‹ voltar



China ordena aos cristãos que destruam cruzes nas suas igrejas e que derrubem imagens de Jesus, intensificando a repressão à religião

Por WND News Services
Publicado em 21 de Julho de 2020.

 

Os funcionários chineses têm ordenado a alguns cristãos que esmaguem as cruzes nas suas igrejas e retirem as imagens de Jesus das suas casas. As autoridades destruíram recentemente à força símbolos religiosos em igrejas de várias províncias, incluindo Anhui, Jiangsu, Hebei e Zhejiang, de acordo com o site de notícias Radio Free Asia, sediado nos EUA.

Além disso, funcionários de Shanxi, outra região, exigiram que imagens religiosas fossem retiradas e substituídas por fotografias de líderes comunistas nas casas de crentes pobres, disse o canal independente Bitter Winter.

As reportagens surgem quando a China enfrenta críticas sem precedentes contra o seu apertado controle sobre a sua população religiosa, especialmente sobre as minorias étnicas muçulmanas.

Oficiais responsáveis pelos assuntos religiosos em Huainan, na província oriental de Anhui, alegadamente invadiram a Igreja local Cristã de Shiwan para desmantelar a sua cruz no sábado e domingo. Os funcionários tinham exigido à igreja que derrubasse a sua cruz uma semana antes, informou a Radio Free Asia citando fontes locais. Quando chegaram ao local para impor a ordem pela força no fim-de-semana, foram recebidos por dezenas de crentes que se tinham reunido para tentar evitar que eles demolissem o símbolo sagrado, afirmou o artigo.

Cenas semelhantes ocorreram em Yongjia, na província de Zhejiang, a 7 de Julho. O governo local enviou uma grua e quase 100 trabalhadores para demolir as cruzes da Igreja Cristã de Ao'di e da Igreja Cristã de Yinchang, de acordo com o grupo de pressão China Aid, sediado nos EUA. Os crentes locais disseram ao grupo que os trabalhadores do governo forçaram a sua entrada nas igrejas, destruíram as propriedades das igrejas e espancaram os cristãos, incluindo uma mulher na casa dos 80 anos, que tentou detê-los.

A China Aid, fundada pelo pastor americano-chinês Bob Fu, também divulgou imagens que supostamente mostravam uma máquina pesada a levantar uma cruz de uma igreja e trabalhadores do governo em frente a outra.

Noutro lugar na China, um governo local de Linfen, na província de Shanxi, convocou todos os funcionários da aldeia e orientou-os para reprimir a atividade religiosa, relatou Bitter Winter. Os funcionários da aldeia foram instruídos a retirar cruzes, símbolos religiosos e imagens das casas de algumas pessoas de fé, escreveu a revista que se concentra na liberdade religiosa e nos direitos humanos na China. Dizia-se que o governo tinha como alvo os residentes em situação de pobreza que recebiam pagamentos da assistência social, e essas famílias devem, em vez disso, exibir retratos do Presidente Mao e do Presidente Xi Jinping.

Nos últimos anos, o Partido Comunista no poder na China levou a cabo uma repressão generalizada contra todas as instituições religiosas. Entre as diretivas relevantes incluem-se demolição de igrejas e mesquitas, o barramento de estudos religiosos budistas a crianças tibetanas e o encarceramento de mais de um milhão de membros de minorias étnicas islâmicas nos chamados campos de "reeducação".

O Presidente Xi Jinping ordenou que todas as religiões devem se colocar sob a influência chinesa para garantir a sua lealdade ao partido oficialmente ateísta.

No final do ano passado, o governo central chinês ordenou aos seus censores que revissem e editassem todas as versões traduzidas de livros religiosos clássicos para se certificarem de que as suas mensagens refletiam os princípios do Socialismo. As novas edições não devem conter qualquer conteúdo que vá contra as crenças do Partido Comunista, de acordo com os altos funcionários do país em assuntos religiosos. Os funcionários disseram que os parágrafos considerados errados pelos censores seriam emendados ou re-traduzidos.  

A ordem foi dada em Novembro durante uma reunião realizada pelo Comitê para os Assuntos Étnicos e Religiosos do Comité Nacional da Conferência Consultiva Política Popular Chinesa, que supervisiona os assuntos étnicos e religiosos na China.

 
Fonte:  https://www.dailymail.co.uk/news/article-8544835/China-orders-Christians-destroy-crosses-churches-images-Jesus.html?utm_source=wnd&utm_medium=wnd&utm_campaign=syndicated

Busca


Domingo, 20 de Setembro de 2020







Acessos



Rainha Maria

Mulher Vestida de Sol