‹ voltar



Escravos do Inferno (Diário de um Exorcista)

n/d

Não faz muito tempo, recebi uma enxurrada de mensagens de texto de demônios em meio a um caso intenso. Em resposta, enviei uma mensagem de texto com uma imagem sagrada e uma oração à Santíssima Virgem e a São Miguel. Também enviei uma mensagem de texto com uma ordem: "A cada texto, ordeno aos demônios que contemplem a beleza de Nossa Senhora enquanto louvam a Deus com o canto angelical: "Sanctus, Sanctus, Sanctus". Eu ordenei isso aos demônios com base na autoridade da Igreja sobre eles, dada por Cristo e delegada ao exorcista pelo bispo.

O demônio respondeu: "Ninguém pode me dizer como agir ou o que fazer. Eu decido tudo; isso está claro há anos". A resposta demoníaca ecoa a recusa original de Satanás e de seus sequazes em obedecer a Deus: "Não servir", "Não servirei". Isto se reflete ainda mais na rejeição atual da vontade de Deus e na afirmação da própria vontade, que frequentemente é  encontrada, por exemplo, na Wicca, na bruxaria e no satanismo.

A "liberdade" que os demônios afirmam ter encontrado ao rejeitar a vontade de Deus em favor da sua própria é uma ilusão. No famoso caso do século XVI do exorcismo de Nicola Aubry, o bispo de León conduziu pessoalmente o exorcismo. O demônio principal no caso era Belzebu. Em um determinado momento, o bispo ordenou que os demônios de menor escalão se apresentassem e falassem. Belzebu respondeu de forma incisiva que esses demônios inferiores NÃO falariam. Ele disse: "Eu lhe digo que eles não falarão em minha presença. Eles são meus servos, meus escravos; eu sou o seu senhor. Alguma vez viste um escravo falar na presença de seu senhor?"

Esta tem sido a nossa experiência: o inferno é um império do mal no qual os demônios mais poderosos dominam brutalmente os demônios inferiores e, em certas ocasiões, até os espancam. Os demônios odeiam os humanos ainda mais do que a seus companheiros demônios. E o que os demônios fazem às almas condenadas no inferno não deve se repetir.

Muitos hoje rejeitam a noção cristã de servir e obedecer a Deus, em troca da "liberdade" de fazer sua própria vontade. Na realidade, eles apenas se submetem ao mais cruel e impiedoso dos amos, Satanás, que foi o primeiro a rejeitar a vontade divina.

Pelo contrário, ao obedecer a Deus, somos verdadeiramente livres.  “É para que sejamos homens livres que Cristo nos libertou. Ficai, portanto, firmes e não vos submetais outra vez ao jugo da escravidão.” (Gálatas 5, 1)

 

Visto em: https://religionlavozlibre.blogspot.com/2024/02/diario-del-exorcista-274-esclavos-del.html

Busca


Sexta-feira, 01 de Março de 2024










Mulher Vestida de Sol