‹ voltar

'Agora é o juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo.' (João 12, 31)


Este mundo já está julgado

 

'Nossa história... Somente ao nos elevarmos ao ponto de vista espiritual, o ponto de vista divino, é que poderemos compreender melhor todo o horror da situação atual, e como a nossa geração está desorientada, sem rumo, decaída, corrompida, mentirosa e rebelde... Como está presa nas teias diabólicas, como perdeu quase totalmente a Luz, como se torna cada vez mais decadente e monstruosa...

E dizer que fomos criados como seres luminosos, à imagem e semelhança do Deus Santíssimo, feitos para as alturas, para sermos os representantes da realeza divina sobre toda a criação...’ (JHMF)

           

‘Eu rogo por eles; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus.’ (João 17:9)

‘E eu já não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste, para que sejam um, assim como nós.’ (João 17:11)

n/d

 

Este mundo já está julgado

 

A Bíblia narra que, em certa ocasião, ao ser tentado pelo Diabo, Jesus não contestou o papel de Satanás como governante deste mundo. A Bíblia explica o que aconteceu: O Diabo levou-o a um monte extraordinariamente alto e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles, e disse-lhe: ‘Todas estas coisas te darei, se te prostrares e me fizeres um ato de adoração.’ Jesus disse-lhe então: ‘Vai-te, Satanás!'’ – (Mateus 4:1, 8-10).

Em Lucas também diz: ‘E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo. E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero. (Lucas 4:5-6)

Jesus não negou que todos aqueles governos do mundo pertencessem a Satanás, pois de fato a ele pertenciam. Assim sendo, Satanás, o Diabo, é realmente o governante invisível do mundo! De fato, a Bíblia o chama de ‘o deus deste sistema de coisas’. (2 Coríntios 4:4)

Sabedores disto, consideremos agora a situação do mundo.

E esta é a situação do mundo: todo o sistema de poder que foi implantado neste planeta está debaixo do controle do demônio; poder maligno do homem sobre o homem, poder maligno do homem sobre a natureza, tudo isso ocorrendo a partir do controle que emana pelo poder maligno do demônio sobre a mente e o coração dos homens (sem Deus) ...

Tudo isto que você vê hoje, da forma como está, NÃO é aquilo que foi planejado por Deus para este planeta, ou seja, tudo foi adulterado, deturpado, modificado, dessacralizado, degenerado, corrompido, já a partir do momento em que o homem, no Paraíso, deu ouvidos ao... demônio.  

‘Sabemos que somos de Deus, e que todo o mundo está no maligno.’ (1 João 5:19)

 

A estrutura maligna implantada no mundo

O demônio, tendo perdido seu lugar no Céu, foi jogado à Terra e se estabeleceu aqui. Uma vez aqui, iniciou seu reino, por meio de seus anjos maus e daqueles humanos que lhe davam ouvidos e aceitavam sua doutrina. Um culto aos demônios começou a ser implantado na Terra, e isto cada vez mais fortaleceu o poder dos demônios sobre a Terra.

Rituais de sangue, de animais e de humanos, foram surgindo nas civilizações. Evidências trazidas por registros das narrativas feitos por historiadores, corroborados por achados arqueológicos, nos fizeram conhecer um pouco da história de povos que, por exemplo, faziam sacrifícios humanos e ofereciam a seus deuses, em rituais ‘religiosos’, ou seja, demoníacos. Estes sacrifícios sangrentos, envolvendo inclusive assassinato de crianças, e realização de práticas as mais cruéis (como, por exemplo, na civilização Maia: a extração do coração da vítima, ainda pulsante, estando ela viva ainda) estiveram presentes em civilizações que estiveram abertas às sugestões de práticas que lhes foram ‘inspiradas’ pelos demônios.

Práticas envolvendo sangue estendiam-se à intimidade dos lares onde as pessoas das castas dominantes vertiam, muitas vezes, seu próprio sangue, seu mais precioso bem, oferecido aos deuses em troca de favores.

