‹ voltar

"Diz a toda a gente que Deus nos concede as graças por meio do Coração Imaculado de Maria; que Ihas peçam a Ela." (Sta Jacinta Marto)


Festa do Imaculado Coração de MARIA - 20-06-2020

 

Em dias de Festa, as portas do céu estão escancaradas derramando graças, peçamos a Mae que nos socorra nesse vale de lágrimas.

“Por fim o Meu Imaculado Coração Triunfará!”

n/d

A expressão “cor immaculatum” é moderna. Ela se tornou de uso corrente depois da definição do dogma da Imaculada Conceição. Depois das aparições da Virgem em Fátima e da publicação dos escritos de irmã Lúcia, a expressão “coração imaculado” se impôs no uso eclesial e litúrgico. Ela atingiu a máxima difusão nos anos de 1942 e 1952, por causa da influência exercida pelos acontecimentos de Fátima, que determinaram a consagração do mundo ao Coração Imaculado de Maria e uma quantidade de outras consagrações por parte de instituições eclesiais e às vezes civis. O movimento de piedade para com o Coração Imaculado de Maria alcançou o seu ápice em 1944 com a extensão da festa a toda a Igreja latina. Esses anos eram também anos de intenso florescimento da piedade mariana: nela se inseriu, com vigor jamais conhecido antes, a devoção ao Coração de Maria.

 

"Jesus quer estabelecer ao mundo a devoção ao meu Coração Imaculado. Prometo a salvação a quem a praticar, essa almas serão amadas por Deus como flores colocadas por mim para adornar o seu trono”.

 

O anjo de Fátima, já na primeira e na segunda aparições, afirma aos pastorinhos Lúcia, Francisco e Jacinta, respectivamente: “Orai assim. Os Corações de Jesus e Maria estão atentos à voz das vossas súplicas” e “Os Corações de Jesus e Maria têm sobre vós desígnios de misericórdia.”.

E, na terceira aparição, ensina a oração que une a reparação ao Coração de Jesus à reparação ao Coração de Maria: “Santíssima Trindade, Padre, Filho, Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e ofereço-Vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E pelos méritos infinitos do Seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores.” .

 

“Sacrificai-vos pelos pecadores, e dizei muitas vezes, em especial sempre que fizerdes algum sacrifício:  ‘O Jesus, é por vosso amor, pela conversão dos pecadores e em reparação pelos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria.’ (Nossa Senhora de Fátima, em 13-07-1917)

 

A devoção dos cinco primeiros sábados em reparação dos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria

A revelação da devoção dos cinco primeiros sábados começou na segunda aparição de Nossa Senhora em Fátima, Portugal, aos três Pastorinhos. No dia 13 de junho de 1917, a Virgem Maria disse à pequena Lúcia: “Jesus quer estabelecer no mundo a devoção do meu Imaculado Coração”. Depois de ouvir estas palavras, as três crianças viram a Virgem Santíssima com um coração na mão, cercado de espinhos. Eles compreenderam que aquele era o Coração Imaculado de Maria, ultrajado pelos pecados da humanidade, que necessitava de reparação. Na aparição seguinte, no dia 13 de julho, a Mãe de Deus repetiu as mesmas palavras e disse que voltaria para pedir a devoção reparadora dos primeiros sábados.

Sete anos depois, no dia 10 de dezembro de 1925, em Pontevedra, na Espanha, foi revelado à Irmã Lúcia a devoção reparadora dos cinco primeiros sábados. Em dezembro de 1927, por ordem de seu confessor, a Irmã escreveu as palavras que lhe dirigiu a Santíssima Virgem, nas quais disse: “Olha, minha filha, o Meu Coração cercado de espinhos, que os homens ingratos a todos os momentos Me cravam com blasfêmias e ingratidões. Tu, ao menos, vê de Me consolar, e dize que todos aqueles que durante cinco meses, no primeiro sábado, se confessarem, recebendo a Sagrada Comunhão, rezarem um Terço, e Me fizerem quinze minutos de companhia, meditando nos quinze mistérios do Rosário, com o fim de me desagravar, Eu prometo assistir-lhes, na hora da morte com todas as graças necessárias para a salvação dessas almas”.

 

Por que cinco sábados em reparação ao Imaculado Coração?

Em 1930, padre José Bernardo Gonçalves, então confessor da Irmã Lúcia, intrigado com a devoção dos cinco primeiros sábados em reparação ao Imaculado Coração de Maria, perguntou à Irmã: “Por que hão de ser ‘cinco sábados’ e não nove ou sete em honra das dores de Nossa Senhora?”10 Mas Lúcia não soube responder a pergunta do confessor.

