‹ voltar



“SE AQUELES DIAS NÃO FOSSEM ABREVIADOS...” (Mt 24, 22) – Terra gira cada vez mais rápido e tem o menor dia já registrado, aponta estudo

01 Agosto 2022 - Fonte: https://gauchazh.clicrbs.com.br/tecnologia/noticia/2022/08/terra-gira-cada-vez-mais-rapido-e-tem-o-menor-dia-ja-registrado-aponta-estudo-cl6b8oseg007d017ry69xdxw8.html

Um estudo de medição no Reino Unido diz que a Terra está girando mais rápido, comparado ao que era a meio século atrás. Esse fato culminaria em alguns dias do ano sendo mais curtos, como aconteceu com a data 29 de junho deste ano, o menor já registrado.

Na data em específico, a Terra levou 1,59 milissegundos a menos do que as 24 horas de realização do movimento de rotação. O recorde anterior era em 19 de julho de 2020, quando o planeta registrou  1,46 milissegundos mais rápido do que a média normal.

O método oficial para a cronometragem do tempo de rotação da Terra entorno dela própria é medido pelo Tempo Universal Coordenado (UTC), através de relógios atômicos responsáveis pela medição do tempo pelo movimento dos elétrons em átomos resfriados. Esse modo de cronometragem é baseado em uma instrução internacional, segundo o Olhar Digital.

Cientistas dizem que as mudanças climáticas podem influenciar. Por exemplo, o derretimento de geleiras pode contribuir com a redução do dia e o aumento da velocidade de movimento do planeta.

Os relógios atômicos que se baseiam em medidas internacionais de coordenação são precisos, mas também invariáveis, podendo-se assim, considerar normal essa oscilação de milissegundos em relação as 24 horas diárias.

Se o movimento da Terra continuar aumentando de velocidade, talvez seja preciso remover um segundo dos relógios atômicos, conforme dizem os especialistas. Esse acontecimento refletiria diretamente nos serviços de hardware e software, que dependem de cronômetros.

 


 

A percepção de que o tempo está passando mais rápido é algo que vem sendo sentido por todos nós... O tempo parece que está se encurtando. Dias, semanas, meses, nunca passaram tão rápido como agora. O assunto vem sendo tema de investigação por parte de cientistas e físicos já há algum tempo. Mas o que nos chama a atenção é que o ‘encurtamento’ do tempo é profecia se cumprindo...  

Em Mateus, no capítulo vinte e quatro, Jesus, do monte das Oliveiras pronuncia um dos sermões mais importantes para os cristãos, o Sermão da Montanha, que nos fala de acontecimentos importantes antes de sua segunda vinda a este mundo.

Lemos que haveria uma grande tribulação, ‘a qual nunca houve’ e nem jamais haverá. Tal será a gravidade do acontecimento que, se Deus não estender Sua mão para preservar Seu povo todos irão perecer por conta dos eventos que virão nesta grande tribulação.

‘Porque haverá então grande tribulação, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem jamais haverá.’ (Mateus 24, 21)

Mas, no versículo 22, a intervenção de Deus vem para auxiliar Seu povo naquele período, e uma das formas desta intervenção se dá quando Deus ABREVIA aqueles dias, ABREVIA aqueles tempos, que serão de grande dor e perseguição, tornando-os mais suportáveis e menos longo o período de sofrimento e dizimação.

‘Se aqueles dias não fossem abreviados, ninguém sobreviveria; mas, por causa dos eleitos, aqueles dias serão abreviados.’ (Mateus 24, 22)

Deus atua na natureza de diversas formas. Nós não conhecemos nada desta atuação, mas toda a natureza está subordinada à Mão de Deus. Esta percepção de encurtamento do tempo, como dito acima, suscitou pesquisas e estudos por parte de cientistas, para tentarem entender o que estaria acontecendo.

Trazemos apenas duas das várias hipóteses que circulam na internet, que tentam dar uma explicação para o motivo desta aceleração do tempo que vem afetando a todos no planeta. Na causa de tudo, está Deus agindo, e fazendo cumprir a profecia bíblica.        

 

A redistribuição de massa da Terra, por influência dos terremotos

Em 11 de março de 2009, um tremor de magnitude 8,9 atingiu o noreste do Japão. A energia liberada foi tamanha que alterou a distribuição da massa da terra. Isso gerou uma aceleração na velocidade de rotação do planeta. Como resultado, o dia na Terra durou 1,8 microsegundo menos que o habitual. As estimativas do impacto do terremoto foram feitas com base em dados sobre o quanto a falha que provocou o tremor deslizou para redistribuir a massa do planeta.

Os dados iniciais sugerem que o terremoto recente mudou a principal ilha do Japão em cerca de 2,44 metros. Também deslocou o eixo da Terra em cerca de 17 centímetros. Ao alterar a distribuição da massa da Terra, o terremoto japonês fez com que o planeta girasse um pouco mais rápido, encurtando o comprimento do dia por cerca de 1,8 microsegundos. E o impacto do terremoto pode não ter completamente acabado. Tremores mais fracos podem contribuir para pequenas mudanças no comprimento do dia também. Pelo menos 20 tremores de magnitude 6,0 ou superior já seguiram o tremor principal.

