‹ voltar



08 de Dezembro - Festa da Imaculada Conceição de Maria

IMACULADA CONCEIÇÃO DE MARIA

Mais do que qualquer outro Tempo do Ano Litúrgico, o Advento é o Tempo de Maria, pois é nele que A vemos em mais íntima relação com o Seu filho, ao qual está unida «por vínculo estreito e indissolúvel» (LG 53). n/d

O Senhor Jesus veio ao meio dos homens pelo «sim» de Maria, e vem ainda por Maria. N’Ela se cumpre, na verdade, o mistério da Encarnação, por isso, a Solenidade da Imaculada Conceição está bem colocada no Tempo de Advento e constitui uma bela preparação para o Santo Natal. Na primeira Leitura, retirada do Livro do Génesis Terceiro capitulo, percebemos que o pecado, cujo sinal se apresenta na morte e no sofrimento humano, como também na expulsão do paraíso, sinal da separação de Deus, não afasta de todo a esperança, pois nos deixa a promessa do Deus fiel que um descendente nascido de mulher vencerá totalmente o mal (v 15).

O Evangelho diz-nos que a realização das promessas em Jesus é obra exclusiva de Deus e não do homem, embora não se realizem sem o concurso humano representado pelo «sim» de Maria, a “humilde Serva do Senhor”. Deus é o verdadeiro, único Senhor, Maria é sua serva. É Senhora porque está completamente livre do pecado. Deus, na Sua Providencia Infinita preservou do pecado original a Virgem Maria e fez dela a digna morada «do Filho do Altíssimo». Maria é humilde, reconhece a imensa distância entre Criador e criatura, sabe que para Ele «nada é impossível». Não compreende tudo, mas adere livremente, adapta-se à santa vontade de Deus. Maria responde “Faça-se em mim”. Adere ativamente ao chamamento de Deus e dispõe-se passivamente para que atue nela.

Deus respeita sempre a liberdade humana para atuar acontecimento e da história. Maria representa a adesão singela e pura à vontade de Deus. A grandeza de Maria é o seu «sim». Ela não segue o seu próprio desejo, a sua própria vontade, mas adere totalmente à Vontade de Deus. Deus podia realizar tudo sozinho, mas prefere atuar através da colaboração dos homens, tal como aconteceu através dos seculos com os profetas e outros homens e mulheres que se disponibilizaram a cumprir a Sua Vontade. Assim, Deus escolheu Maria para realizar a salvação da humanidade, porque quis que o Salvador fosse “filho do homem”.

Maria é, em sentido pleno, aquela misteriosa mulher do Livro do Genesis. É nela que se realiza a sentença divina sobre o tentador: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a sua; ela te esmagará a cabeça” (Gn 3, 15). Maria é reconhecida como a “nova Eva, mãe de todos os vivos”. O seu «sim» a Deus, tal como é apresentado no Evangelho de São Lucas, continua a inspirar a Igreja em cada um de nós. Em Maria, Deus completa aquilo que gostaria de ver em cada um de nós. Se à partida se afigura difícil, a Palavra de Deus garante que não é impossível. Esta celebração litúrgica desafianos por isso, a ser discípulos ao jeito de Maria, a começar por esta disponibilidade para que se faça em nós segundo a vontade do Senhor.

Deus se não impõe, mas propõe, como fez em Maria. Deus quis que em Maria se realizasse o Mistério do Verbo que se fez homem e habitou entre nós. Deus quis que no seio virginal de Maria se gerasse o Senhor. Da mesma forma, Deus convida-nos a gerar a Jesus no nosso coração e na nossa vida para que O possamos anunciar, testemunhar e transmitir para salvação de tantos e tantas. A receita é a de Maria: deixar que Cristo se forme em nós, e assim tornar possível o impossível, seja na procura da santidade seja no serviço de evangelização que prestamos.

Visto em: https://www.padreleo.org/media/Festa-da-Imaculada-Conceicao-de-Maria.pdf

 

Frases sobre a Imaculada Conceição de Maria

“Preservada de toda a mancha de culpa, Tu és para nós, peregrinos nos caminhos do mundo, modelo luminoso de coerência evangélica e penhor valiosíssimo de esperança segura”. (São João Paulo II)

“Ó mulher cheia e mais que cheia de graça, o transbordamento de tua plenitude faz renascer toda criatura! Ò Virgem bendita e mais que bendita, pela tua benção é abençoada toda a natureza, não só as coisas criadas pelo Criador, mas também o Criador pela criatura!” (Santo Anselmo)

“Senhor nosso Deus, que a comunhão na vossa Eucaristia cure em nós as feridas do pecado original, do qual Maria foi preservada de modo admirável ao ser concebida sem pecado. Por Cristo, nosso Senhor”. (Oração depois da comunhão)

“Foi ela, a Imaculada, isenta de toda a mancha original ou atual, e sempre intimamente unida com seu Filho, que, como outra Eva, juntamente com o holocausto dos seus direitos maternos e do seu materno amor, o ofereceu no Gólgota ao Eterno Pai por todos os filhos de Adão, manchados pela sua queda miseranda…”. (Papa Pio II)