Os homens então começaram a ‘fazer comércio’ com Satanás: com rituais de sangue, oferendas de alimentos, cultos religiosos em troca daquilo que o sacerdote, representando o povo, ou o súdito, em seu próprio favor, buscava: poder, conhecimento do oculto, domínio sobre outros povos, benefícios coletivos, como, por exemplo, boas safras, chuvas, curas, etc. E este ‘comércio’ nunca mais parou, até os dias atuais. Novas civilizações surgiram desde então, entretanto, o ‘comércio’ e o culto (diferindo apenas quanto aos nomes dados às entidades religiosas e suas descrições e atributos), não apenas se mantiveram, mas se proliferaram e estão ainda mais efusivos e com laços ainda mais estreitados com o mal nestes finais de tempos.

 

O conhecimento vindo dos níveis ocultos

Descrições de alguns dos ensinamentos passados pelos demônios, ou anjos caídos, aos humanos aparecem citados no Livro de Enoch, um dos manuscritos encontrados em 1947, no deserto, na margem ocidental do Mar Morto ( LEIA MAIS EM: http://www.mulhervestidadesol.com.br/Pagina/106/O-Livro-de-ENOQUE-O-homem-que-recebeu-de-Deus-o-poder-de-reprovar-os-anjos-caidos ) e este conhecimento foi preservado e passado aos iniciados na antiguidade através das ‘Escolas de Mistérios’. Mesmo para os iniciados havia reserva dos conhecimentos de acordo com o grau a que ascendiam, organizados de forma piramidal: o grau superior comportava o conhecimento do grau inferior, mas a inversa não era verdadeira. E ascendia-se de grau sempre de forma iniciática. No antigo Egito, praticamente toda a religião era estabelecida sobre os alicerces das instituições de mistérios, por isso o Egito deixou um legado às sociedades secretas atuais, que o têm por referência, e coube à instituição maçônica (Maçonaria) manter vivos os ideais dos mistérios no Ocidente.

‘Eis que é vindo o Senhor com milhares de seus santos; para fazer juízo contra todos e condenar dentre eles todos os ímpios, por todas as suas obras de impiedade, que impiamente cometeram, e por todas as duras palavras que ímpios pecadores disseram contra ele.’ (1 Enoque 2:9)

No dilúvio universal, todas as Escolas de Mistérios foram destruídas e a maioria de seu conhecimento e sabedoria se perdeu. Mas, após o dilúvio, as Escolas de Mistérios foram lentamente revividas no Oriente próximo de fragmentos sobreviventes da sua herança e receberam inspiração por contato ocasional com os anjos caídos (leia-se: demônios).

‘Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más.’ (João 3:18,19)

 

O resultado do governo do maligno

E como romper com esta influência maligna e resgatar o princípio original de propósito de todas as coisas, conforme o propósito de Deus para elas?

Quais as formas possíveis para arrancar das mãos do demônio este planeta e esta dominação sobre tudo e sobre todos, e reorganizar este sistema que rege a vida como um todo (homem e natureza)?

‘Por isso, a criação aguarda ansiosamente a manifestação dos filhos de Deus. Pois a criação foi sujeita à vaidade (não voluntariamente, mas por vontade daquele que a sujeitou), todavia com a esperança de ser também ela libertada do cativeiro da corrupção, para participar da gloriosa liberdade dos filhos de Deus. Pois sabemos que toda a criação geme e sofre como que dores de parto até o presente dia.’ (Romanos 8, 19-22)

Hoje o que está sobre a Terra não vive mais para seu propósito original. É por isso que Jesus disse: ‘Eu vim para que todos tenham vida, e a tenham em abundância.’ Não temos vida, mas temos escravidão e morte... Foi para isto que Jesus veio, para termos vida em abundância a partir do momento em que não estivermos mais escravizados pelo único elo que nos liga aos demônios: o pecado.

'O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham com abundância. (João 10:10)

 

O demônio

Até agora o que tivemos no mundo tem sido um sistema de coisas implementado pelos seguidores do mal, orientados pelo demônio, e este sistema gerou e gera a corrupção do corpo, da alma, dos pensamentos, dos propósitos (que deveriam ser divinos, mas acabam sendo puramente materiais e mundanos...) corrupção da vontade e da resolução, que leva à indolência, à acomodação e a escolha do caminho ‘mais fácil’, e também a manipulação do ser humano, que já nem pensa por si, mas segue o direcionamento, explícito ou implícito, preparado pelas elites do mundo. Espalhou-se sobre a Terra a ira, a inveja, o orgulho, o ódio, a avareza, a ganância, a mentira, as prostituições, a idolatria, o materialismo, o ateísmo, as profanações, os vícios, a corrupção, e toda espécie de mal...