Irmã Lúcia não sabia o que fazer ou dizer, até que, durante uma de suas orações, na noite do dia 29 para 30 de maio de 1930, nosso Senhor Jesus Cristo revelou a ela a razão da devoção dos cinco primeiros sábados: “Minha filha, o motivo é simples: são cinco as espécies de ofensas e blasfêmias contra o Imaculado Coração de Maria:

1 – As blasfêmias contra a Imaculada Conceição;
2 – Contra a Sua virgindade;
3 – Contra a Maternidade Divina, recusando, ao mesmo tempo, recebê-La como Mãe dos homens;
4 – Os que procuram publicamente infundir, nos corações das crianças, a indiferença, o desprezo e até o ódio para com esta Imaculada Mãe;
5 – Os que a ultrajam diretamente nas suas sagradas imagens.

Eis, minha filha, o motivo pelo qual o Imaculado Coração de Maria Me levou a pedir essa pequena reparação; e, em atenção a ela, mover a minha misericórdia ao perdão para com essas almas que tiveram a desgraça de a ofender”.

A primeira ofensa é a negação do dogma da Imaculada Conceição, promulgado pelo Papa Pio IX em 8 de dezembro de 1854.

A segunda, a negação da Doutrina Católica a respeito da virgindade perpétua de Nossa Senhora. São opositores dessa verdade as pessoas que negam que a concepção e o parto de Jesus não foram virginais, e que a Mãe de Deus não conservou a virgindade depois do parto, bem como aquelas que dizem que a Santíssima Virgem teve mais filhos além de Jesus.

A terceira, a negação da maternidade divina e espiritual da Virgem Maria, declarada no III Concílio de Constantinopla, no ano de 680. Nossa Senhora é Mãe de Deus e, ao mesmo tempo, Mãe espiritual dos homens, pela sua participação no mistério da Redenção de toda a humanidade.

A quarta, é o ódio para com a Santíssima Virgem Maria colocado, à força de falsas doutrinas, injúrias e blasfêmias, no coração das crianças. Desde o século passado, “a ideologia marxista-comunista procurou eliminar todos os vestígios de religião, a começar pelas crianças. […] Ensinava-se às crianças o racionalismo puro e, além disso, em certa nação, os pequeninos aprendiam ‘ladainhas’ de injúrias contra a Mãe de Deus”.

A quinta, é o desrespeito para com as sagradas imagens de Nossa Senhora. Como outrora, não é raro, em nossos dias, o ultraje, o sacrilégio, o vandalismo, a destruição das imagens da Virgem Maria, principalmente quando estão expostas em locais públicos. Além disso, as pessoas que tiram as suas imagens das igrejas e capelas, ou as reduzem ao mínimo, ofendem também o Coração Imaculado da Santíssima Virgem e contrariam o que foi dito no Concílio Vaticano II a respeito das imagens sacras: “Observem religiosamente aquelas coisas que nos tempos passados foram decretadas acerca do culto das imagens de Cristo, da Bem-aventura Virgem e dos Santos”, ou seja, devemos zelar pela tradicional e salutar devoção às sagradas imagens.

Como praticar a devoção dos cinco primeiros sábados?

A própria Virgem Maria nos ensinou a praticar a devoção reparadora das ofensas ao seu Imaculado Coração. Para praticar perfeitamente essa devoção, devemos – durante cinco primeiros sábados de cinco meses seguidos, na intenção geral de reparar nossos próprios pecados e os de toda a humanidade contra o Coração Imaculado de Maria – realizar quatro atos de piedade:

1 – A Confissão: devemos confessar preferencialmente no primeiro sábado. Caso seja impossível, ou muito difícil, podemos confessar com até oito dias ou mais de antecedência. Todavia, recordamos que é necessário estar em estado de graça no primeiro sábado do mês, a fim de fazer comunhão reparadora. Na confissão, é indispensável a intenção de reparar as ofensas contra o Imaculado Coração de Maria. Essa intenção reparadora não precisa ser dita ao confessor, mas apenas colocada mentalmente diante de Deus antes da confissão. Jesus Cristo disse à Irmã Lúcia que, se esquecermos da intenção reparadora, podemos colocar essa intenção na confissão seguinte, aproveitando a primeira ocasião que tivermos para nos confessar;

