‹ voltar



Nove coisas que não haverá no Céu.

Por WEYLAN DEAVER 
Fonte: https://cristaos.org/novas/coisas-antigas-passaram/
 

Não diga: “Por que os dias do passado foram melhores que os de hoje?” Pois não é sábio fazer esse tipo de pergunta. Eclesiastes 7.10.

 

POR WEYLAN DEAVER ? Seus melhores tempos ficaram para trás? Se sim, você não é um cristão. A saudade é “sentimento nostálgico e melancólico associado à recordação de pessoa ou coisa ausente, distante ou extinta, ou à ausência de coisas, prazeres e emoções experimentadas e já passadas, consideradas bens positivos e desejáveis” (Michaelis).

É fácil lembrar do passado em termos de “dias de glória”, bons tempos que se foram para sempre, ou da maneira como desejamos que as coisas ainda fossem, mas também é fácil esquecer que cada época tem sua parcela de maldade e uma infinidade de problemas. A perspectiva de Paulo é que os cristãos devem esquecer o que está para trás e esforçar-se para alcançar o que está adiante, Filipenses 3.13. João descreve a cena em que a primeira terra e o primeiro céu não existem mais, e uma voz do trono diz: “as coisas antigas já passaram” Apocalipse 21.4. Quais são algumas “coisas antigas” que não farão parte da glória?

Primeiro, passará o adversário. O diabo é finalmente lançado em um lago ardente para ser eternamente atormentado, Apocalipse 20.10. Nunca experimentamos um ambiente moralmente puro. Imagine o Jardim do Éden antes do pecado, ou a família de Noé saindo da arca para um mundo prístino. Satanás perderá para sempre todo acesso a nós, e não derramaremos lágrimas por sua morte. As coisas antigas passaram.

Segundo, passará o matrimônio. Jesus disse: “Os filhos desta era casam-se e são dados em casamento, mas os que forem considerados dignos de tomar parte na era que há de vir e na ressurreição dos mortos não se casarão nem serão dados em casamento, e não podem mais morrer, pois são como os anjos. São filhos de Deus, visto que são filhos da ressurreição” Lucas 20.34-36. Se você se contorce com esta ideia, isso fala bem da felicidade do seu casamento, mas essa instituição divinamente criada nunca foi destinada a sobreviver à sepultura. Os votos de casamento duram “até que a morte nos separe”. Ainda seremos pais, filhos, irmãos (ver Lucas 16.27-28, mas o casamento não se aplicará ao nosso status eterno. As coisas antigas passaram.

Terceiro, passará a mortalidade. Quando a última trombeta soar, “os mortos ressuscitarão incorruptíveis e nós seremos transformados. 53 Pois é necessário que aquilo que é corruptível se revista de incorruptibilidade, e aquilo que é mortal, se revista de imortalidade” 1 Coríntios 15.52-53. O corpo físico que foi “semeado na fraqueza” será “ressuscitado em poder” como um “corpo espiritual” 1 Coríntios 15.43-44. Será “uma casa não feita por mãos, eterna nos céus” 2 Coríntios 5.1. Imagine um corpo que nunca é fraco, não pode ficar doente, não tem dores ou desconfortos, e viverá por um bilhão de anos vezes o infinito. Isso não é ficção científica — é o evangelho de Jesus Cristo. As coisas antigas passaram.

Quarto, passarão a privação e a opressão — grandes ou pequenas. Deus “enxugará dos seus olhos toda lágrima. Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor, pois a antiga ordem já passou” Apocalipse 21.4. “Nunca mais terão fome, nunca mais terão sede. Não os afligirá o sol, nem qualquer calor abrasador” Apocalipse 7.16. “Não haverá mais noite. Eles não precisarão de luz de candeia, nem da luz do sol, pois o Senhor Deus os iluminará” Apocalipse 22.5. Para sempre se irão a tristeza, a dor, a fome, o calor, a deterioração, a escuridão, a separação, qualquer coisa que desagrade a Deus. Ninguém terá uma necessidade não atendida. As coisas antigas passaram.