“Cantamos teus louvores, ó pura Mãe de Deus! Os hinos que entoamos se elevam até os céus. Do Adão terrestre filhos, nascemos para o mal; só tu cremos isenta da culpa original”. (Liturgia das Horas)

“Imaculada Conceição, purifique meu coração para que eu possa melhor amar a Deus!” (São Pio)

“Aqui detemo-nos em oração, seguindo a tradição inaugurada pelos Papas precedentes, no dia solene em que a liturgia celebra a tua Imaculada Conceição, mistério que é fonte de alegria e de esperança para todos os remidos”. (Papa Emérito Bento XVI)

“Tu, está escrito, surges com beleza (Sl 44,14); e teu corpo virginal é todo santo, todo casto, todo morada de Deus”. (São Germano de Constantinopla)

“Por uma graça e favor singular de Deus onipotente e em previsão dos méritos de Jesus Cristo, Salvador do gênero humano, a bem-aventurada Virgem Maria foi preservada intacta de toda a mancha do pecado original no primeiro instante da sua conceição”. (Beato Pio IX)

“Ao longo dos séculos, a Igreja tomou consciência de que Maria, «cumulada de graça» por Deus, tinha sido redimida desde a sua conceição. É o que confessa o dogma da Imaculada Conceição, procla­mado em 1854 pelo Papa Pio IX”. (O Catecismo (§491))

“Maria, glória do mundo, de graça é plena de luz: por culpa alguma atingida serás a Mãe de Jesus. Nascemos todos manchados pela culpa original: somente tu e teu Filho sois livres de todo mal”. (Liturgia das Horas)

“Cheia de graça” és tu, Maria, repleta do amor divino desde o primeiro momento da tua existência, providencialmente predestinada para ser a Mãe do Redentor, e intimamente associada a Ele no mistério da salvação”. (Papa Emérito Bento XVI)

“Mãe Imaculada, neste dia solene, iluminado pelo fulgor da tua virginal Conceição, eis-nos mais uma vez aos teus pés, nesta histórica praça, no centro da Roma cristã”. (São João Paulo II)

“Entrando, o anjo disse-lhe: Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo”. (Lc 1, 28)

“Ó Deus, que preparastes uma digna habitação para o vosso Filho pela Imaculada Conceição da Virgem Maria, preservando-a de todo o pecado em previsão dos méritos de Cristo, concedei-nos chegar até vós, purificados também de toda a culpa, por sua materna intercessão. Por Cristo, nosso Senhor”. (Oração do Dia)

“A augusta Mãe de Deus, imaculada na concepção, virgem inteiramente intacta na divina maternidade, generosa companheira do divino Redentor, que obteve pleno triunfo sobre o pecado e suas consequências, alcançou ser guardada imune da corrupção do sepulcro, como suprema coroa dos seus privilégios”. (Papa Pio XII)

“Prestamos homenagem a Maria Santíssima preservada desde o primeiro instante do contágio da culpa original  e de toda a sombra de pecado, em virtude dos méritos de seu Filho Jesus Cristo, nosso único Redentor”. (São João Paulo II)

“Na tua Imaculada Conceição resplandece a vocação dos discípulos de Cristo, chamados a tornar-se, com a sua graça, santos e imaculados no amor”. (Papa Emérito Bento XVI)

“Ó Virgem Mãe de Deus, das virgens guardiã, ó porta azul dos céus, estrela da manhã. És lírio entre os espinhos, és pura sem sinal, brilhando nos caminhos da culpa original”. (Liturgia das Horas)

“Na descendência de Eva, Deus escolheu a Virgem Maria para ser a Mãe do seu Filho. «Cheia de graça», ela é «o mais excelso fruto da Redenção”. Desde o primeiro instante da sua conceição, ela foi totalmente preservada imune da mancha do pecado original, e permaneceu pura de todo o pecado pessoal ao longo da vida”. (O Catecismo (§508))

“Bendito seja Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que Te agraciou, ó Virgem de Nazaré, com todas as bênçãos espirituais em Cristo. N’Ele, foste concebida imaculada! Escolhida para seres Sua Mãe, n’Ele e por Ele foste remida mais que todos os outros seres humanos!” (São João Paulo II)

“Acolhei, ó Deus, o sacrifício da salvação que vos oferecemos na festa da Virgem Maria, concebida sem o pecado original; e, ao proclamarmos que a vossa graça a preservou de toda culpa, livrai-nos, por sua intercessão, de todo pecado. Por Cristo, nosso Senhor”. (Oração sobre as Oferendas)

“Preservada da herança do pecado original, foste concebida e vieste ao mundo em estado de graça santificante. Cheia de graça!” (São João Paulo II)

Visto em: https://ideeanunciai.wordpress.com/2014/12/03/frases-sobre-a-imaculada-conceicao-de-maria/

Busca


Sexta-feira, 01 de Março de 2024










Mulher Vestida de Sol