclinado para o céu e no qual o homem tem que se colocar para ser enviado para o céu. A terra foi dada ao homem apenas para lhe permitir possuir o céu, que é de Deus, um dia. É Deus quem deu a terra aos filhos dos homens; é Deus quem quer dar-lhes também o céu.

Mas veja os homens: eles sobem no escabelo dos pés da terra, não para alcançar o céu, mas para cair nas profundezas; sobem no alto e na alta montanha, que figura, não para alcançar o céu, mas para cair mais seguramente na escuridão eterna; ficam no arco da terra em direção ao céu, mas giram a direção deste arco na direção oposta, como se quisessem mostrar que não querem o céu e que são todos para a terra. Lamentável! Deus é tudo para o homem e a terra não é nada para eles, e eles dizem para a terra: 'Tu és tudo para nós'; eles dizem para Deus: 'Para nós, Senhor, tu não és nada, deixa-nos para a terra'.

 Vós, jovens, homens e mulheres, não pensam desta maneira? Em vez de lembrar que você foi feito para o céu, em vez de consagrar a Deus a primavera de seus anos, em vez de entregar a Ele tudo o que lhe pertence, em vez de avançar mais e mais no caminho da virtude, em vez de se aproximar mais do céu, você deseja apenas a terra; bem, você não receberá mais nada, e a terra será transformada para você em um tormento eterno.

Não é assim que você age, pais e mães, procurando aumentar o patrimônio de seus filhos, para adquirir para eles maiores riquezas, para amarrá-los cada vez mais à terra? Em vez de prendê-los cada vez mais ao céu, em vez de aumentar suas virtudes, esses tesouros que a ferrugem e os ladrões não podem remover, vocês desejam para si mesmos e para eles apenas a terra; bem, vocês não receberão mais nada, e a terra se tornará para vocês um tormento eterno.

Não é assim que você age, pais e mães, procurando aumentar o domínio de seus filhos, para adquirir para eles maiores riquezas, para amarrá-los cada vez mais à terra? Em vez de prendê-los cada vez mais ao céu, em vez de aumentar suas virtudes, esses tesouros que a ferrugem e os ladrões não podem remover, vocês desejam para si mesmos e para eles apenas a terra; bem, vocês não receberão mais nada, e a terra se tornará para vocês um tormento eterno.

Não é assim que vocês agem, seus homens de negócios e comércio, que só têm probidade aparente, só justiça falsa e mentirosa, só prudência baseada em ouro e dinheiro? Em vez de se lembrar do único trabalho necessário, que deveria lhe dar os tesouros do céu, você deseja apenas a terra; bem, você não receberá mais nada, e a terra se tornará para você um tormento eterno.

Vós sois a imagem do governo de Deus, a imagem dos julgamentos de Deus, a imagem do poder de Deus, e louvai-vos a vós mesmos por agirem como se administrassem a Terra para sempre, julgassem a Terra para sempre, e comandassem a Terra para sempre; bem, nada mais receberão, e a Terra será transformada em tormento eterno para vós.

Eu lhes digo, minha filha, com toda a força da verdade que permanece eterna, os homens se vangloriam de que podem continuar impunemente suas injustiças, seus saques, suas traições e suas iniquidades, que crescem cada vez mais a cada dia. Eles estão enganados ao pensar que Deus, que não se vinga na terra, jamais se vinga. Deixe-os ir adiante, deixe-os continuar caminhando; eles irão adiante e caminharão em direção à justiça eterna de Deus, da qual ninguém pode escapar. Quando chegar a hora da justiça, Deus colocará diante dos olhos de cada homem todas as suas obras, e então todos receberão a terra que procuraram.

Esta terra material desaparecerá para eles; o inferno será a nova e eterna terra que Deus dará aos réprobos. O céu será a nova e eterna terra que Deus dará aos eleitos. A terra da humanidade será a posse ou privação de Deus: Deus com os homens, Deus longe dos homens.

Ó filha, pense sempre na nova terra que você deve habitar um dia, pense no céu que Deus quer lhe dar, naquela terra onde Deus habita, onde Deus se manifesta, onde Deus se entrega aos seus escolhidos. Pelo contrário, sempre fuja da terra onde Deus habita somente através de sua justiça e vingança, só se manifesta, só se dá, só se entrega aos réprobos como um Deus vingador e soberanamente justo."

 

Fonte: http://livres-mystiques.com/partieTEXTES/MarieLataste/Sainte_Trinite_1.html

Busca


Domingo, 24 de Outubro de 2021




Acessos








Mulher Vestida de Sol