Isto tudo porque Satanás, príncipe deste mundo (João 12, 31) tem aqui (‘...o mundo está no maligno’) os seus adeptos. São estes os que seguem deliberadamente satanás, sabedores conscientes de que o servem. Estes estão preparando o sistema mundial para receber o ‘príncipe deste mundo’, o deus deste século.

E há também os que não servem a Deus, se tornaram incrédulos ou o foram desde sempre, e que buscam no mundo o que o mundo tem a lhes oferecer de material, de desfrute desta ‘pseudo felicidade' que é propagandeada nas mídias como se ela fosse o elemento a ser perseguido e conquistado para lhes preencher os vazios da alma. Estes também são servidores do demônio, só que não o sabem, devido a sua visão espiritual restrita ou nula. Estes incrédulos e rejeitadores de Deus, comprometidos com a fama, poder, dinheiro, ego, imagem, vivem sua vida para atender às suas próprias vontades e não à vontade de Deus, tanto quanto os primeiros.

‘Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus.’ (2 Coríntios 4:4)

'Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.' (1 João 2:16)

Pois se alguém duvida que este mundo já está julgado por Deus, é só olhar para os lados e ver como as coisas foram organizadas pelo ‘sistema’ que rege este mundo: na natureza, na organização humana, nos sistemas implantados (político, econômico, social), no desvirtuamento do propósito de vida dos seres e das pessoas... Por toda parte há miséria, ira, perversidade, blasfêmia, calúnia, crimes, roubo, depravação, perversão, crueldade, vícios, ateísmo, injustiça...

‘E, se a nossa injustiça for causa da justiça de Deus, que diremos? Porventura será Deus injusto, trazendo ira sobre nós? (Falo como homem. ) De maneira nenhuma; de outro modo, como julgará Deus o mundo?’ (Romanos 3:5,6)

‘A natureza clama por vingança contra os homens e treme de medo à espera do que deve acontecer à Terra, empapada de crimes.’ (Nossa Senhora de La Salette aos pastores Mélanie e Maximino, em 19 de setembro de 1846)

‘Todos os governantes civis terão o mesmo plano, que será o de abolir e fazer desaparecer todo o princípio religioso, para dar lugar ao materialismo, ao ateísmo, ao espiritismo e a toda espécie de vícios.’ (Nossa Senhora de La Salette aos pastores Mélanie e Maximino, em 19 de setembro de 1846)

Entretanto...

Este mundo já está julgado, mas nós ainda não

Todo o sistema do mundo já foi julgado por Deus, mas nós, todas as pessoas que estamos vivendo neste mundo neste momento, ainda não passamos pelo julgamento divino. O que significa que temos ainda algum tempo para ajustar nossa conduta buscando tornarmo-nos irrepreensíveis diante de Deus, na medida em que passemos a observar e viver de acordo com Sua Lei e Seus preceitos. Significa que temos ainda (felizmente!) a chance de mudarmos nossos atos, para, por consequência, mudarmos nossos destinos eternos.    

‘Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.’ (João 3:17)

Para isto há uma distinção entre ‘estar no mundo’ e ‘fazer parte do mundo’. Nós estamos no mundo, mas isto não significa que nós tenhamos que nos integrar a este sistema que está aí. Podemos passar pelo mundo sem que ele nos arrebate, nos seduza, nos conquiste. É só uma questão de escolher a quem você vai amar, porque aquele a quem você vai amar também a este você irá pertencer. Se eu escolher amar o mundo e a tudo que ele oferece, irei pertencer ao mundo. Se eu escolher amar Jesus, pertencerei a Ele, e todas as demais coisas não terão qualquer importância para mim.

