‹ voltar



Manifestações Celestiais

(Artigo publicado em www.derradeirasgracas.com em 2006)

n/d

Depois de ter criado Adão e se manifestado a ele, a Noé, e a Abraão e Moisés, há aproximadamente 1250 anos antes do nascimento de nosso Senhor JESUS CRISTO, DEUS nunca mais parou de se manifestar e de conduzir seus filhos, nesta terra de peregrinação.

Através de Seu SANTO ESPÍRITO, dos santos Anjos, dos profetas do Antigo Testamento e nos últimos 2000 anos por meio de DEUS-FILHO e NOSSA SENHORA, principalmente, o PAI Eterno sempre zelou por Sua Criação. E este acompanhamento e direcionamento tem acontecido de diversas formas:

Inspirações por ação de DEUS ESPÍRITO SANTO:  

‘Simão Pedro respondeu: Tu és o CRISTO, o FILHO de DEUS vivo! JESUS então lhe disse: feliz és, Simão, filho de Jonas, porque não foi a carne nem o sangue que te revelou isto, mas Meu PAI que está nos Céus.’ (Mt. 16, 15-17)

Sonhos com os santos Anjos:

'Enquanto assim pensava, eis que um Anjo do Senhor lhe apareceu em sonhos e lhe disse: José, filho de Davi, não temas receber MARIA por esposa, pois o que NELA foi concebido vem do ESPÍRITO SANTO.’ (Mt. 1,20)

Aparições de santos Anjos:

’No sexto mês, o Anjo Gabriel foi enviado por DEUS a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, a uma Virgem desposada com um homem que se chamava José, da casa de Davi; e o Nome da Virgem era MARIA. Entrando, o Anjo disse-lhe: Ave, cheia de graça, o SENHOR é Contigo. (Lc. 1,26-28)

Aparições de Santos:

’Apareceram-lhes Elias e Moisés, e falavam com JESUS. Pedro tomou a palavra: Mestre é bom para nós estarmos aqui; faremos três tendas: uma para ti, outra para Moisés e outra para Elias.’ (Mc. 9,4-5)

’... EU Sou o DEUS de Abraão, o DEUS de Isaac e o DEUS de Jacó (Ex, 3.6). ELE não é Deus de mortos, senão de vivos...’ (Mc.12, 56-27)

Agora, de boa fé, amados de DEUS, reflitam e respondam para si mesmos: Se o TODO-PODEROSO, que é imutável em Seus Desígnios, Sempre agiu assim, por que de um momento para outro, durante o longo caminho da história da Salvação e Redenção do gênero humano iria mudar Sua forma de agir? Não se manifestando mais a seus filhos, como sempre fez? Abdicando de usar os instrumentos que sempre utilizou?

Sim, a revelação oficial foi concluída, com o santo Evangelho, o último Apóstolo e o derradeiro Livro, o Apocalipse. Mas desde quando a criatura mortal e finita vai querer impor limites ao Criador do céu e da terra e de todas as coisas visíveis e invisíveis?

O povo oficial era o israelita, a igreja oficial, da época, estava no Sinédrio, e a quem o PAI desejou se manifestar para anunciar a chegada do messias?

’Tendo eles partido, disse JESUS à multidão, a respeito de João: ‘Que fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento? Que fostes ver, então? Um homem vestido com roupas luxuosas? Mas os que estão revestidos de tais roupas vivem nos palácios dos reis. Então por que fostes para lá? Para ver um profeta? Sim, digo-vos EU, mais que um profeta. É dele que está escrito: ‘Eis que EU envio Meu mensageiro diante de TI, para te preparar o caminho’ (Mal. 3,1). (Mt. 11,7-10)

Por que então foi assim? Porque o PAI quis assim; decidiu assim. Mas, bem antes deixou avisado e escrito, através do profeta Malaquias. Os que conheciam e acompanhavam a Profecia não foram confundidos. E por que os poderosos religiosos do Sinédrio, a igreja da época, não aceitaram João Batista e sua pregação?

Porque ele era simples, humilde, iletrado e, principalmente, porque corriam o sério risco de diminuir, e até de perder o seu poder. Onde ficaria o seu orgulho, vaidade e egocentrismo, se não teriam mais a última palavra? A palavra que significativa a ‘verdade’?

Entrego, pois, ao SENHOR da messe a interpretação da similaridade existente entre o anuncio de Sua 1ª Vinda, na Encarnação do VERBO, com Sua atual e iminente Vinda Gloriosa. Esta mensagem, a seguir, foi ditada, por locução interior, a um sacerdote italiano, já falecido, em 25/02/1976, chamado Dom Ottávio Michellini, sob o seguinte titulo:

Sempre Falei.