2 – O Terço: a tradicional oração do Terço mariano também faz parte da devoção dos cinco primeiros sábados, que deve ser rezado na intenção da reparação do Imaculado Coração da Santíssima Virgem;

3 – Os 15 minutos de meditação dos mistérios do Rosário: Nossa Senhora pediu que fizéssemos companhia a ela durante pelo menos 15 minutos, meditando sobre os 15 mistérios do Rosário, na intenção da reparação ao seu Imaculado Coração. Essa meditação não precisa ser de todos os 15 ou 20 mistérios do Rosário. Podemos meditar apenas um, dois, três ou mais mistérios, conforme a nossa escolha. Outra opção é a meditação dos mistérios do Rosário conforme o tempo litúrgico. Por exemplo: no tempo do Advento, podemos meditar os mistérios Gozosos; no tempo da Quaresma, os Mistérios Dolorosos; no Tempo Pascal, os Mistérios Gloriosos; no Tempo Comum, podemos meditar aqueles mistérios que mais dizem respeito à Liturgia do dia ou do domingo;

4 – A comunhão: é um ato essencial da devoção reparadora ao Imaculado Coração de Maria. Para compreender bem a sua importância, lembremos que a devoção da comunhão das nove primeiras sextas-feiras tem como intenção a reparação das ofensas contra o Sagrado Coração de Jesus. Recordemos também que a comunhão milagrosa, dada aos três pastorinhos de Fátima pelo Anjo da Guarda de Portugal, no outono de 1916, teve um caráter eminentemente reparador. Essa intenção evidencia-se na oração ensinada pelo Anjo da Paz, repetida seis vezes, três vezes antes e três vezes depois da comunhão.

Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, eu vos adoro profundamente e vos ofereço o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da Terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido; e pelos méritos infinitos de seu Sacratíssimo Coração e do Imaculado Coração de Maria, peço-vos a conversão dos pobres pecadores.

Como nos casos acima, a intenção reparadora na devoção dos cinco primeiros sábados é muito importante, porque as ofensas contra o Imaculado Coração de Maria também ofendem gravemente o Sacratíssimo Coração de Jesus. Essa devoção reparadora, como um todo, pode ser também feita no domingo seguinte ao primeiro sábado, desde que seja por motivos justos e autorizado por um padre.

 

O poder e a eficácia sobrenaturais da devoção ao Imaculado Coração de Maria

Assim, a devoção ao Imaculado Coração, praticada nos primeiros sábados em reparação das ofensas cometidas contra a Virgem Maria, foi-nos revelada para salvação de muitas almas do inferno. Pois, cada vez mais, em nosso tempo, multiplicam-se os ataques contra a dignidade, os privilégios, as honras devidas a Nossa Senhora. Além disso, há uma diminuição considerável do culto mariano em quase toda a Igreja, em consequência principalmente dos erros espalhados pelo comunismo no mundo todo.

Sendo este o estado das coisas em nossos dias, a impiedade de muitos para com a Santíssima Virgem é ainda pior do que outrora. Por isso, certamente é mais do que essencial a intenção reparadora de nossa prática da devoção dos cinco primeiros sábados. Reparemos as ofensas cometidas contra o Imaculado Coração de Maria, tão ultrajado pela ingratidão dos homens, através da devoção que ela mesma nos indicou.

Na carta a Dom Manuel Maria Ferreira da Silva, Arcebispo titular de Gurza, escrita em 27 de maio de 1943, Irmã Lúcia nos ajuda a compreender o poder e a eficácia sobrenaturais da devoção ao Imaculado Coração de Maria: “’Os Santíssimos Corações de Jesus e Maria amam e desejam este culto [para com o Coração de Maria], porque dele se servem para atrair todas as almas a eles, e isso é tudo o que desejam: salvar as almas, muitas almas, todas as almas’. Nosso Senhor me dizia há alguns dias: ‘Desejo ardentemente a propagação do culto e da devoção ao Coração de Maria, porque este Coração é o ímã que atrai as almas para mim, a fornalha que irradia na terra os raios de minha luz e de meu amor, fonte inesgotável de onde brota na terra a água viva de minha misericórdia‘”. Com a certeza desta eficácia sobrenatural, peçamos a Mãe de Deus, com insistência e perseverança, as boas disposições de nossa alma para bem praticar a devoção dos cinco primeiros sábados.

Imaculado Coração de Maria, rogai por nós!