'Se fôsseis do mundo, ele vos amaria como se pertencêsseis a ele. Entretanto, não sois propriedade do mundo; mas Eu vos escolhi e vos libertei do mundo; por essa razão, o mundo vos odeia.' (João 15, 19)

'Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.' (1 João 2:15)

Um mundo que não conheceu Jesus, que o rejeitou e o rejeita até hoje... Um mundo que persegue aqueles que mantêm viva Sua Palavra, ensinando e vivendo Seus ensinamentos...

 

'Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.' (João 1:10)

‘Respondeu Jesus: O meu reino não é deste mundo; se o meu reino fosse deste mundo, pelejariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus; mas agora o meu reino não é daqui.’ (João 18:36)

É fácil entender porque isto acontece: este sistema em que vivemos foi implantado por aqueles que se insubordinaram, lá no início, contra a autoridade de Deus Pai (os anjos rebeldes e seus seguidores) e desejam a todo custo manter este planeta sob o jugo e o domínio de Satanás.

Haverá, entretanto, a ruptura deste sistema, logo a seguir. Quando então todos se darão conta de que o mundo está em pecado e cada qual, individualmente, verá sua própria condição espiritual, como que ao passar por um juízo particular. Este pré-julgamento, digamos assim, se dará com a alma ainda vivente neste planeta, ou seja, ela não tendo morrido passará por um pequeno juízo, mas ainda não será o Juízo final.  

 

E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo.
Do
pecado, porque não creem em mim;
Da
justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais;
E do
juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado. (João 16:8-11)

 

Logo a seguir, após este pequeno juízo particular, pouco tempo restará às almas que ainda não tiverem escolhido ficar ao lado de Jesus para reorganizarem suas vidas em preparação ao Juízo Final.

Mas, certamente, não devemos de forma alguma esperar este pequeno juízo ocorrer para fazermos parte do exército de Jesus Cristo. Isto porque não sabemos se Deus não nos estará chamando no dia de amanhã, quando então, de surpresa, nos veremos partindo desta Terra e nos encontrando diante do Trono do Altíssimo, e então, para nosso desespero, não poderemos mais realizar nenhuma obra de misericórdia e amor para apresentarmos diante da presença de Deus, em favor de nossa alma.

Portanto, esta é a hora de fazermos obras de misericórdia e de darmos testemunho em Jesus Cristo. Nós ainda não estamos julgados, portanto ainda há esperança para nossa alma, ainda podemos reverter tudo o que fizemos de errado, ou ao menos minimizar seus efeitos, compensarmos toda a omissão que incorremos no passado, mudarmos nossa mente e coração, espalharmos amor, oferecermos esperança aos desesperançados, levarmos a caridade aos necessitados, e darmos testemunho da alegria de servir ao Deus verdadeiro e fiel. Além do que, não nos contaminemos com o mundo, nem compactuemos com as pessoas que escolhem servir ao mundo e a seus senhores... Afinal, este mundo já está julgado... 

 

'Agora é o juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo.’ (João 12, 31)

 


 

Leia também (clicando no título do artigo):

‘Lembrai-vos que Deus é Amor e Misericórdia, mais Pai que Juiz, só age com Sua Justiça quando se esgotam todos os mecanismos de reconciliação, como acontece agora com esta geração ingrata e pecadora.’(Jesus Cristo a Enoch, em 22-11-2018) 

 

'O Castigo muito em breve virá e já não poderei evitá-lo, porque é a Justiça de Deus quem o envia, para restabelecer a ordem e o direito na criação. Filhinhos, todos os trabalhadores do mal vão desaparecer da face da Terra, só ficará nela o povo de Deus, que será purificado como se purifica o ouro no fogo. A purificação do povo eleito será até que brilhe como crisol. Só assim purificado poderá habitar na Nova Criação de Deus. Aproximam-se os dias, meus pequenos, em que clamareis ao Céu e parecerá que não vos escutará. A humanidade muito em breve vai sentir e experimentar o que é estar sem o Espírito de Deus. Clamarão e gritarão: Senhor, Senhor, vem salvar-nos, e ninguém os escutará! Só os que estiverem na graça de Deus e puserem sua fé e confiança no Senhor poderão superar esta prova.' (Nossa Senhora da Penha a Enoch, em 18-11-2018) 

 

 


Busca


Quarta-feira, 03 de Março de 2021







Acessos




Mulher Vestida de Sol