Agora, não podes exigir mais para acreditar no que EU te disse sobre a crise de fé que destrói o meu Corpo Místico. Reparaste nas dificuldades que tem, até os chamados bons, para crerem em Mim, Verbo de DEUS feito Carne, realmente presente na Minha Igreja, no Mistério da Fé e do Amor? E que dificuldades não experimentam os chamados bons, para conceder direito de cidadania ao FILHO de DEUS!

Assim, ainda custa mais a admitir que a Palavra de DEUS possa manifestar-se a alguns, como e quando DEUS quer.

EU desejaria falar com todas as almas! É uma exigência do Meu Amor infinito. Falar, quer dizer comunicar com as almas, e comunicar quer dizer dar alguma coisa.

No Meu caso, comunicar, quer dizer dar Luz às almas, mas são muito pouco numerosas as que estão dispostas a receber, e prontas a aceitar o diálogo Comigo. Na maior parte faltam as predisposições de fé, de humildade e de amor. As almas a quem faltam estas virtudes, não admitem que outros as possam ter.

A Cristandade vive nas contradições. Dizem crer em MIM, VERBO feito Carne, portanto, verdadeiro DEUS e verdadeiro Homem, mas de fato negam-ME, negando-ME o direito de falar. Se acreditassem verdadeiramente em MIM, acreditariam então naquilo que EU, DEUS, sempre fiz desde os primórdios aos homens.

Sempre falei aos homens.

Falei a Adão e Eva diretamente. Falei a Caim.

Falei aos patriarcas, falei por meio dos profetas; falei por meio dos meus santos.

EU, hoje, não posso e não devo falar?... E sabes por quê? Porque, para os materialistas, EU não existo. Falar, dizia EU, é comunicar; comunicar significa dizer alguma coisa: uma idéia, uma verdade ou até uma mentira, como frequentemente fazem os homens com a sua alma deformada, orientada para o mal.

Pretende-se negar aquilo que, sempre e por toda a parte, foi uma necessidade elementar da natureza humana, ao Autor dessa mesma natureza.

Alguns, por exemplo, não acreditarão que EU falei por meio de ti, Minha pequena pena. Por quê? Não ME servi de São Paulo? E quem era Paulo antes da sua conversão? Não ME servi EU de Santo Agostinho? E quem era Santo Agostinho antes da sua conversão? De quantos agostinhos não ME servi, durante estes séculos, para falar aos homens?... Que sabem eles do que se passa entre MIM e a tua alma?

É um paradoxo dizer: ‘Creio que JESUS é a Palavra Viva, é o FILHO de DEUS’, e depois negar que JESUS possa falar a uma alma. A primeira afirmação é destruída pela segunda.

Quantas coisas na Minha Igreja são hoje um paradoxo!

Como, por exemplo, a atitude de certos sacerdotes que dizem acreditar na Minha Presença Real, quando a realidade da sua vida desmente o que os seus lábios proferem. Se acreditassem na Minha Presença Real, no Mistério do Amor, deveriam acreditar na razão que ME levou a instituir o Prodígio Eucarístico.

Oh, filho, se quisesse analisar profundamente a vida e a fé dos Meus ministros, chegar-se-ia a amargas conclusões...

Reza filho, não te canses. Abençôo-te.

Concluindo então esta primeira parte, queremos claramente reafirmar que DEUS sempre se manifestou à humanidade, através de Seus instrumentos escolhidos; está se manifestando e ainda irá se manifestar, por causa do Amor misericordioso que nutre por todos nós, até o fim deste Apocalipse purificador.

E quais têm sido as formas principais?

Em primeiro lugar as Aparições de NOSSA SENHORA, que nos últimos cento e cinquenta anos têm ocorrido pelos cinco continentes e na maioria dos países; porque ELA é a Co-Redentora do gênero humano e todas as profecias bíblicas terão de se cumprir:

’Porei ódio entre ti e a Mulher, entre a tua descendência e a DELA. ESTA te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar.’ (Gn. 3,15)

’Apareceu em seguida um grande sinal no céu: Uma mulher vestida do sol, a lua debaixo dos Seus pés e na cabeça uma coroa de doze estrelas.’ (Ap. 12,1)

Em segundo lugar as locuções de NOSSO SENHOR; o ALTÍSSIMO concede a primazia a Sua profética MÃE, no Anúncio de Sua Vinda Gloriosa, neste final dos tempos.