 

Fontes: http://www.amoranossasenhora.com.br/devocao-ao-imaculado-coracao-de-maria/
https://formacao.cancaonova.com/nossa-senhora/devocao-nossa-senhora/conheca-origem-da-devocao-ao-imaculado-coracao-de-maria/
https://blog.cancaonova.com/tododemaria/a-devocao-dos-cinco-primeiros-sabados/

 

 

A PORTA DO CÉU

 

“O meu Coração Imaculado é a Porta do Céu, através da qual o Espírito de Amor do Pai e do Filho passa para chegar até vós e renovar o mundo inteiro.

Por isso vos convido hoje a entrar ainda mais profundamente, no íntimo deste meu celeste Jardim; assim sereis revestidos da luz da Santissima Trindade.

No meu Coração Imaculado, o Pai pousa sobre vós o seu olhar de complacência, ao ver-vos formados por Mim para O glorificar da maneira mais perfeita.

A minha missão materna é ajudar cada um de vós a realizar em plenitude o desígnio do Pai, que vos criou para vos tornar participantes do seu ser, do seu amor e da sua glória.

Por isso vos ajudo a abrir-vos ao sol do amor de Deus, que vos faz crescer no que é belo, bom e verdadeiro. A Glória de Deus manifesta-se em toda a sua divina harmonia através das notas ordenadas da vossa existência.

Quantas secretas modulações vibram por causa da oração, do sofrimento, do silêncio, de todas as virtudes que devem compor o poema de vossa vida!

Na vida, abri-vos ao canto da glória do Pai, que quer Se refletir em vós com complacência, ao mesmo tempo que sois gerados pelo mistério da sua Paternidade para uma nova plenitude de vida e de alegria.

No meu Coração Imaculado, o Filho assimila-vos para vos tornar mais conformes à sua imagem e para vos associar à sua própria Vida.

É neste meu celeste jardim que acontece o prodígio da vossa transformação.

Este prodígio aconteceu, em primeiro lugar, comigo, porque Jesus, ao encontrar-Me como argila puríssima e extremamente dócil, plasmou-Me à sua semelhança de maneira tão perfeita que nenhuma outra criatura poderá reproduzir a sua imagem como fez a vossa Mãe Celeste.

Foi assim que, sendo mãe, Me tornei filha do meu Filho; foi assim que Me tornei a sua primeira e perfeita discípula; e é assim que, ao mesmo temp que vos conduzo a Jesus, posso Me mostrar a vós como modelo a imitar, se quereis chegar a revivê-Lo na vossa existência.

Formo a vossa mente à sua semelhança, e obtenho-vos o Espírito de Sabedoria, que vos leva a procurar e a acolher, a meditar e a guardar a sua divina Palavra. Assim, podeis viver o Evangelho com a simplicidade dos pequeninos, com a fidelidade dos mártires e o heroísmo dos santos.

Formo o vosso coração e vos levo à plenitude de amor para com Deus, a fim de que possais amar todos os vossos irmãos com a sua própria caridade divina. Por isso vos torno cada vez mais puros e sensíveis, compreensivos e misericordiosos, mansos e compassivos, humildes e fortes.

Jesus entra, cada dia, pela porta desse meu celeste jardim para ter a grande alegria de Se ver imitado e revivido por todos vós, meus filhos e seus pequenos irmãos.

No meu Coração Imaculado, o Espírito Santo comunica-se a vós de maneira cada vez mais abundante, para realizar com as vossas almas a mesma união de vida e de amor que realizou com a vossa Mãe Celeste. Ao ver-vos nos meus braços maternos, Ele sopra sobre vós com uma força de amor para vos transformar em centelhas de fogo, chamas de graça, estrelas de santidade e de zelo para renovar o firmamento da Igreja. Comunica-Se a vós com seus sete santos dons, tornando-vos instrumentos idôneos para fazer voltar o mundo ao Deus da misericóridia e da salvação, preparando o Reino no qual Jesus dominará com o Seu divino poder e em que o Pai será incessantemente glorificado por toda a criação.

Entrai, pois, pela Porta celeste do meu Coração Imaculado, se quereis participar no divino prodígio do novo pentecostes para a Igreja e da completa renovação do mundo.”

11 de junho de 1983, Festa do Imaculado Coração de Maria.
 
Extraído do Livro “Aos Sacerdotes, filhos prediletos de Nossa Senhora”, Edições Loyola, 24ª ed., pág. 441-443.

Busca


Quinta-feira, 16 de Julho de 2020







Acessos



Rainha Maria

Mulher Vestida de Sol