Estima-se que cerca de 500 mil terremotos ocorram a cada ano, detectáveis através do uso da instrumentação atual. Cerca de 100 mil destes tremores podem ser sentidos. Os terremotos vêm aumentando em intensidade e frequência, e, mesmo aqueles que ocorrem no leito dos oceanos, estão contribuindo para alterar a distribuição da massa (sólida e líquida) da Terra e consequentemente deslocar o eixo da Terra, fazendo com que planeta gire mais rápido. Lembre-se de que a cada terremoto, múltiplos tremores de menor intensidade ocorrem, no local, ou nas proximidades, ou ainda em áreas que estão altamente instáveis e foram atingidas pela energia liberada pelo primeiro terremoto. Esses eventos são chamados de réplicas ou aftershocks e muitas vezes são extremamente intensos, causando danos tão severos quanto o evento principal.

Esta pode ser a explicação para a perpcepção que temos de que o tempo está a passar mais rapidamente nos dias de hoje. A razão está aparentemente ligada à redistribuição da massa da Terra, por influência dos terremotos, causando a alteração na duração do dia.  

 

Outra hipótese, não menos interessante e possível trata da alteração da frequência do campo eletromagnético da Terra resultando em dias menores, conforme apresentamos abaixo.

 

Frequência do campo electromagnético do planeta Terra em mudança

O físico alemão Winfried Otto Schumann (20-05-1888 – 22-09-1974) constatou em 1952 que a Terra é cercada por um campo eletromagnético poderoso que se forma entre o solo e a parte inferior da ionosfera, cerca de 100km acima de nós. Esse campo possui uma ressonância, à qual foi dado o nome ‘Ressonância Schumman’, e que se apresenta mais ou menos constante em 7,83 pulsações por segundo, 7.83 Hz. Ela funciona como uma espécie de marca-passo, responsável pelo equilíbrio da biosfera, condição comum de todas as formas de vida. Verificou-se também que todos os vertebrados e o nosso cérebro são dotados da mesma frequência de 7,83 hertz.

A Ressonância Schumann, portanto, ‘é um conjunto de picos de espectro na porção de frequência extremamente baixa (ELF) do espectro do campo eletromagnético da Terra. As ressonâncias de Schumann são ressonâncias eletromagnéticas globais, geradas e excitadas por descargas elétricas na cavidade formada pela superfície da Terra e pela ionosfera.’

Por muitos anos essa frequência de ressonância pairou em uma constante 7,83 Hz, com apenas pequenas variações desde 1952. Nos anos 80, e de forma mais acentuada nos anos 90, a frequência passou de 7,83 para 11 e para 13 hertz. Uma mudança ainda maior ocorreu em junho de 2014. Os monitores do Sistema de Observação Espacial da Rússia mostraram um pico súbito de atividade, em que a frequência Schumann acelerou tão rápido chegando a 16,5 Hz.

Os investigadores ficaram espantados com esses valores, algo que nunca havia sido registado dessa forma. Em novembro de 2014, outros picos foram detectados, que mostraram que aumentava a frequência do planeta para 24 Hz. Mas isto não parou aí. Em janeiro de 2017, surpreendentemente, a frequência de ressonância do planeta chegou a mais de 36 Hz.  

Essas ressonâncias emergentes estão naturalmente correlacionadas à atividade das ondas cerebrais humanas e influenciam todo ser vertebrado sob o planeta. Empiricamente fez-se a constatação de que não podemos ser saudáveis fora dessa frequência biológica natural. Sempre que os astronautas, em razão das viagens espaciais, ficavam fora da ressonância Schumann, adoeciam. Mas, submetidos à ação de um simulador Schumann, recuperavam o equilíbrio e a saúde. 

Os investigadores não conseguem encontrar uma razão lógica para explicar o que está ocasionando este aumento de frequência da ressonância do campo magnético da Terra, mas, segundo os cientistas, o deslocamento da Terra está a acontecer mais rapidamente do que seria previsto. O que ocasionaria dias menores e o encurtamento do tempo, fazendo com que um período de 24 horas tivesse aproximadamente 16 horas.

 

INTERESSANTE: Site onde você pode acompanhar em tempo real a frequência do campo eletromagnético do planeta. Após acessar, clique em ‘Ressonância de Schumann’ à esquerda. O site precisa ser traduzido (site da Rússia).

http://sosrff.tsu.ru/?page_id=7

Fontes:
http://www.ultimatescience.org/frequencia-campo-electromagnetico-planeta-terra-em-mudanca/
https://g1.globo.com/natureza/noticia/mudancas-na-duracao-do-dia-e-aviso-pelo-cheiro-da-agua-5-fatos-surpreendentes-sobre-terremotos.ghtml
http://tonocosmos.com.br/o-tempo-esta-passando-mais-rapido
http://verdademundial.com.br/2015/11/por-que-o-tempo-esta-passando-tao-rapido/
http://www.apolo11.com/perguntas_e_respostas_sobre_terremotos.php?faq=2#ikjRqJX1AAXUoWRk.99 
https://www.lifecoachcode.com/2017/02/03/schumann-resonance-spiking-36/
https://www.reddit.com/r/Retconned/comments/5rezz5/humans_are_waking_up_for_first_time_in_recorded/

 

Nem eu nem você sabemos como se dá este encurtamento do tempo, a Ciência apenas estuda e especula possibilidades, criando hipóteses, MAS DEUS O SABE... Entretanto, esta profecia de Mateus 24, 22, como todas as demais profecias bíblicas, está se cumprindo e se os dias estão se tornando mais curtos significa que estamos muito perto do período da grande purificação. Não há como duvidar do cumprimento em sua totalidade de tudo que está predito na Bíblia, porque é o próprio Jesus que o atesta...

‘Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido.’ (Mateus 5, 18)


Busca


Sábado, 13 de Agosto de 2022




Acessos








Mulher Vestida de Sol