Contudo, nestas últimas décadas, também ocorreram muitas vezes Aparições de NOSSO SENHOR, como por exemplo, a Santa Faustina Kowalska, na Obra da Divina Misericórdia, onde foi pintado um quadro com a visualização que a santa religiosa teve de JESUS de Misericórdia. Inúmeras vezes também aconteceram manifestações de NOSSA SENHORA, por locução interior. Um exemplo: O Movimento Sacerdotal Mariano, que a Mãe de DEUS e nossa, instituiu através do padre italiano Stefano Gobbi, no intuito de divulgar e implantar os Cenáculos Marianos por todo o mundo. As mensagens, mais de seiscentas, foram ditadas entre 1973 e 1997, durante, praticamente, vinte e cinco anos; período em que o Pe. Gobbi percorreu várias vezes todos os continentes e dezenas de paises.

Salientamos ainda que na Itália na década de 1970, enquanto Nossa Senhora se manifestava por locução interior ao Pe. Gobbi, da mesma forma Nosso Senhor Jesus Cristo se manifestava a outro sacerdote, Dom Otávio Michellini. Ambas as Obras foram publicadas no Brasil.

Se fosse possível quantificar, mesmo de modo aproximado, todas as Aparições e Locuções interiores de NOSSA SENHORA e de NOSSO SENHOR na face da Terra, neste último século, que ninguém se escandalize, elas estariam próximas de mil. Quem corrobora com esta cifra é o teólogo e mariólogo francês, padre Rêne Laurentin. Isto sem considerarmos as Aparições e Locuções interiores dos Santos e dos santos Anjos; e que não foram poucas.

Com toda esta portentosa ação Celestial, os incrédulos, céticos, orgulhosos e prepotentes ainda insistem em não querer enxergar a excepcionalidade destes tempos. Observem, irmãos, o poder que satanás possui para cegar aqueles que ele consegue endurecer o coração.

E quanto à veracidade, todas que foram anunciadas e divulgadas eram de fato verdadeiras?

De imediato, somos obrigados a fazer um grande lamento: lamentar profundamente a atitude da grande maioria dos eclesiásticos, principalmente dos senhores bispos, que antes de qualquer análise e avaliação dos casos que se tornavam públicos e até notórios, já os rejeitavam prontamente. Ignorando-os em sua grande maioria, e até difamando-os, como em alguns casos. Se aqueles que têm o direito, o dever e a capacidade teológica assim agiam, como poderíamos ter certeza de sua veracidade? Só mesmo pela fé, a oração e a misericordiosa ação de DEUS-ESPÍRITO SANTO.

No entanto existem alguns pressupostos básicos para chegarmos a alguma conclusão segura. Por exemplo:

1)          A profecia está plenamente alicerçada no Evangelho, na Doutrina, Dogmas e Tradição da Igreja?

2)          A mensagem prega o amor a DEUS, a Igreja, a NOSSA SENHORA, aos santos, santos Anjos, almas do Purgatório, hierarquia fiel e ao próximo?

3)          A pregação insiste na necessidade diária da oração e na vigilância contra satanás e as forças do mal?

4)          Há insistência na importância da Santa Missa, Eucaristia e demais sacramentos?

5)          O instrumento vive realmente uma profunda conversão; mostra sinceramente desapego às coisas do mundo (materiais) e é humilde? Tem vida intensa de oração? É uma pessoa equilibrada?

Se estes cinco itens forem realmente satisfeitos, através de uma análise e avaliação cuidadosa, existem grandes chances de a profecia ser autêntica. A decisão final terá de ser alcançada através de muita oração e um forte clamor ao ESPÍRITO SANTO de DEUS e Suas misericordiosas inspirações!

Ainda, cumpre-nos fazer mais algumas importantes observações: Somente da profecia bíblica DEUS é cativo, quanto ao seu cumprimento, em toda a extensão e detalhes. Mesmo sabedores de que o Senhor nunca se manifesta em vão, por isso sempre é importantíssimo tomar conhecimento do que Ele tem dito, estas manifestações não chegam a ser acréscimos à Revelação oficial, a Bíblia.

Na verdade são misericordiosos apelos, exortações e alertas para auxiliar-nos a entender o estágio atual e o desenrolar do que está nas Sagradas Escrituras. É, em suma, um posicionamento e um detalhamento enriquecedor, para nosso melhor entendimento, do que já foi dito na Revelação oficial. Por isto pode acontecer, e já ocorreu, do Altíssimo permitir que seja alterado o curso de algum acontecimento anteriormente previsto, sem que com isto deva ser invalidado todo o restante, ou até mesmo a(s) fonte(s).