Quinto, passará o descontentamento. Paulo disse que aprendeu “a viver contente em toda e qualquer situação” Filipenses 4.11 VFL. Evidentemente, o contentamento terreno é uma habilidade “aprendida”, especialmente diante de todo o mal ao nosso redor e de mil coisas que gostaríamos de mudar em nós mesmos e em nosso ambiente. Mas nada se comparará a ouvir o Senhor do outro lado dizer: “Muito bem, servo bom e fiel! Você foi fiel no pouco, eu o porei sobre o muito. Venha e participe da alegria do seu senhor!” Mateus 25.21. Dizer que seremos contentes no Céu pode ser o eufemismo dos tempos. “Contente” não pode começar a descrever “a alegria” do nosso Senhor. As coisas antigas passaram.

Sexto, passará a aflição“Pois estas aflições pequenas e momentâneas que agora enfrentamos produzem para nós uma glória que pesa mais que todas as angústias e durará para sempre” 2 Coríntios 4.17 NVT. Seus problemas parecem insuperáveis? Você sofreu além do que o apóstolo Paulo passou? Depois de experimentar uma litania de provações relatadas em 2 Coríntios 11.23-28, ele foi eventualmente executado por ser cristão. Como Paulo pode dizer que uma vida de dor é apenas uma leve e momentânea tribulação? Nossas aflições podem parecer esmagadoras apenas porque não temos um ponto de referência de comparação. Ainda não fomos ao Céu. Uma vez lá, teremos uma perspectiva corrigida sobre toda a dor terrena. Enquanto isso, temos que aceitar a palavra de Deus. As aflições são “leves” e “momentâneas” e o “peso de glória” que está por vir é o que dura. No quadro geral, nossos problemas têm a duração e a gravidade de uma bolha que flutua alguns segundos antes de estourar. A glória é para sempre. As coisas antigas passaram.

Sétimo, passarão as más companhias. Pode haver muitas “figuras” no Céu, mas nenhuma que seja desagradável. Sua população é composta por “os que lavam as suas vestes, e assim têm direito à árvore da vida e podem entrar na cidade pelas portas” Apocalipse 22.14. O Céu não abrigará violência, perigo, animosidade nem desrespeito. Todos lá serão religiosamente iguais: adoradores do único Deus, capazes de se aproximar de seu trono pelo sangue de Cristo. Todos os nossos vizinhos serão ideais. As coisas antigas passaram.

Oitavo, passará o tempo, pelo menos como o conhecemos agora. Na eternidade, o tempo não produzirá maus efeitos. É por isso que os servos de Deus “reinarão para sempre e sempre” Apocalipse 22.5. A Bíblia dedica pouco espaço para descrever como será reinar para sempre. Lembre-se do comentário do Senhor: “Você foi fiel no pouco; eu o porei sobre o muito”? Talvez isso dê uma dica. Sabemos que o adoraremos no Céu. Não é declarado o trabalho que Deus poderá colocar em nossas mãos para realizar. Seja o que for, será grandioso. Mas não teremos relógios marcando minutos que nunca recuperaremos enquanto nos aproximamos do fim de uma vida útil. “Para sempre e sempre” não significa apenas muito tempo. É infinito. As coisas antigas passaram.

Nono, passará a distância entre Deus e nós. Nunca vimos seu rosto. Nunca pisamos em sua casa, ainda. Enquanto isso, Deus deu a seu povo na terra seu próprio Espírito em nossos corações como um pagamento inicial para garantir o que está por vir, “até a redenção daqueles que pertencem a Deus, para o louvor da sua glória” Efésios 1.13-14. Finalmente, no Céu os santos estarão “diante do trono de Deus e dia e noite o [servirão] em seu templo. E aquele que se senta no trono lhes dará abrigo” Apocalipse 7.15 NVT. Na terra, procuramos abrigo debaixo de uma árvore de sombra, em um veículo, sob um telhado. No Céu, o abrigo é “sua presença”!

Ouvi uma forte voz que vinha do trono e dizia: “Agora o tabernáculo de Deus está com os homens, com os quais ele viverá. Eles serão os seus povos; o próprio Deus estará com eles e será o seu Deus” Apocalipse 21.3.

As coisas antigas passaram.

 

Weylan é evangelista, autor e editor no estado americano do Texas.

Busca


Domingo, 26 de Maio de 2024










Mulher Vestida de Sol