Como exemplo, citamos a profecia sobre o papa João Paulo II, que o apontava como sendo o último verdadeiro; o próximo seria o falso profeta de que fala o Apocalipse.

Nitidamente o Todo-Poderoso permitiu-se alterar o desenrolar desta profecia contemporânea, sempre visando um bem maior para as almas. Nestes momentos é vital, além de alguma bagagem teológica, usarmos o discernimento, a humildade e a caridade. Com o agravamento do quadro clínico de nosso saudoso e amado papa João Paulo II, queríamos o quê? Que DEUS o mantivesse em cima de uma cama, em grande sofrimento, por mais alguns anos, apenas porque alguns corações sem piedade não iriam entender e aceitar esta amorosa e misericordiosa alteração? Não, amados irmãos, DEUS é PAI! E a profecia bíblica de que um papa, num futuro próximo, vai trair a Igreja, capitulando ao anticristo, continua valendo perfeitamente! (lembramos que este texto foi escrito em 2006...)

Agora, se alguma destas fontes, mesmo que tenham sido verdadeiras e importantes, num passado próximo, continuam não aceitando esta alteração de curso, uma coisa é certa: não é o ALTÍSSIMO que a continua utilizando. Das duas uma: OU o instrumento está anotando o seu pensamento, insistindo com o passado, não aceitando a mudança de rumo, OU o, pai da mentira infiltrou-se e assumiu o comando... Lamentamos afirmar isto, mas não existe uma terceira opção!

‘Vós sois o sal da terra. Se o sal perde o sabor, com que lhe será restituído o sabor? Para nada mais serve, senão para ser lançado fora e calcado pelos homens.’ (Mt. 5,13)

No entanto devemos procurar sempre imitar nosso SALVADOR, JESUS CRISTO, usando de misericórdia e caridade. Não persigamos a estes, antes rezemos para que voltem a abrir seus corações e possam novamente receber do alto a LUZ da verdade.

Dentre outras expressões que já foram comentadas, tipo ‘fim do mundo’, existe mais algumas que são usadas hipocritamente pelos incrédulos cheios de orgulho no sentido de desacreditar e perseguir as profecias contemporâneas.

Uma delas é prudência. Usada com sinceridade e boa fé esta palavra é vital em todas as ações de nossas vidas. Porém, muitos leigos e eclesiásticos céticos, ao serem confrontados com as atuais mensagens celestes, a usam para intimidar, confundir e até esconder os avisos de DEUS. Portanto, fiquemos alerta e não caiamos em mais esta armadilha, para nos desestimular e silenciar.

Outra expressão que gostam de usar, para semear dúvidas, desfazer e até nos constranger, quando citamos os atuais avisos do Céu, é: ‘... isso, se for o caso, não passa de revelação particular...’, afirmam com desdém. Já dissemos anteriormente que todos nós sabemos que também não se trata de Revelação oficial, pois esta encerrou-se na Bíblia. Porém, tem de ficar muito claro que, quando DEUS se manifesta a um instrumento, Suas santas Palavras não se dirigem apenas àquela pessoa, mas a toda a humanidade. Quem não quiser aceitar e acreditar, estará usando, sob sua inteira responsabilidade, o livre arbítrio que o Todo-Poderoso lhe concedeu, e respeita. Agora, no momento em que tenta influenciar negativamente a seu irmão, se passando por juiz, já estará correndo o seriíssimo risco de estar se opondo, desmentindo e até julgando ao seu SENHOR.

Portanto, amados irmãos, rezemos e vigiemos.

Encerramos este texto com mais uma mensagem (05/06/1978) de nosso amoroso e tão pouco amado SALVADOR, JESUS CRISTO, ao padre italiano Dom Otávio Michellini, já falecido, sob o seguinte título:

EU estou presente como Redentor, Salvador e Chefe da Minha Igreja

‘Meu filho, Sou JESUS, escreve.

Mais uma vez EU, Verbo eterno de DEUS, ‘ab aeterno’ gerado pelo PAI, feito Carne no Seio Puríssimo da Minha MÃE e vossa, Me dirijo a ti, que EU escolhi, desde sempre, como Meu instrumento para um grande desígnio de amor e de salvação.

EU sou verdadeiro DEUS e verdadeiro Homem, presente no meio de vós no mistério da fé; vivo, real, com a Minha presença que encerra em si as duas naturezas: Divina e humana. Portanto, também presente fisicamente. Presente como Redentor, Salvador e Chefe da Minha Igreja; repito-te, da Minha Igreja, objeto de imenso ódio da parte daquele que nunca aceitou, nunca quis a Minha Igreja, que sempre a odiou e continua a odiar. Presente como Chefe da Minha Igreja, porque Ela saiu do MEU SANGUE, do Meu CORAÇÃO trespassado. Presente na Minha Igreja, centro de tantas ambições, de tantas manobras obscuras, desejadas e fomentadas para saciar as concupiscências do espírito e da carne; causa de tantos pecados, de tantas profanações, de tantos sacrilégios que se querem cobrir com a capa do ‘savoir faire’, ou seja, da hipocrisia, do egoísmo mais objeto.

EU e a Minha MÃE interviemos várias vezes com poderosos apelos dirigidos àqueles que pareciam ter perdido de vista as grandes realidades espirituais da Criação e da Redenção. Filho, disse-te numa mensagem que muitos consagrados, levados pela heresia da ação, são como que sufocados por esse dinamismo corrosivo, deixando-se assim arrastar, quase nem se darem conta, cada vez mais longe das ‘fontes’ regeneradoras da vida divina.

Convidei estas almas, que ficaram cegas, não sem responsabilidade e culpa da sua parte, a pôr-se diante do Crucificado. Convidei-as a subir Comigo o Calvário, a estrada principal, a grande estrada traçada para instruir as almas com os ensinamentos da Minha Paixão, Morte e Ressurreição. Convidei todos os consagrados a seguir-Me pela vida da renuncia, da humildade, da obediência e da pobreza. Convidei-os a olharem para MIM suspenso na Cruz; a refletirem e a meditarem. Isso teria sido suficiente para suscitar neles um arrependimento purificador, para recuperar a fé quase extinta; para reavivar o fogo da caridade extinto, ou quase... E não o fizeram! Alguns nem sequer se dignaram prestar a menor atenção às Minhas mensagens, porque, na sua presunçosa incredulidade, não podem admitir que EU, verdadeiro DEUS e verdadeiro Homem, que estou na Minha Igreja, Me possa dirigir a quem EU quiser, onde, como e quando quiser: EU deveria sempre, segundo a sua presunção, pedir-lhes autorização para falar às almas que ME são queridas!

É verdade que lhes dei um poder e uma dignidade que não são devidas ao homem, mas essa dignidade e esses poderes foram-lhes comunicados para o bem de toda a comunidade eclesiástica, não para satisfazer a sua sede de poder, de riqueza, de ambições pessoais. Se lhes dei poderes e uma dignidade, foi para que os colocassem ao serviço de toda a Minha Igreja; repito, de todos os membros da Minha Igreja.

Repara na ignorância com que tratam os seus subordinados. Meu filho, tu sabes bem, e agora também o sabes por experiência pessoal, que o que te estou dizendo não é fruto da tua imaginação ou da tua loucura. Se houvesse neles humildade, não haveria a violenta reação em curso, e num crescente contínuo que te confirma, se preciso fosse, a triste realidade que a Igreja está vivendo.

Filho, tinha-te avisado que serias considerado louco. O Meu aviso não podia estar errado; mas o que é que os impede de constatar a verdade? O orgulho!

Meu filho, nunca te prometi outra coisa na Terra além do sofrimento. Eles não sabem que, fazendo-te sofrer, dão a manifesta confirmação da verdade que EU te dou a conhecer. Mas não vos deixeis impressionar, unidos a MIM nada deveis temer.

Filho, em toda a Minha vida terrena, nunca usei do Meu Poder para humilhar, mortificar; ferir os Meus inimigos. Se manifestei alguns rasgos do Meu Poder, o fiz apenas por confirmar as verdades que preguei e ensinei. Na Terra, não procurei a glória ou o prodígio, mas antes as humilhações; não os postos de privilégios ou de bem-estar, mas antes a pobreza; não a autoridade, mas a obediência até à morte.

Filho pedi intensidade de vida interior; pedi humildade, pobreza, paternidade, firmeza... O que é que obtive? Reza e faz rezar, repara. Oferecei todos os vossos sofrimentos, a fim de que o prato da balança não se incline para o lado do mal.

Abençôo-te, filho, e Comigo te abençoam a Minha MÃE Santíssima e São José.’

Apresentamos algumas jaculatórias para serem recitadas diariamente:

‘Sacratíssimo Coração de Jesus, que muito nos amais, fazei com que vos amemos cada vez mais!’

‘MÃE de DEUS e nossa, fazei do meu pobre coração, morada vossa!’

 

Por: Guerreiros da última ordem 
Fonte: www.derradeirasgracas.com

Busca


Domingo, 13 de Outubro de 2019







Acessos

Curta nossa página no facebook



Rainha Maria

Glória de Deus

Mulher Vestida de Sol